Às vezes você se pergunta como chegamos onde chegamos? Gostaria de conhecer mais a fundo a trajetória do seu país? Quer saber quem foram os maiores protagonistas da nossa história? Então esse texto foi mesmo feito para você!

Seria impossível falar da história do Brasil sem mencionar alguns dos nomes abaixo. Relembre com a gente quem foram os dez mais importantes políticos que ajudaram a escrever o nosso percurso.

1. Lula (1945)

Lula

Com certeza você conhece alguém que ama o Lula - e também com certeza conhece alguém que o detesta. O ex-presidente do nosso país costuma despertar as mais antagônicas emoções. 

Nascido no interior de Pernambuco, filho de um casal de lavradores, Lula veio parar em São Paulo a bordo de um caminhão pau de arara, ao lado da mãe e dos sete irmãos. Depois de mudar de Estado, trabalhou em uma tinturaria, foi engraxate, office boy, atuou em um armazém e em uma fábrica de parafusos.

Quando entrou para o curso de torneiro mecânico, começou a se mobilizar com os sindicatos locais. A sua carreira política deu os primeiros passos ali, tendo mais tarde se envolvido com a liderança do PT. 

Lula tentou ser presidente da República nas seguintes ocasiões: em 1989 (quando foi derrotado por Collor), em 1994 e em 1998 (quando foi derrotado por Fernando Henrique Cardoso). A quarta tentativa foi de vez - em 2002 - quando se elegeu tendo vencido José Serra.

Conheça a biografia completa de Luiz Inácio Lula da Silva.  

2. José Sarney (1930)

José Sarney

Com décadas de vida política, José Sarney foi o primeiro presidente civil após o golpe militar de 1964. Na verdade, Sarney foi eleito vice-presidente, mas com a morte do presidente Tancredo Neves (que não chegou a assumir o cargo) tornou-se presidente do país. O cargo foi ocupado por Sarney entre 1985 e 1990.

O percurso político de Sarney começou ainda na juventude, durante a faculdade de Direito, onde participou dos movimentos estudantis, tendo sido presidente da União Maranhense dos Estudantes.

O primeiro cargo com repercussão nacional foi assumido em 1955: Sarney se tornou suplente de deputado federal pela União Democrática Nacional (UDN). Conseguiu se eleger deputado federal em 1963 e, em 1965, tornou-se governador do Maranhão.

Anos mais tarde, foi também senador (eleito em 1971 e 1979) e  presidente nacional da Arena. Um dos responsáveis pela redemocratização do país, Sarney ajudou a legalizar a pluralização dos partidos políticos.

Saiba mais sobre o percurso de José Sarney

3. Fernando Henrique Cardoso (1931)

Fernando Henrique Cardoso

Fernando Henrique Cardoso foi presidente durante dois mandatos seguidos (de 1995 a 2002). Aliás, o senhor entrou para a história como sendo o primeiro presidente brasileiro a se reeleger para um segundo mandato, sabia? 

Formado em Ciências Sociais, Fernando Henrique se especializou em Sociologia e chegou a ser professor da Faculdade de Economia da USP. Com uma notável carreira acadêmica, fez uma pós-graduação em Paris. Como consequência dos anos de chumbo, ele se exilou no Chile, na Argentina e na França. 

Em 1980 fundou o Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) e tornou-se um dos maiores nomes do movimento Diretas Já. Atuou como senador, fundou o Partido Social Democrático Brasileiro (PSDB), foi ministro das Relações Exteriores e Ministro da Fazenda. 

Nesse último cargo, levou a frente o plano real, responsável pela estabilização econômica do país e pela contenção da inflação.

Descubra o percurso político de Fernando Henrique Cardoso

4. Dilma Rousseff (1947)

Dilma Roussef

Essa faz parte do nosso passado recente... Dilma foi a primeira mulher a presidir o Brasil, tendo inclusive conseguido ser reeleita. Já familiarizada com os meandros do poder, Dilma foi durante cinco anos ministra da Casa Civil (2005-2010) do governo Lula.

Filha de um imigrante búlgaro com uma professora, Dilma nasceu em Minas Gerais e ainda na juventude se aproximou de ideais socialistas. Ela chegou a atuar na luta armada durante os anos de chumbo e foi capturada e torturada pelo regime militar. 

Formada em Economia e com cargos técnicos no governo, se aproximou de Lula e foi Ministra de Minas e Energia antes de assumir a Casa Civil. 

Dilma sofreu um impeachment em 2016 que fez com que o seu segundo mandato fosse interrompido dando lugar a Michel Temer.

Descubra o percurso de Dilma Rousseff.

5. Marielle Silva (1979-2018)

Mariellle Silva

Marielle Silva é a única figura dessa lista que já não está entre nós. Brutalmente assassinada em março de 2018, seu nome entrou para a história do Brasil por um motivo trágico.

Formada em Sociologia, Marielle era negra, mulher, foi criada em uma favela carioca (o Complexo da Maré) e era assumidamente lésbica. Representante de minorias no Estado do Rio de Janeiro, ela presidiu a Comissão da Mulher da Câmara e foi uma defensora firme dos direitos humanos e das causas LGBTI. 

Marielle começou a sua vida profissional como vendedora ambulante, chegou a ser dançarina, empregada doméstica e educadora infantil. Muito ativa na sua comunidade, em 2006 entrou para a campanha política de Marcelo Freixo, que tornou-se seu padrinho político. 

A socióloga conseguiu pelo PSOL se eleger com 46.502 votos se tornando a quinta vereadora mais bem votada da cidade. Durante o tempo que atuou politicamente, apresentou 16 projetos de lei.

Desvende mais sobre a história de vida de Marielle Silva.

6. Jean Willys (1974)

Jean Willys

Nascido no interior da Bahia, Jean Wyllys ganhou visibilidade nacional depois de vencer o Big Brother Brasil edição 2005. Formado em Jornalismo com um mestrado em Letras, Jean se tornou um político ativo em defesa da democracia, dos direitos humanos e LGBTI.

Seu percurso político começou ainda na faculdade militando no movimento estudantil. Também durante a juventude participou do Grupo Gay da Bahia e do Movimento Negro Unificado.

Em 2010 se elegeu pelo PSOL com 13.000 votos para o cargo de Deputado Federal pelo Rio de Janeiro. Quatro anos mais tarde, se reelegeu para o mesmo cargo também com o PSOL, mas dessa vez contou com 144.770 votos. Em 2018 repetiu o feito, embora com uma votação bem menos expressiva (24.295 votos).

Em paralelo com a vida política, Jean também se dedica à escrita tendo quatro livros publicados e algumas colunas regulares em diversos meios de comunicação. 

No dia 28 de janeiro de 2019, o político resolveu deixar o Brasil depois de ter recebido uma série de ameaças de morte.

Leia a biografia completa de Jean Wyllys.

7. Marina Silva (1958)

Marina Silva

Acima de tudo uma ambientalista convicta, assim poderia ser definida Marina Silva. Ela chegou a receber das mãos do príncipe Philip (da Inglaterra) a Medalha Duque de Edimburgo pela sua luta em defesa da Amazônia brasileira. 

Essa senhora que defende com unhas e dentes os seus ideias nasceu no seringal (a 70 km da capital Rio Branco). Filha de seringueiros que tiveram 11 filhos, apenas oito sobreviveram. Em um contexto de pobreza, aos 14 anos começou a ajudar o pai a vender borracha. 

Depois de pegar uma hepatite, foi para a capital do Estado se tratar, tendo sido acolhida por uma casa de irmãs. Apenas com 16 anos aprendeu a ler e a escrever. Com sede de conhecimento fez supletivo e conseguiu se formar em História pela Universidade Federal do Acre. 

No campo da política fundou com Chico Mendes a Central Única dos Trabalhadores (a CUT). Em 1988 foi eleita vereadora, dois anos mais tarde, deputada estadual. Em 1994 tornou-se senadora pelo Acre e, no ano a seguir, ocupou o cargo de Secretária Nacional de Meio Ambiente e Desenvolvimento do PT.

Marina foi ministra do Meio Ambiente do governo Lula. Em 2009 tentou se candidatar à Presidência da República, mas perdeu nas urnas.

Conheça a biografia completa de Marina Silva

8. Aécio Neves (1960)

Aécio Neves

Político e economista, Aécio Neves é neto do ex-presidente da República Tancredo Neves. Com uma longa carreira política, já foi deputado federal, senador, governador e concorreu à Presidência da República em 2014.

Seu percurso começou ao lado do avô quando atuou como secretário pessoal. Apesar de ter sido eleito diretor da Caixa Econômica Federal, se candidatou ao cargo de deputado federal e cumpriu quatro mandatos seguidos (de 1986 a 2002).

Aécio ajudou a formular a Constituição Brasileira - ele chegou a apresentar a proposta que deu direito ao voto facultativo para os jovens entre 16 e 18 anos. Também propôs o fim da imunidade parlamentar para quem cometesse crimes comuns e criou o código de Ética e Decoro Parlamentar.

O mineiro se elegeu pelo seu Estado como governador duas vezes: no primeiro ano (em 2002) obteve 60% dos votos e no segundo (em 2006) 77%. Quatro anos mais tarde, conquistou o título de senador mais votado da história por Minas Gerais.

Em 2014 se candidatou para a Presidência e chegou a ir para o segundo turno, mas perdeu as eleições.

Descubra a trajetória de Aécio Neves.

9. Jair Bolsonaro (1955) 

Jair Bolsonaro

O atual presidente do Brasil é também capitão da reserva e foi eleito com 55,13% dos votos. Nascido em São Paulo, Bolsonaro é descendente de uma família italiana e desde a juventude seguiu carreira militar.

Tendo sido aluno da Escola Preparatória de Cadetes do Exército (em Campinas), se formou na Academia Militar das Agulhas Negras (em Resende). Dentro do exército, alcançou o cargo de Capitão.

Bolsonaro entrou para a política em novembro de 1988 quando foi eleito para a Câmara Municipal do Rio de Janeiro pelo Partido Democrata Cristão (PDC). Dois anos depois, se tornou deputado federal.

Em 1994, 1998, 2002, 2006 e 2014 foi reeleito para o cargo de deputado federal, sempre lutando pela progressão salarial na carreira militar e por causas da extrema direita. 

Em 2018 se candidatou à Presidência da República pelo Partido Social Liberal (PSL). Venceu o primeiro turno e foi para o segundo contra Fernando Haddad, tendo superado o concorrente.

Bolsonaro tomou posse no dia 1º de janeiro de 2019 e se tornou o 38º Presidente do Brasil.

Saiba mais sobre o percurso de Jair Bolsonaro

10. Fernando Haddad (1963)

Fernando Haddad

Antes de tentar a Presidência, Fernando Haddad foi prefeito de São Paulo (2013-2016).

Descendente de libaneses, Haddad se formou em direito e já na faculdade começou a participar do movimento estudantil. Aos 21 anos foi eleito presidente do Centro Acadêmico XI de Agosto. Nessa ocasião, também participou do movimento Diretas Já, que exigia o voto direto para a Presidência da República. 

Depois de cursar a graduação fez mestrado em Economia na USP e doutorado em Filosofia na mesma instituição. Haddad se tornou professor universitário e também trabalhou como analista e consultor. 

Em 2001, durante o governo de Marta Suplicy, foi convidado para liderar o gabinete da Secretaria de Finanças e Desenvolvimento Econômico do Município de São Paulo. Nesse mesmo ano, foi chamado por Guido Mantega para fazer parte da sua equipe no Ministério do Planejamento em Brasília.

Em 2004 tornou-se Secretário-Executivo do ministro da educação Tarso Genro e, no ano a seguir, assumiu o Ministério da Educação durante o governo Lula.

Em 2018 foi indicado pelo PT para concorrer a Presidência da República, tendo como vice Manuela d'Ávila. Haddad passou para o segundo turno, mas perdeu para Jair Bolsonaro.

Se a política te interessa, então achamos que você também irá gostar de ler: