7 frases de Friedrich Nietzsche explicadas

Laura Aidar
Laura Aidar
Formada em Comunicação

Friedrich Nietzsche (1844-1900) foi um filósofo nascido na Prússia e um dos maiores pensadores do século XIX.

Ainda que tenha desenvolvido um raciocínio complexo, suas ideias são bastante difundidas e ressoam de maneira significativa em nossa sociedade atualmente.

Assim, reunimos algumas de suas citações sobre diversos assuntos, como amor, Deus, moral, a vida, a educação, a felicidade e a liberdade com explicações simples para entender melhor seu pensamento.

1. "Deus está morto".

Essa é uma das frases mais famosas e polêmicas de Nitetzsche. O pensador, que vinha de uma família de pastores com forte ligação com o cristianismo, em determinado momento de sua vida rompe com a religião.

Assim, ao afirmar que Deus está morto, na verdade o que ele quer transmitir é uma necessidade de ruptura com a moral, o sentimento de culpa cristã e os dogmas presentes na religião. 

2. "O advento do deus cristão, o deus máximo até agora alcançado, trouxe também ao mundo o máximo de sentimento de culpa".

Ainda sobre o tema das religiões e da existência de um Deus supremo, o filósofo associa a noção de culpa a esse fator. 

Isso porque a organização social constituída com base nas doutrinas cristãs é responsável, segundo ele, por incutir o medo na mente e no coração das pessoas. 

Isso traz a ideia de sacrifício como uma moeda de troca com o divino e a culpa como um sentimento naturalizado e útil para se manter o status quo, ou seja, o estado das coisas, onde o povo vive acuado e sob o domínio dos poderosos.

3. "O que significa Niilismo? Que os valores supremos se desvalorizam".

Nietzsche foi um dos filósofos que acreditava no niilismo, ou seja, ele afirmava a não existência de bases estruturantes para o conhecimento, a ausência de sentidos e a negação de Deus ou de verdades absolutas. 

Assim, é uma corrente filosófica que se ampara no ceticismo e na ideia que essa ausência de valores pode contribuir para uma libertação do ser humano.

Sobre o tema, Nietzsche disse ainda:

O Niilismo não é somente um conjunto de considerações sobre o tema 'Tudo é vão', não é somente a crença de que tudo merece morrer, mas consiste em colocar a mão na massa, em destruir. (...) É o estado dos espíritos fortes e das vontades fortes do qual não é possível atribuir um juízo negativo: a negação ativa corresponde mais à sua natureza profunda.

4. "Quero cada vez mais aprender a ver como belo aquilo que é necessário nas coisas. Amor-fati [amor ao destino]: seja este, doravante, o meu amor!"

O conceito de amor-fati é desenvolvido pelo pensador como um desdobramento da ideia de que nada que possa nos amparar existe. 

Assim, é necessário a aceitação de um mundo onde não há valores supremos ou transcendência, desenvolvendo o amor pelas coisas e pela vida como ela se apresenta, mas não de forma passiva e resignada, mas sim corajosa.

A continuação dessa citação é a seguinte:

Não quero fazer guerra ao que é feio. Não quero acusar, não quero nem mesmo acusar os acusadores. Que minha única negação seja desviar o olhar! E, tudo somado e em suma: quero ser, algum dia, apenas alguém que diz Sim!

5. "O que diz sua consciência? torne-se aquilo que você é".

Nietzsche se apoiou na frase "Torna-te o que tu és", do poeta grego Píndaro para desenvolver seu pensamento acerca da praticidade na trajetória do indivíduo

Para o filósofo, a vida vai se construindo ao longo de seu percurso, processo que deve ser realizado sem as imposições morais, teorias ou mandamentos.

6. "O corpo flexível e convincente, o dançarino cujo símbolo e epítome é a alma que se compraz em si. O prazer consigo desses corpos e almas chama a si mesmo 'virtude'".

Essa é uma citação presente no livro Assim Falou Zaratustra (1883), obra que, segundo o próprio autor, é a mais importante de sua carreira.

O livro conecta filosofia, literatura e arte em metáforas líricas e traz a figura do profeta da antiguidade Zaratustra como um ser que se move pelo mundo como intuito de levar suas reflexões e sabedoria.

Zaratustra usa a leveza e a dança como meio de se relacionar consigo, com os outros e com o entorno

Nessa citação, o que vemos é um pensador que valoriza a fluidez do movimento da vida, propondo uma maneira mais integrada de coexistência, onde o prazer no processo se faz essencial.

7. "A felicidade do homem que conhece aumenta a beleza do mundo e torna mais ensolarado tudo o que há; o conhecimento põe sua beleza não só em torno das coisas, mas, com o tempo, nas coisas; que a humanidade vindoura dê testemunho dessa afirmação!"

Para Friedrich Nietzsche, a educação e o conhecimento deveriam ser empregados como uma maneira de ampliação de mundo e o despertar da consciência por si mesmo. 

Ele não concordava com um ensino que apenas encaminhasse as pessoas para uma moral de rebanho. Nietzsche era contra o utilitarismo e a massificação.

Então, podemos perceber no pensamento exposto acima qual o tipo de sabedoria que o filósofo valorizava, a que trazia felicidade e aprimoramento individual, e por consequência tornava o mundo mais "belo".

Você também pode ter interesse:

Laura Aidar
Laura Aidar
Formada em Comunicação pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) e em Fotografia pela Escola Panamericana de Arte e Design.