Isaac Newton (1643-1727) é um dos nomes mais conhecidos da história da humanidade. Considerado um gênio da ciência, o cientista inglês teve uma vida longa, e solitária, onde desenvolveu suas obras acerca da mecânica, física, química, matemática e até alquimia. 

Neste artigo, viajamos pela biografia do mestre em seus 10 momentos e invenções mais marcantes.  

1. Nasce o gênio Isaac Newton, órfão de pai 

Isaac nasceu prematuro em Woolsthorpe, uma pequena aldeia da Inglaterra. O pai tinha acabado de morrer. A mãe casou-se de novo e Isaac foi viver com os avós aos 3 anos de idade. Por 8 anos teve pouco contato com a mãe, até que o padrasto faleceu e ela o quis de volta para ajudar na administração dos bens da família. 

2. O início da vida acadêmica de Isaac Newton 

Quando completou 17 anos, Isaac era o melhor aluno da sala no ensino médio. Sua mãe o queria cuidando da fazenda da família, mas um de seus professores interveio para que, em vez de trabalhar na lavoura, Newton pudesse ir para a Universidade. A mãe, ainda que a contragosto, concordou. 

3. Isaac Newton ingressa na Trinity College e formula o Binômio de Newton

estatua de newton
Estátua de Isaac Newton na capela da Trinity College, em Cambridge, Reino Unido.

Era 1660, Isaac tinha 18 anos de idade, era autodidata e gostava de ficar sozinho, pois tinha uma personalidade mais introspectiva. 

Estudou artes na Trinity College, da Universidade de Cambridge, mas sempre teve interesse por matemática e física. Foi assim que conheceu os estudos de René Descartes sobre a filosofia cartesiana, e posteriormente as ideias de movimento e gravidade e Galileu, Kepler e a própria geometria de Descartes.

Apaixonado por álgebra e matemática, entre 1663 e 1664 aprendeu tudo o que podia sobre as temáticas. Foi nessa época que formulou o teorema conhecido atualmente como Binômio de Newton

4. A peste negra leva às  descobertas mais importantes de Newton

Newton formou-se em 1664 e ganhou uma bolsa de pós-graduação para continuar na Universidade. Mas sua estadia em Cambridge foi interrompida por um surto de peste negra, que o obrigou a ficar em casa. Por 18 meses isolou-se, desenvolvendo ideias de matemática e ótica, e começou a trabalhar na Lei da Gravidade. 

Em 1967 um dos seus trabalhos mais importantes foi concluído, o Cálculo Diferencial e Integral

5. A natureza da luz e o telescópio de Newton 

telescópio newtoniano
Uma réplica do Telescópio Newtoniano.

Ele também se dedicava ao estudo da luz, e através de um prisma descobriu que a cor é uma propriedade da luz e não dos objetos, uma combinação de refrações. Desvendada a natureza das cores, Newton decidiu construir um telescópio onde a ampliação de imagens era feita por um espelho e não por lentes. Era o telescópio de reflexão

Uma curiosidade é que a Royal Society, instituição destinada à promoção do conhecimento científico inglês, ouviu falar de sua invenção, o que levou Newton a publicar seu ensaio sobre a luz, que, pasmem! Foi ridicularizado na comunidade científica

Na época o cientista, que já era introspectivo, fechou-se ainda mais e jurou nunca mais publicar seus estudos. 

6. Isaac Newton desenvolve a Lei da Gravitação Universal

A história mais célebre do mundo da ciência é a da descoberta repentina de Newton sobre a gravidade quando uma maçã caiu de uma árvore em sua cabeça. Nem todos os historiadores concordam que essa história é verdade, mas fato é que o cientista conseguiu provar que cada partícula de matéria atrai outras partículas, é o que nos mantém no chão, por exemplo. Newton também desenvolveu os cálculos capazes de estabelecer as forças entre os corpos. 

Posteriormente esse seu estudo feito durante o período da peste negra evoluiu para o que hoje é conhecido como as Leis de Newton, as três leis dos corpos em movimento que são o fundamento da mecânica clássica.

Até hoje esta é considerada uma das principais descobertas científicas da história. 

7. Newton e a sua ligação com a alquimia

Quando o perigo da peste passou, em 1667, Newton voltou para a Universidade, tornando-se professor de matemática dois anos depois, aos 27 anos de idade. Para assumir o cargo, precisou tornar-se ministro da Igreja Anglicana. Foi estudando sobre o cristianismo que chegou à conclusão de que a Santíssima Trindade era uma farsa mas, claro, não poderia dizer isso em público, pois a religião era muito valorizada.  

Assim, ele se voltou para a alquimia, com o intuito de provar que havia espírito, Deus, em todas as transformações da natureza. Apesar de ter feito boas descobertas e desenvolvidas outras ideias no tempo que se dedicou aos estudos alquimistas, esta foi uma das teorias que Newton não conseguiu provar por meio da ciência. 

8. A consagração de Isaac Newton 

primeira edição de Principia
Primeira edição Principia, com anotações do próprio Isaac Newton.
O livro pode ser visto na Biblioteca Wren do Trinity College, em Cambridge. 

Em 1672, aos 30 anos de idade, Newton foi eleito como membro da Royal Society. Em paralelo lecionava, aprimorava os seus estudos em Movimentos Giratórios dos Corpos. 

Em 1687 publica a sua obra mais importante, Principia, ou Princípios Matemáticos da Filosofia Natural, considerado um clássico do raciocínio retórico e lógico, onde descreveu a estrutura do universo, a massa dos planetas, como os cometas se movem e outras descobertas científicas importantes que afetaram para sempre a ciência e a vida do homem. 

Mostrando como o tempo é quantitativo, ou seja, o que acontecia em um momento não podia ser calculado em outro momento, o cientista impulsionou o Homem usar as leis da natureza para tentar controlar o seu destino, o que foi inédito. 

9. Os anos finais da vida de Isaac Newton 

Retrato de Isaac Newton
Retrato de Isaac Newton (1717) - Charles Jervas

Foi depois do lançamento de Principia que Isaac Newton tornou-se famoso e querido pela realeza inglesa, chegando a ser outorgado com o título de Sir, nunca antes concedido a qualquer cientista. 

Em 1693, no entanto, aos 50 anos de idade, teve um colapso nervoso, e historiadores contam que depois disso nunca mais conseguiu desenvolver bem a sua vida. 

Chegou a ser diretor da Casa da Moeda britânica, e administrou bem esse cargo público que durou até a sua morte. 

10. A morte de Isaac Newton 

Sir Isaac Newton, apesar de célebre, vivia sozinho, isolado e não se dava bem em sociedade. Ainda assim, quando faleceu aos 84 anos de idade, tinha um status glorioso na Inglaterra e seu funeral foi digno de um rei.

Sua morte foi resultado de diversos problemas renais que o acompanhavam nos últimos anos de vida. 

Hoje Isaac Newton é lembrado como o homem que através da matemática abriu as portas para a exploração do espaço. Alexandre Pope, um dos maiores poetas britânicos da história, escreveu os dizeres para o seu túmulo (apesar do que não foi permitido colocá-lo na Abadia de Westminster):  

A natureza e as leis da natureza estavam imersas em trevas; Deus disse "Haja Newton" e tudo se iluminou.

Quer saber ainda mais sobre a vida do cientista? Então leia a sua biografia completa.