Salvador Dalí (1904-1989) é considerado o principal representante da estética surrealista, principalmente em pinturas.

Assim como os seus quadros, filmes e outras criações, a sua vida também foi bastante excêntrica. Selecionamos 12 fatos curiosos e interessantes da sua biografia, e mais algumas curiosidades que você vai adorar saber. 

1. Salvador Dalí era encarado pelos pais como uma reencarnação do irmão 

Salvador Dalí i Domènech nasceu apenas nove meses depois da morte de um irmão, que faleceu de gastroenterite. O pai, Salvador Dalí Cusí e a mãe, Felipa Domènech Ferrés, deram-lhe o mesmo nome do garoto falecido e diziam que Dalí era a reencarnação do irmão. 

2. Com seis anos de idade, foi matriculado em uma escola francesa

A família de Salvador Dalí tinha boas condições e faziam de tudo pelo garoto, que tinha apenas mais uma irmã, Anna Maria. Com apenas 4 anos de idade ele foi matriculado na escola, mas dois anos depois seu pai, achando que a educação não estava sendo suficiente, trocou o filho de colégio, colocando-o no Colégio Hispano-Francês da Imaculada Conceição em Figueres, município da Espanha na província de Girona, comunidade autônoma da Catalunha.

Foi lá que o menino teve seu primeiro contato com o impressionismo, técnica que veio a influenciar o seu trabalho. Assim como fez amizades com famílias de artistas e passou a se interessar pelo assunto.

foto da família de salvador dali
Dalí e família (no centro da foto, com 6 anos de idade)

3. Sua primeira exposição foi aos dezesseis anos de idade

Em 1919, com o apoio da família, principalmente da mãe, para suas artes, o pintor expôs pela primeira vez na vida, no Teatro Municipal de Figueres, que quarenta anos depois viria a se tornar o Teatro-Museo Gala Salvador Dali, sua criação que reúne a maior parte de seu trabalho. 

Seu pai fazia questão que ele fosse para Madrid para se qualificar como pintor estudando na Escola de Belas Artes, e possivelmente tornar-se professor. Dalí aceitou fazê-lo, apesar de nunca ter chegado a cumprir. 

4. O pai de Dalí casou-se com a própria cunhada 

Quando Dalí tinha 17 anos, sua mãe faleceu de câncer. Sendo ela a mais amorosa da família, o então adolescente sofreu muito o impacto da perda. O mais esquisito da história é que, no mesmo ano, o pai casou-se com a irmã da falecida, tia de Dalí. Não dissemos que a vida do autor também tinha um toque surreal?

5. Seus anos na Real Academia de Belas-Artes de São Fernando, em Madrid

Com 18 anos de idade, Dalí ingressou na academia de artes. Naquela época já tinha começado a deixar crescer o seu bigode, inspirado no artista espanhol Diego Velásquez, e usava roupas excêntricas. Estudou vários movimentos artísticos, dos clássicos aos mais inovadores, como o cubismo, que estava começando. 

Morando na Residência de Estudantes, fez amizades com jovens que se tornaram personalidades artísticas e intelectuais da época, como Luis Buñuel, Federico Garcia Lorca, Pedro Garfias, entre outros.

Foi expulso da Academia por um ano, acusado de liderar protestos estudantes. Mais tarde, também seria expulso da Escola de Belas Artes de Madrid, alegando que o tribunal que o examinaria não era competente. 

dali inspiracao bigode velazquez

6. A persistência de Dalí: o início do surrealismo em sua obra 

Em meados de 1929, Dalí tinha 25 anos e estava decidido a largar a vida acadêmica e se dedicar autonomamente ao mundo da arte. Instalou-se em Paris, importante centro artístico europeu da época. Foi lá que conheceu Pablo Picasso, que influenciou muito a sua obra. 

Nessa época, entrou em contato com um grupo de surrealistas liderado pelo escritor francês André Betron e tornou-se membro oficial do movimento. O grupo era antirracionalista, pregava a arte para além da consciência cotidiana, expressando, por exemplo, o mundo dos sonhos. É de 1931 um dos seus quadros mais famosos, A Persistência da Memória

quadro a persistência da memória
A Persistência da Memória (1931)

7. As obras de Salvador Dalí em sua década de ouro: 1930

O círculo de amigos de Dalí estava repleto de escritores, pintores, cineastas, e outros artistas. A década de 1930 foi excelente para sua produção artística: entre mostras individuais em galerias francesas, exposições e quadros sendo vendidos a valores exorbitantes, o pintor ainda colaborou em filmes de Luis Buñuel: Um Cão Andaluz e A Idade do Ouro. Criava a partir do que chamou de método crítico-paranoico, um exercício mental para representar a realidade a partir de sonhos e pensamentos subconscientes. 

Algumas de suas principais épocas desse período são:

O Sono (1937) 

dalí - o sono

Metamorfose de Narciso (1937)  

dalí - Metamorfose de Narciso

O Enigma Sem Fim (1938) 

dalí o enigma sem fim

8. Dalí conhece Gala, o amor da sua vida

No verão de 1929, Salvador Dalí recebeu amigos em sua casa de veraneio, em Cadaqués, na Espanha. Entre os visitantes estavam o casal Helena Ivanovna Diakonova, uma imigrante russa, e o poeta francês Paul Éluard, com a filha de 11 anos do casal, Cécile. Dalí e Helena se apaixonaram e dali em diante nunca mais separaram-se, tendo casado em 1934 e vivido juntos por 53 anos, até que ela morresse. Gala, como era conhecida, tornou-se sua musa inspiradora, companheira e gestora de sua arte, também. 

O quadro abaixo chama-se "Comienzo automático de un retrato de Gala" e foi feito um ano antes do casamento, em 1933. 

Comienzo automático de un retrato de Gala
Comienzo automático de un retrato de Gala (1933)
Gala e Dalí
Fotografias de Gala e Dalí (1964 / 1942)

9. Dalí é expulso do movimento surrealista e apelidado Avida Dollars 

Uma das vertentes do movimento surrealista era a política, flertando com o materialismo histórico e comunismo. Quando entrou no movimento, Dalí ainda simpatizava com tais ideologias, mas com o passar do tempo foi tornando-se cada vez mais reacionário, por vez alegando ser apolítico e, acusam alguns biógrafos, declarando apoio ao ditador General Franco, durante a Guerra Civil Espanhola (1936 - 1939). Adolf Hitler, outro conservador, aparece em um de seus quadros mais famosos, O Enigma de Hitler, pintado em 1938. 

o enigma de hitler
O Enigma de Hitler (1938)

Na altura o pintor havia conquistado fama e sucesso com a cultura de massa americana e o mundo da publicidade (desenhando inclusive o logo do pirulito Chup-Chups).

Dalí ganhava muito dinheiro no mundo globalizado e capitalista, o que não agradou em nada André Breton, líder dos surrealistas, que o expulsou do movimento oficialmente em 1939, criando um anagrama sugestivo com o seu nome: Avida Dollars

10. Salvador Daí também era escritor, roteirista de cinema, escultor e designer de moda e joias 

Em 1940, quando as tropas nazistas invadiram a França, Dalí mudou-se com Gala para o EUA. Lá, trabalhou como designer de joias, desenhou peças de roupas para importantes peças de teatro, publicou sua autobiografia "A Vida Secreta de Salvador Dalí" (1942), e o romance "Faces Ocultas" (1944), trabalhou como roteirista com Alfred Hitchcock no filme A Casa Encantada (1946), produziu um filme com Walt Disney, ilustrou muitas revistas, livros e anúncios de publicidade. 

11. A volta à terra natal e a criação do Teatro-Museo Gala Salvador Dalí

Depois da temporada no EUA, o casal decidiu retornar à Espanha. Nesta época Dalí estava em uma fase mais religiosa de pinturas, e assuntos relacionados ao progresso científico, como a bomba atômica. É desse período um de seus quadros mais famosos, A Tentação de Santo Antão (1946).

a tentação de santo antão
A Tentação de Santo Antão (1946)

Entre 1960 e 1974, trabalhou na criação do Teatro-Museo Dalí, em Figueres, no mesmo prédio onde expôs pela primeira vez, ainda adolescente. Até hoje o lugar é considerado a maior estrutura surrealista do mundo, e reúne a coleção mais variada de obras do artista. 

12. Os últimos anos de Salvador Dalí 

Inquieto, criativo e insaciável, Dalí não parava de descobrir novas técnicas e gostos. Interessou-se por hologramas e imagens 3D, chegou até a escrever e ilustrar uma das edições do livro de Sigmund Freud, chamado Moisés e o Monoteísmo (1974). Abaixo, uma das litografias produzidas para o livro do psicanalista Freud.  

litografia pesadelos de moises
Moisés e o Monoteísmo (1974)

Morou um tempo no Castelo de Púbol, que comprou e decorou como presente para Gala. E quando, ela morreu, em 1982, Dalí caiu em depressão, chegando a se recusar a se alimentar. O incêndio que queimou o seu quarto quando tinha 80 anos de idade indicou tentativa de suicídio. O artista morreu quatro anos depois, em janeiro de 1989, vítima de uma parada cardíaca e pneumonia. 

Outras curiosidades sobre a vida de Salvador Dalí 

  • Na década de 1970 escreveu um livro de receitas, chamado "Les Diners de Gala", escrito em conjunto com Gala. As receitas são extravagantes como suas obras e a montagem dos pratos são elaboradas e teatrais, quase impossíveis de reproduzir: mas o livro está disponível para quem quiser tentar.
  • Excêntrico como só ele, o pintor tinha animais selvagens de estimação, como um tamanduá e uma jaguatirica
  • As fotografias que ele fez em colaboração com o fotógrafo Philippe Halsman são algumas das coisas mais bacanas do seu trabalho.
  • Ele considerava o quadro Leda Atômica (1949) sua obra mais perfeita. Foi feita segundo a divina proporção (renascentista). Gala foi sua modelo viva para o quadro. 

Esperamos que tenha gostado de conhecer coisas interessantes sobre a vida de Salvador Dalí. Se quiser saber mais, não deixe de ler a sua biografia completa

Achamos que você também pode gostar de ler: