Ruy Mesquita

Jornalista brasileiro
Por Dilva Frazão
Biblioteconomista e professora

Biografia de Ruy Mesquita

Ruy Mesquita (1925-2013) foi um jornalista e empresário brasileiro. Comandou o jornal “O Estado de São Paulo”, conhecido como “Estadão”, entre 1996 e 2013. Era a terceira geração de tradicional família de jornalistas.

Ruy Mesquita nasceu em São Paulo, no dia 16 de abril de 1925. Era filho de Júlio de Mesquita Filho e de Marina Vieira de Carvalho Mesquita.

Em 1875 seu avô, Júlio de Mesquita, fundou o jornal “O Estado de São Paulo”, que nos seus tempos iniciais tinha o título “A Província de São Paulo”, fundado por abolicionistas e republicanos.

Seu pai, Júlio de Mesquita Filho, consolidou o império entre 1927 e 1969. Seu irmão, Júlio, lutou pela preservação do jornal até a sua morte em 1996, quando Ruy assumiu a direção.

Início da carreira

Rui Mesquita foi aluno da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), mas trocou os estudos jurídicos pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas.

Em 1948, Ruy Mesquita iniciou sua carreira de jornalista, como repórter do jornal da família, um dos mais influentes do país.

O jornal “O Estado de São Paulo”, foi durante muito tempo considerado conservador, mas Ruy Mesquita o definia como uma publicação de ideias liberais e democratas.

Em 1964, ao lado do pai, “O Estadão”, como era conhecido, apoiou o golpe militar convencido de que o estado de direito estava ameaçado pela ofensiva de esquerda, mas com o decreto do Ato Institucional n.º 5, que proclamou a ditadura, o grupo rompeu com o regime.

Em 1966, atuando com destaque na redação da editoria internacional do Estadão, Ruy recebeu do pai a direção do recém criado “Jornal da Tarde”, que nos anos da ditadura foi alvo da censura prévia.

Em 1968 os jornais da família tiveram algumas edições apreendidas, mas desafiando o regime, decidiram publicar poesias, entre elas, Os Lusíadas, de Camões, e receitas de bolos e doces no lugar dos textos censurados.

Em 1969, após se submeter a uma cirurgia no aparelho digestivo, seu pai faleceu com 77 anos. Seu irmão, Júlio de Mesquita Neto assumiu a direção do jornal “O Estado de S. Paulo”.

Na década de 70, nos momentos mais sombrios da ditadura, Ruy Mesquita, que a poliomielite forçara a andar até os oito anos com a ajuda de aparelhos, escoltou numerosos jornalistas perseguidos pela polícia política.

Ainda na década de 70, o jornal endividou-se com a construção da nova sede na Marginal Tietê, para onde o grupo mudou-se em 1976, mas logo viu as finanças recuperadas.

Diretor do Estadão

No dia 18 de agosto de 1996, seu irmão Júlio de Mesquita Neto faleceu e Ruy Mesquita, até então diretor do Jornal da Tarde, assumiu o cargo de diretor. Sem paciência para lidar com questões administrativas, escreveu como nunca.

Ruy Mesquita

Durante dezessete anos, armado de uma Olivetti que resistiu por longo tempo ao advento da era da informática, Ruy Mesquita escreveu quase todos os dias.

O comando editorial e administrativo do grupo permaneceu com a família Mesquita até o ano de 2003, quando os membros saíram dos cargos de gestão. Em 2012 “O Jornal da Tarde” foi extinto. Hoje a família Mesquita está entre os principais acionistas do Grupo

Ruy Mesquita faleceu em São Paulo, no dia 21 de maio de 2013, depois de passar 26 dias internado, deixando a mulher Laura Maria Sampaio Lara Mesquita e os filhos Ruy, Fernão, Rodrigo e João.

Dilva Frazão
É bacharel em Biblioteconomia pela UFPE e professora do ensino fundamental.
Veja também as biografias de: