Os 6 líderes mundiais da atualidade

Rebeca Fuks
Rebeca Fuks
Doutora em Estudos da Cultura

As personalidades escolhidas estão frequentemente nos telejornais. Seus nomes estampam jornais e revistas e são assunto para boa parte das pessoas.

Se precisássemos resumir essa pauta em algumas palavras, elas seriam: esses são os caras que dão as cartas do jogo na atualidade.

Conheça um pouco da história por trás desses grandes players da política internacional.

Emmanuel Macron (França)

Emmanuel

Nascido em 1977, Emmanuel Macron é o presidente francês mais jovem da história do seu país, tendo sido eleito em 2017, aos 39 anos.

Formado em política internacional, com mestrado em políticas públicas e filosofia, Macron chegou a ser assistente editorial do filósofo contemporâneo Paul Ricoeur.

Sua carreira no serviço público começou em 2004 como inspetor financeiro do Ministério da Economia e Finanças. Depois de abandonar o serviço público, migrou para a iniciativa privada e atuou como banqueiro de investimentos. 

Quando François Hollande assumiu a presidência, Macron tornou-se vice-chefe de gabinete e assessor econômico. Em 2014, tornou-se Ministro das Finanças. Em 2016, se distanciou de Hollande e começou a ensaiar a sua candidatura à presidência, fato que tomou corpo no ano a seguir.  

Uma curiosidade interessante: Macron é casado desde 2007 com Brigitte Trogneux, sua antiga professora de teatro durante os anos de escola.

Joe Biden (EUA)

retrato de Joe Biden

Joseph Robinette Biden é o atual presidente dos EUA, assumindo o cargo após Donald Trump. 

Nascido em 20 de novembro de 1942, ele é o presidente mais velho a comandar o país.

Biden se formou em direito e advogou por pouco tempo em uma empresa, indo trabalhar como defensor público. Aos 29 anos entra para a política, atuando como representante do estado de Delaware no Senado de 1973 a 2009.

O político também ministrou aulas na Widener University School of Law. Entre 2009 e 2017 foi o vice-presidente de Barack Obama.

Para saber mais, leia a Biografia de Joe Biden.

Vladimir Putin (Rússia)

Putin

Vladimir Putin está a frente da Rússia há três mandatos consecutivos (2000, 2004 e 2012). Ele é o presidente que esteve no cargo há mais tempo desde a extinção da União Soviética. 

Formado em Direito, Putin era do Partido Comunista e entrou para o Serviço de Espionagem Russo (o KGB), onde alcançou a patente de coronel. Anos mais tarde, chegou a ser nomeado diretor do Serviço Federal de Segurança (antigo KGB).

Em termos políticos, foi vice-prefeito de São Petersburgo, e primeiro-ministro da Rússia em 1999, quando Boris Yeltsin renunciou. Logo tornou-se presidente interino e em 2000 venceu as eleições para a presidência. 

Putin foi reeleito em 2004 para um segundo mandato. Como não poderia cumprir três mandados consecutivos, indicou Dmitri Medvedev, seu primeiro-ministro, para a presidência. Seu candidato venceu e foi a vez de Putin assumir o cargo de primeiro-ministro.

Em 2011, Putin foi novamente eleito para a presidência.

Saiba mais sobre a carreira de Vladimir Putin.

Xi Jinping (China)

Xi

Esse senhor discreto conhecido como Xi Jinping foi vice-presidente da China (2008-2013), secretário geral do Partido Comunista Chinês (2012) e é desde 2013 presidente da China.

Tudo começou em 1974, quando Xi virou membro oficial do Partido Comunista. Em 1975, ingressou no curso de engenharia química na Universidade de Tsinghua, em Pequim. 

Seu primeiro cargo político foi ocupado em 1982, quando virou vice-secretário do partido na província de Hebei. Ocupando cargos dentro do partido, só em 1999 Xi Jinping conquistou uma vitória importante: virou governador de Fujian.

Durante o seu mandato presidencial, ficou conhecido por ter sido implacável com funcionários corruptos (mais de um milhão foram pegos e punidos).

Na vida pessoal, vale sublinhar que desde 1987 o político é casado com a cantora folclórica Peng Liyuan. 

Narendra Modi (Índia)

Narendra

Antes de ser primeiro-ministro da Índia, Narendra Damodardas Modi foi chefe de governo durante treze anos do Estado de Gujarat (oeste da Índia), localidade onde nasceu. 

Com um mestrado em Ciências Políticas pela Universidade de Gujarat, Narendra criou uma união estudantil. Seu primeiro grande cargo foi em 1995, quando se tornou secretário da organização nacional do Partido Bharatiya Janata (BJP) em Nova Deli. Três anos depois, virou secretário geral.

Em outubro de 2001, substituiu o então ministro-chefe de Gujarat. No ano a seguir, foi eleito para um assento na Assembleia Estadual de Gujarat. Durante o período que esteve a frente do governo de Gujarat Narendra, ficou conhecido por ser um administrador competente e ter ajudado no crescimento da economia.

Narendra Modi foi empossado como primeiro-ministro no dia 26 de maio de 2014. Seu mandato está sendo marcado pelo investimento em infraestrutura, em transportes, pela implementação de reformas na economia e pela melhoria de relações diplomáticas com outros países.

Ele é candidato a reeleição na próxima corrida presidencial que ocorrerá na primavera de 2019.

Kim Jong-un (Coreia do Norte)

Kim

Nascido em 1984, o ditador Kim Jong-un tem representado uma dor de cabeça para uma boa parcela do Ocidente. Ele ganhou o poder depois do falecimento do pai, Kim Jong-il, em dezembro de 2011.

Pouco se sabe sobre a vida do ditador, que sempre foi bastante discreto. Supostamente educado na Suíça, na juventude começou a acompanhar o pai em visitas a inspeções militares. 

Em 2009 foi nomeado chefe do Departamento de Segurança do Estado (órgão responsável pela inteligência e pelo controle político). Dois anos mais tarde, com a morte do pai, Kim Jong-un foi declarado líder supremo do país.

Kim Jong-un é frequentemente citado nos noticiários por conta do programa que implementa aceleração de armas nucleares.

Se você gostou de descobrir a biografia dos maiores líderes mundiais, experimente desvendar também:

Rebeca Fuks
Rebeca Fuks
Formada em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2010), mestre em Literatura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2013) e doutora em Estudos de Cultura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e pela Universidade Católica Portuguesa de Lisboa (2018).