A biografia dos 10 ativistas que mudaram o mundo

Rebeca Fuks
Rebeca Fuks
Doutora em Estudos da Cultura

Você provavelmente já ouviu falar no nome desses corajosos homens e mulheres que desafiaram o statuo quo

Idealistas, eles não se conformaram quando se depararam com as injustiças que viram no meio do caminho. 

Conheça agora um pouquinho da biografia desses dez ativistas que mudaram o rumo da História. 

1. Martin Luther King (1929-1968)

Matin Luther King

Seria super injusto falar na luta contra o racismo sem mencionar logo de cara o nome de Martin Luther King. O ativista norte-americano dedicou a sua vida ao combate à discriminação racial.

Seu trabalho foi tão importante que lhe rendeu um Prêmio Nobel da Paz, recebido em 1964.

Formado em teologia e pastor de uma igreja protestante, Martin Luther King sempre teve contato com o público e sentiu na pele o preconceito que atingia principalmente os negros do sul dos Estados Unidos. Indignado com as restrições que assistiu o povo negro sofrer calado, resolveu ser o porta-voz da causa e iniciar a sua luta em 1955.

A estratégia de Martin era a luta pacífica (inspirada em Mahatma Gandhi). É dele o famoso discurso I Have a Dream (Eu Tenho um Sonho).

Conheça a biografia completa de Martin Luther King.

2. Chico Mendes (1944-1988)

Chico Mendes

Esse corajoso é nosso! Chico Mendes foi um sindicalista brasileiro, líder seringueiro e ativista ambientalista que lutou até os seus últimos dias pela preservação da Amazônia. 

Filho de seringueiro, Chico Mendes desde criança via a luta do pai no seringal e só foi alfabetizado aos 19 anos. Em 1975, ele começou a atuar como sindicalista, sendo porta-voz de todos aqueles que viviam em condições de trabalho degradantes. 

Chico Mendes também denunciou o massacre dos povos indígenas da região. Não por acaso, o ativista começou a receber uma série de ameaças de morte dos fazendeiros, que enxergavam na figura do seringueiro alguém que poderia atrapalhar os negócios. 

A trágica história resultou em assassinato, mas o legado deixado por Chico Mendes resiste até os dias de hoje.

Descubra a incrível biografia de Chico Mendes.

3. Helen Keller (1880-1968)

Helen Keller

Essa escritora e ativista norte-americana, apesar de todas as suas limitações físicas (Helen era cega e surda), foi porta-voz da luta pela defesa das mulheres e das pessoas com deficiência.

Com uma história marcada pela superação, Helen foi a primeira cega e surda a cursar o ensino superior: Helen se formou em Filosofia pelo Radcliffe College.

A moça, aos poucos, conseguiu se integrar cada vez mais na sociedade, tendo inclusive escrito uma série de artigos. Helen viajou por mais 35 países e foi conselheira da American Foundation for the Blind.

Gostou de conhecer essa figura pioneira? Descubra mais sobre o percurso de Helen Keller.

4. Antonio Gramsci (1891-1937)

Antonio Gramsci

O italiano Antonio Gramsci não é lá muito conhecido entre os brasileiros, mas a sua luta pelos ideais que acreditava fez com que ele garantisse um lugar cativo nessa lista. Jornalista e intelectual, Antonio foi um dos fundadores do Partido Comunista da Itália.

Gramsci precisou enfrentar uma série de desafios pessoais ao longo da sua caminhada, entre eles uma deformidade na coluna e apuros financeiros (a família Gramsci ficou em maus lençóis depois do pai ter sido acusado de desviar verbas públicas). Mas, Antonio conseguiu dar a volta e graças a sua inteligência brilhante recebeu prêmios e bolsas de estudo ao longo da vida. 

Interessado em política, se filiou ao Partido Socialista Italiano. Foi eleito deputado, tornou-se um líder da esquerda. Com a ascensão de Mussolini, o político acabou por ser processado, condenado e passou o resto dos seus dias na prisão submetido à péssimas condições. 

Saiba mais sobre a biografia de Antonio Gramsci.

5. Betinho (1935-1997) 

Betinho

Sociólogo, ativista, preocupado com os mais carentes - esse foi Betinho.

Betinho era hemofílico, assim como os seus irmãos, a doença fora herdada da mãe. Era também soropositivo. Apesar das suas condições de saúde não serem as melhores, o bravo seguiu com a luta na tentativa de diminuir o abismo social característico da sociedade brasileira.

O ativista também foi um grande nome na luta pelos indígenas e no processo de conscientização para a reforma agrária. 

Desvende mais sobre a trajetória de Betinho.

6. Nelson Mandela (1918-2013)

Nelson Mandela

O presidente da África do Sul foi líder do movimento contra o Apartheid (legislação que segregava os negros no seu país de origem).

Sua luta lhe rendeu a prisão perpétua (Mandela foi condenado em 1964 e felizmente foi libertado em 1990), mas também lhe proporcionou um Prêmio Nobel da Paz, recebido em 1990. 

Formado em Direito pela primeira Universidade da África do Sul a aceitar alunos negros, Mandela foi à luta para abolir absurdos como a proibição do casamento interracial e a obrigatoriedade de inscrição da raça nas certidões de nascimento.

Na sua época, era usual encontrar também espaços separados para negros e brancos como nas escolas, por exemplo. Mandela não se calou diante da injustiça e resolveu fazer a sua parte para dar um fim à segregação. 

Conheça mais sobre os ideias igualitários de Nelson Mandela

7. Rosa Parks (1913-2005)

Rosa Parks

O movimento de direitos civis dos negros norte-americanos teve grandes nomes, entre eles o de Rosa Parks. Seu nome entrou para a história quando a moça se negou a ceder o seu lugar a um branco em um ônibus. A situação se passou no Alabama e a polícia chegou a ser chamada levando Rosa para a prisão. 

Rosa trabalhava como costureira e era casada com Raymond Parks, um membro da Associação Nacional para o Progresso de Pessoas de Cor. Muito estimulada pelo marido, a mulher começou a militar pela causa.

O seu gesto histórico de se negar a dar lugar para um branco no ônibus provocou um enorme protesto e um boicote sem precedentes à empresa de transporte em questão. Sua atitude corajosa ajudou a alcançar a declaração de inconstitucionalidade das leis de segregação, que só aconteceu em 1956.

Gostou de conhecer esse caso? Então investigue mais a fundo a biografia de Rosa Parks.

8. Malcolm X (1925-1965) 

Malcolm X

Além de Rosa, outros nomes engrossaram o coro para compor o movimento pelos direitos civis dos negros nos Estados Unidos. Malcolm X foi um dos engajados na causa e foi também um dos nomes mais polêmicos do grupo. 

O ativista foi engraxate e funcionário de uma estação ferroviária. Teve uma vida boêmia e acabou por entrar no mundo do crime. Na prisão, começou a estudar o Islã e tornou-se religioso. 

Idealista, Malcolm X queria criar um Estado autônomo para os negros. Ele fundou em 1964 a organização Afro-American Unity, para unir afrodescendentes, e se tornou um dos grandes líderes do movimento.

Leia a biografia completa de Malcolm X.

9. Maria da Penha (1945)

Maria da Penha

Um ícone na luta em defesa das vítimas de violência doméstica, essa é Maria da Penha Maia Fernandes. 

Maria da Penha foi uma figura tão importante que o seu nome batizou a Lei nº 11.340, sancionada pelo presidente Lula, que nos dias de hoje protege as mulheres vítimas de agressão. 

Essa ativista sofreu na pele as dores de um parceiro violento: seu marido, o colombiano Marco Antonio Heredia Viveros, lhe deu um tiro nas costas enquanto ela dormia. Maria da Penha ficou paraplégica, mas essa foi apenas a primeira vez que ela escapou da morte nas mãos do suposto parceiro, as agressões ainda continuaram até ela conseguir denunciar o caso. 

Saiba mais sobre a luta da ativista Maria da Penha

10. Pierre Bourdieu (1930-2002)

Pierre Bourdieu

Esse é um ativista intelectual! Pierre Bourdieu foi um sociólogo e pensador francês. Munido dos livros e de muito estudo ele renovou a Sociologia e a Etnologia. 

Interessado em compreender melhor a sociedade, Pierre promoveu uma série de pesquisas sobre a vida cultural e os hábitos de consumo dos franceses (e também dos europeus). Ele fez um verdadeiro raio X social e ajudou a compreendermos melhor as engrenagens que movem o mundo Ocidental. 

Graças aos seus estudos, Bourdieu é tido até os dias de hoje como um dos mais importantes intelectuais contemporâneos. 

Conheça a trajetória pessoal e acadêmica de Pierre Bourdieu.

Se você gostou de saber mais sobre os ativistas que mudaram o mundo, que tal ler também:

Rebeca Fuks
Rebeca Fuks
Doutora em Estudos da Cultura
Formada em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2010), mestre em Literatura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2013) e doutora em Estudos de Cultura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e pela Universidade Católica Portuguesa de Lisboa (2018).