Salvador Dalí

Pintor espanhol
Por Dilva Frazão
Biblioteconomista e professora

Biografia de Salvador Dalí

Salvador Dalí (1904-1989) foi um pintor espanhol que se destacou por suas composições insólitas e desconexas. Com seu bigode sinuoso e com disposição para escandalizar foi um grande representante da "Estética Surrealista".

Salvador Domingo Dalí Domènech nasceu em Figueras, Catalunha, Espanha, no dia 11 de maio de 1904. Filho do tabelião Salvador Dalí Cusi e de Felipa Domènech, desde cedo revelou talento para o desenho.

Em 1922 foi levado para Madri para estudar na Escola de Belas-Artes de San Fernando, da qual seria expulso anos depois. Na capital espanhola ele fez amizade com o poeta Frederico Garcia Lorca e com o futuro cineasta Luís Bunuel.

Dalí chamava atenção com um figurino que mostrava sua personalidade excêntrica: com cabelos longos, gravata desproporcionalmente grande e uma capa que ia até os pés. Nessa época, realizava pinturas que passavam do realismo para composições cubistas como o Autorretrato com L’Humanité (1923):

Dalí
Autorretrato (1923)

Em 1925, Salvador Dalí realizou sua primeira mostra individual na Galeria Dalmau, em Barcelona. Entre suas criações da primeira fase destaca-se o quadro Moça à Janela (1925):

Salvador Dalí
Moça à Janela (1925)

Em 1926, Dalí foi expulso da Academia de Artes por se desentender com um professor e declarar que ninguém ali era capaz de avaliá-lo. Nesse mesmo ano, viajou para Paris e se encontrou com Picasso.

Em 1927 se instalou em Paris e tornou-se membro oficial do movimento Surrealista, liderado pelo poeta André Breton, que surgiu como reação ao racionalismo e ao materialismo da sociedade ocidental.

Usar o potencial do subconsciente como fonte de imagens fantásticas e de sonhos era o objetivo do grupo surrealista. Em 1929 volta à Espanha e produziu a tela Jogo Lúgubre (1929):

Dali
Jogo Lúgubre (1929)

Ainda em 1929, Dalí fez sua primeira mostra individual em Paris. Nessa época, conheceu Gala (Helena Ivanovna Diakonova), que entrou em sua vida depois de deixar o poeta Paul Éluard. Gala tornou-se sua companheira e modelo.

Em 1930, Dalí mudou-se com Gala para o sul da França e depois para Cadaqués, na Espanha, onde comprou uma casa.

Em 1931 realizou sua segunda exposição individual, em Paris, na Galeria Pierre Colle. Na mostra, entre outras obras, Dalí apresenta a tela Persistência da Memória (1931), com seus relógios derretendo. A obra, adquirida por um colecionador particular, em 1934, foi doada ao Museu de Arte Moderna de Nova Iorque.

Dali
Persistência da Memória (1931)

Na década de 30, Dalí produziu o melhor de sua obra: telas nas quais pessoas, animais, objetos e paisagens se fundem em composições insólitas. O pintor costumava dizer: “ A diferença entre mim e os surrealistas é que eu sou um surrealista”.

Sua pintura desconexa está bem representada na tela Composição Surrealista com Figuras Invisíveis (1936), onde no centro de uma paisagem desolada, uma cama e uma poltrona surgem vazias, mas conservam os contornos dos corpos ausentes:

Dalí
Composição Surrealista (1936)

Dalí se valia daquilo que batizou de “Método Paranoico-Crítico” na tentativa de representar o fluxo do inconsciente e dos sonhos. Suas estranhas imagens de sonhos foram retratadas tão nítida e realisticamente quanto possível em um modo de pintura que se assemelhava à fotografia em cores.

Em 1938, em uma visita a Londres, Salvador Dalí encontra-se com Sigmund Freud, a quem apresenta o quadro Metamorfose de Narciso (1937). Em 1939, o escritor André Breton o expulsou do grupo surrealista e criou um anagrama com o nome do artista para denunciar seu apetite por dinheiro: “Avida Dollars”.

Dali
Metamorfose de Narciso (1937)

Com o início da Segunda Guerra, Dalí refugiou-se nos Estados Unidos acompanhado de Gala, onde permanecem por oito anos. Em 1941, termina a autobiografia “Vida Secreta de Salvador Dalí”, publicada em 1942.

De volta à Espanha, em 1948, inicia a obra de ampliação de sua casa de Port Lligat. Em 1949, pinta a primeira versão da obra A Madona de Port Lligat, que é apresentada ao papa Pio XII, para aprovação.

Dalí
Madona de Port Lligat (1950)

Na década de 50, Salvador Dalí deu início a uma fase inspirada em obras-primas de pintores do passado, entre elas, A Cabeça Rafaelesca, e A Última Ceia:

Salvador Dalí
Cabela Rafaelesca (1951)
Salvador Dalí
A Última Ceia (1955)

Posteriormente, Dali alternou a pintura com o desenho de joias e ilustrações de livros. Em 1974 foi inaugurado em Figueras o Museu Dalí. Oito anos depois morreu Gala, fato que abalou sua atividade artística.

Salvador Dali faleceu em Figueras, Espanha, no dia 23 de janeiro de 1989.

Achamos que você também vai gostar de ler: 

Dilva Frazão
É bacharel em Biblioteconomia pela UFPE e professora do ensino fundamental.
Veja também as biografias de:
  • Pablo Picasso (1801-1973) foi um pintor espanhol. A Pomba da Paz, Guernica, L...
  • Joan Miró (1893-1983) foi um importante pintor, gravador, escultor e ceramist...
  • Francisco de Goya (1746-1828) foi um dos maiores mestres da pintura espanhola...
  • Diego Velázquez Diego Velásquez (1599-1660) foi um pintor espanhol, um dos maiores nomes do B...
  • El Greco (1541-1614) foi um pintor espanhol de origem grega, um expoente máxi...
  • Juan Gris (1887-1927) foi um pintor e escultor espanhol, contemporâneo de Pic...
  • Federico García Lorca (1898-1936) foi um poeta e dramaturgo espanhol. É consi...
  • Antonio Machado (1875- 1939) foi um poeta espanhol, vinculado à “Geração de 9...
  • Vicente Yáñez Pinzón (1462-1514) foi um navegador e explorador espanhol. Coma...
  • El Cid (1043-1099) foi um cavaleiro espanhol do Reino de Castela, um dos maio...