Se você é daqueles que mal acabou de abrir um livro e já está pensado no próximo que irá ler então chega junto, esse artigo é a sua cara!

Separamos para você a biografia dos 10 maiores escritores da literatura universal. Aproveite para se inspirar e adicionar mais títulos na sua lista de leitura.

1. Machado de Assis (1839-1908)

Machado de Assis

Falar de literatura brasileira e não citar o nome de Machado de Assis seria um crime. De origem humilde, filho de um pintor de paredes com uma imigrante açoriana, Machado enfrentou desde a mais tenra infância uma série de barreiras. Ele passou por dificuldades econômicas, ficou órfão cedo, também perdeu a irmã e teve que conviver com uma terrível epilepsia.

Mas superadas todas essas barreiras, se tornou um dos maiores nomes da literatura lusófona. Seu primeiro emprego foi aos 15 anos, na Imprensa Nacional, onde atuou como aprendiz de tipógrafo. Foi naquele ambiente que começou a dar os primeiros passos no mundo da escrita.

O primeiro poema publicado por Machado foi Ela, lançado no jornal Marmota Fluminense quando o novato tinha apenas 16 anos. Nesse mesmo jornal, atuou como revisor antes de começar a colaborar regularmente. Logo, virou colaborador de uma série de outros jornais - o Correio Mercantil, o Jornal do Comércio, a Gazeta de Notícias e a Revista Ilustrada.

Em paralelo, seguiu escrevendo ficção tendo publicado seu primeiro romance, Ressurreição, em 1872.

Machado continuou escrevendo até os seus últimos dias e teve uma vida inteira dedicada à literatura.

Conheça mais sobre o percurso de Machado de Assis.

2. José Saramago (1922-2010)

José Saramago

Vencedor do Prêmio Nobel de Literatura, é preciso dizer mais alguma coisa? José Saramago colecionou uma série de prêmios ao longo da vida como, por exemplo, o Camões.

Nascido em Santarém e criado em Lisboa, Saramago era filho de camponeses e se formou no ensino técnico como serralheiro mecânico. Para se sustentar, também trabalhou como funcionário público na área da saúde e da Previdência Social.

Seu primeiro romance foi publicado em 1947 e se chamava Terra do Pecado. Conforme foi se inteirando do meio, conseguiu trabalhos mais especializados como jornalista, tradutor e até diretor literário de uma editora. Em paralelo, seguia colaborando em diversas revistas e jornais.

Além de romances e crônicas, Saramago também escreveu poesia e se dedicou ao teatro.

Entre as suas obras mais celebradas estão Levantando do Chão (1980), Memorial do Convento (1982), O Ano da Morte de Ricardo Reis (1984) e História do Cerco de Lisboa (1989).

Descubra a vida e a obra de José Saramago.

3. William Shakespeare (1564-1616)

William Shakespeare

O nome por trás dos maiores clássicos do teatro - Hamlet, Othelo, Macbeth e Romeu e Julieta - é o de William Shakespeare, um nome incontornável da dramaturgia.

O escritor inglês começou a trabalhar quando tinha 13 anos depois de uma súbita falência da família. Quando se mudou para Londres, trabalhou como guardador de cavalos na porta do primeiro teatro da cidade. Foi lá que começou a a dar seus primeiros passos nos bastidores e representando papéis menores.

Bem relacionado, conseguiu alcançar o cargo de copista oficial da companhia de teatro. Ao todo, o escritor compôs 37 peças teatrais e 154 sonetos.

Conheça mais sobre William Shakespeare.

4. Fiódor Dostoiévski (1821-1881) 

Fiódor Dostoiévski 

Fiódor Dostoiévski escreveu obras-primas como Os Irmãos Karamázov (1880) e Crime e Castigo (1866).

Nascido na capital da Rússia, ficou órfão de mãe ainda cedo e teve o pai assassinado quando tinha 18 anos. Se formou em engenharia e começou a carreira literária fazendo traduções de obras de Balzac e Schiller.

Seus romances abordam questões existenciais e temas ligados à humilhação, culpa, suicídio, loucura e estados patológicos humanos. Apesar de ter a estabilidade de um cargo público, pediu demissão em 1944 para se dedicar exclusivamente ao seu primeiro romance, que veio a ser publicado dois anos mais tarde.

Uma curiosidade inusitada: Dostoiévski foi preso por motivos políticos e ficou em cárcere sob ameaça da condenação à pena de morte. Apenas no último minuto teve a pena alterada para deportação, tendo por isso vivido cinco anos na Sibéria cumprindo trabalhos forçados e depois mais cinco anos como soldado.

Conheça tudo sobre a interessantíssima vida de Fiódor Dostoiévski.

5. Jorge Luís Borges (1899-1986)

Jorge Luís Borges

Um dos maiores nomes da literatura latino americana é o do escritor Jorge Luís Borges. Nascido na capital da argentina, Borges atuou durante toda a sua vida como poeta, escritor e crítico literário.

Pasme: o primeiro conto do autor foi escrito quando ele tinha apenas 9 anos! La Visera Fatal foi inspirado em um episódio do clássico Dom Quixote.

Aos 15 anos Borges se mudou com a família para a Europa - primeiro viveram na Suíça e depois na Espanha.

Quando regressou ao seu país de origem, publicou seu primeiro livro de poemas, Fervor de Buenos Aires (1923), com inspiração surrealista. Em 1937 tornou-se diretor da Biblioteca Nacional e acabou por permanecer na instituição durante nove anos.

Borges nunca deixou de escrever e deixou como legado grandes obras como O Aleph (1943). O autor argentino também colecionou prêmios nacionais e internacionais.

Descubra mais sobre Jorge Luís Borges.

6. Franz Kafka (1883-1924)

Franz Kafka

Socialista, ateu, judeu e sionista, Kafka foi criado no berço de uma abastada família de comerciantes e se formou em direito em 1906.

Nascido em Praga, trabalhou em uma companhia de seguro, mas acabou por dedicar toda a sua vida à literatura. Suas obras foram publicadas em alemão e praticamente todas postumamente.

Com uma escritura dura e crua, seus livros entraram para o cânone ocidental. É da autoria dele os clássicos O Processo (1925), A Metamorfose (1916) e O Castelo (1926).

Seu estilo de escrita é marcado pelo realismo, pela crueza e pelo profundo detalhamento com que narra situações incomuns. Na obra O Processo (1925), por exemplo, o personagem principal é preso, julgado e executado por um crime que desconhece.

Nas suas obras há frequentemente um conflito entre os personagens e as instituições de poder, um embate que deixa clara a impotência do ser humano.

Que tal esmiuçar a trajetória de Franz Kafka?

7. Gabriel García Márquez (1927-2014) 

Gabriel García Márquez 

O colombiano Gabriel García Márquez recebeu o Prêmio Nobel de Literatura em 1982. Mais do que merecido, ele é a mente brilhante por trás de Cem Anos de Solidão (1967), Crônicas de Uma Morte Anunciada (1982) e Memórias de Minhas Putas Tristes (2004).

Gabriel resolveu que queria ser escritor quando tinha 17 anos, depois de ler A Metamorfose, um clássico do escritor aqui de cima, Franz Kafka. Mesmo sabendo da sua vocação, ainda assim cursou Direito e Ciência Política na Universidade Nacional da Colômbia.

Não concluiu o curso porque foi interrompido pelo "bichinho" da literatura e publicou seu primeiro conto A Terceira Resignação, no jornal El Espectador.

Em 1948, começou a atuar como jornalista em Cartagena. O primeiro romance - A Revoada - foi lançado em 1955. Sete anos mais tarde, mudou-se para os Estados Unidos onde atuou como correspondente.

Como se envolveu com o Partido Comunista e estreitou relações com Fidel Castro, Gabriel foi perseguido e não pode permanecer na América, tendo se exilado no México.

Espreite a biografia de Gabriel García Márquez.

8. Federico García Lorca (1898-1936)

Federico García Lorca

Um dos grandes destaques da literatura espanhola, Federico García Lorca é um dos astros do teatro e da poesia do século XX.

Nascido em Granada, filho de um empresário com uma professora, se formou em Direito profundamente influenciado pelos pais. Lorca já sabia qual era a sua vocação - a poesia -, mas ainda assim entrou para o curso para agradar os familiares.

Seu primeiro livro - Impressões e Paisagens (1918) - foi patrocinado pelo pai. Quando se mudou para Madrid, passou a ter ainda mais visibilidade e fez amizade com grandes nomes da intelectualidade espanhola como Salvador Dalí e Luís Buñuel.

Lorca revolucionou a sua geração ao lançar em 1920 a improvável peça O Malefício da Mariposa. Apesar de ter escrito muito para teatro, foi na poesia que fez o seu nome a partir da publicação do Livro de Poemas (1921).

O escritor morreu de modo trágico quando estava no topo da carreira: por representar uma oposição ao governo do general Francisco Franco foi fuzilado.

Leia mais sobre Federico García Lorca.

9. Charles Bukowski (1920-1994)

Charles Bukowski

Nascido na Alemanha, embora consagrado nos Estados Unidos, Henry Charles Bukowski Jr. escreveu seus primeiros poemas quando tinha 15 anos.

Interessado em escrita, entrou para o curso de Literatura na Los Angeles City College e lá ficou por dois anos.

Em 1944 publicou o seu primeiro conto (Aftermath of a Length of a Rejectio Slip) na Story Magazine. Seguiu escrevendo e publicando, embora ao longo dos anos acabasse frustrado com o não reconhecimento do seu trabalho.

Começou então a trabalhar como carteiro e aceitou alguns empregos temporários aleatórios. Rapidamente foi consumido pelo álcool e enfrentou problemas graves com a bebida.

Publicou uma série de poemas em revistas de literatura e conseguiu, em 1969, finalmente se dedicar só aos seus livros. Entre os seus trabalhos principais estão Notas de Um Velho Safado, O Amor é Um Cão dos Diabos e Crônicas de Um Amor Louco.

Conheça melhor a história de vida de Charles Bukowski.

10. Antoine de Saint-Exupéry (1900-1944)

Antoine de Saint-Exupéry

Como dizer o nome desse senhor e não ser imediatamente transportado para a infância? Antoine de Saint-Exupéry, o autor do clássico O Pequeno Príncipe (1943), nasceu em Lyon (França) no berço de uma família de condes que empobreceu.

Aos 21 anos entrou para o serviço militar. Ele havia tentado ingressar na Escola Naval, mas foi reprovado, tendo entrado somente no Regimento de Aviação de Estrasburgo onde se tornou piloto civil e subtenente da reserva.

Cinco anos mais tarde, foi trabalhar como piloto da Aéropostale. É desse período o livro O Aviador (1926). Três anos depois, foi a vez de lançar Correio do Sul (1929). Antoine dividia seu tempo entre a aviação e a literatura. Ah! O rapaz também era desenhista amador.

Sua obra-prima foi escrita em 1943, a convite de editores americanos que o desafiaram a escrever para crianças. Sucesso na América, o clássico foi se espalhando ao redor do globo e até os dias de hoje é dos livros mais vendidos do planeta.

Fique por dentro da história de Antoine de Saint-Exupéry.

Se não pode perder uma leitura experimente ler também os textos: