Os 12 reis e rainhas mais importantes da Inglaterra

Laura Aidar
Laura Aidar
Formada em Comunicação

A Inglaterra é conhecida, entre outras coisas, por seu regime monárquico. 

Essa é uma das poucas nações que ainda mantém reis e rainhas, mesmo que esses exerçam hoje um poder simbólico, já que os poderes executivo e legislativo ficam a cargo do Parlamento.

Esse tipo de sistema gera muita curiosidade e cria uma atmosfera espetacular em torno da realeza. 

1. Alfredo, o Grande (849-899)

Alfredo, o Grande governou o reino de Wessex de 871 a 899. Sendo o filho mais novo e seguindo a tradição, era inesperado que ocupasse o trono um dia. Por isso, é provável que o plano para ele seria de se tornar membro da Igreja.

Rei Alfredo, o Grande

Com a morte dos irmãos, Alfredo então pode ocupar a coroa, aos 21 anos.

Seu reinado teve muitos desafios, principalmente os conflitos com vikings dinamarqueses, os quais conseguiu combater e recuperar a cidade de Londres, antes tomada pelos invasores.

Alfredo também teve importância cultural na Inglaterra, ao valorizar a literatura e preocupar-se com a qualidade de ensino durante seu governo.

Inspirado por Carlos Magno, Alfredo, o Grande é visto como um dos maiores soberanos da Alta Idade Média e se empenhou na unificação e fortalecimento do reino inglês.

2. Guilherme, o Conquistador (?-1087)

Guilherme, o Conquistador era Duque da Normandia e filho ilegítimo, por isso foi chamado também de Guilherme, o Bastardo.

Rei Guilherme, o Conquistador

Seu reinado na Inglaterra foi de 1066 a 1087, sendo o primeiro rei normando no território, após conquistá-lo em batalha.

Assim, o período em que governou foi definido pela constante manutenção do domínio sobre a Inglaterra.Como forma de demarcar seu poder, Guilherme mandou construir enormes fortalezas, como a Torre de Londres.

3. Ricardo I (1157-1199)

Devido a sua enorme capacidade militar, Ricardo I ficou conhecido como Ricardo Coração de Leão, governando durante dez anos, de 1189 a 1199.

Ricardo Coração de Leão

Desde novo demostrou sua inteligência estratégica, comandando um exército pela primeira vez aos 16 anos e derrotando invasores no Condado de Poitou.

Teve importância ainda durante a Terceira Cruzada como comandante cristão, vencendo batalhas contra o líder muçulmano Saladino.

Se tornou uma personagem importante na história da Inglaterra e é lembrado principalmente pelo seu apelido.

Leia mais sobre o monarca em Biografia de Ricardo I.

4. Eduardo I (1239-1307)

Eduardo Pernas Longas, como foi chamado Eduardo I por conta de sua estatura, governou a Inglaterra de 1272 até 1307, ano de sua morte.

Rei Eduardo Pernas Longas

Outra alcunha para o monarca foi Martelo dos Escoceses, por ter vencido batalhas na região da Escócia. 

Uma de suas maiores preocupações foi reformar radicalmente aspectos administrativos e legislativos da Inglaterra.

Sua passagem pelo trono contribuiu para a retomada de um governo mais fortalecido, pois seu pai Henrique III não teve grandes êxitos no reinado anterior.

5. Henrique V (1386-1422)

Henrique V ficou conhecido também como Henrique de Monmouth, pois nasceu no castelo de Monmouth, em Gales. Governou de 1413 até 1422.

Rei Henrique V

Sua criação ocorreu afastado da realeza, pois não era um descendente direto que poderia subir ao trono.

Entretanto, seu pai conseguiu se tornar rei ao tomar o posto do primo Ricardo II.

Assim, Henrique V, agora Príncipe de Gales, passa a tomar conta da administração de Gales aos 16 anos, lutando também muitas batalhas.

Em 1413 se torna rei, sucedendo o pai. 

Ele então se ocupa a princípio de apaziguar conflitos internos, para conseguir pensar em políticas externas e tentar solucionar a Guerra dos Cem Anos, que já ocorria desde 1337.

6. Ana Bolena (?-1536)

Ana Bolena é uma das figuras da realeza mais conhecida na história da Inglaterra. 

Ana Bolena

Segunda esposa de Henrique VIII, sua união com o nobre foi marcada por conflitos, já que quando se conheceram o rei era casado com Catarina de Aragão.

Na época, a Igreja Católica não permitia a dissolução de casamentos, então Henrique VIII se opõe à instituição religiosa, o que acaba gerando a criação da Igreja Anglicana.

O casamento durou de 1533 a 1536. Como nobre, Ana tentou introduzir a cultura francesa na corte inglesa, pois havia sido criada na França.

O casal tentou insistentemente gerar um herdeiro homem, mas Ana Bolena não teve sucesso em suas gestações, o que irritou o rei.

Henrique VIII foi se afastando da esposa e começou um relacionamento com Joana Seymour, aia de Ana.

A relação se tornou cada dia mais difícil, até que Ana foi acusada de adultério, incesto e alta traição, sendo executada por ordem do rei em maio de 1536.

Conheça mais sobre a trágica história em Biografia de Ana Bolena.

7. Rei Henrique VIII (1491-1547)

Henrique VIII, que protagonizou o romance conflituoso com Ana Bolena, rompeu com o catolicismo e criou a Igreja Anglicana, foi um rei que governou de 1509 a 1547.Seu governo também foi marcado por batalhas contra a França. 

Henrique VIII

Henrique VIII teve ao todo seis esposas. Na juventude, diz-se que era culto e possuía temperamento carismático. Entretanto, ao final da vida, obeso e debilitado, é descrito como egoísta, ganancioso e inseguro.

Saiba mais em Biografia de Henrique VIII.

8. Rainha Maria (1516-1558)

Maria, a única filha de Catarina de Aragão e o rei Henrique VIII, subiu ao trono em 1553, permanecendo até sua morte, em 1558.

Rainha Maria

Quando o pai se divorciou da mãe, Maria foi considerada filha ilegítima e descartada da linha de sucessão o trono. Mas, através de uma lei de 1543 conseguiu novamente o direito de se tornar rainha.

Sua maior ambição foi restaurar o catolicismo na Inglaterra e proibir o protestantismo, que havia sido imposto por seu pai e por seu meio-irmão Eduardo VI.

Católica fervorosa, Maria ficou conhecida como Maria Sangrenta, devido às execuções e perseguições aos protestantes.

9. Elizabeth I (1533-1603)

Elizabeth I, também chamada de Isabel I, foi conhecida como a Rainha Virgem. Governou a Inglaterra e Irlanda de 1558 até 1603, quando faleceu.

Rainha Elizabeth I

Filha de Henrique VIII e Ana Bolena, foi considerada filha ilegítima, devido à anulação do casamento dos pais e execução de sua mãe, quado Elizabeth tinha apenas dois anos e meio.

Entretanto, com as reviravoltas políticas, consegue suceder a Rainha Maria e faz um reinado com a ajuda de conselheiros, tendo o Barão Burghley como principal influente.

Seu modo de reinar era moderado, mas uma de suas maiores conquistas foi a ter derrotada a Espanha em uma guerra em 1588.

Durante o seu reinado a Inglaterra viveu um período de efervescência cultural, sobretudo na literatura. O momento foi chamado de Período Isabelino e teve como destaque os escritores e dramaturgos William Shakespeare e Christopher Marlowe.

Leia mais: Biografia de Elizabeth I.

10. Rainha Vitória (1819-1901)

Você já ouviu falar da Era Vitoriana? Pois então, esse período ocorreu na Inglaterra durante o reinado da Rainha Vitória, de 1837 a 1901.

Rainha Vitória

Vitória tomou posse do trono ainda jovem, aos 18 anos, e governou a Inglaterra e a Irlanda por 63 anos, o segundo reinado de maior duração do país. Também foi coroada Imperatriz da Índia.

No tempo em que esteve no poder, a Inglaterra viveu grandes transformações tecnológicas e tentativas abolicionistas. Entretanto, foi também uma época conservadora no que diz respeito à moralidade.

Na arte, o movimento que vigorava era o Romantismo e houve a revalorização da estética e mitos da Idade Média.

Rainha Vitória teve ao todo 9 filhos com Albert de Saxe-Coburg e Gotha, seu primo com quem se casou em 1840.

Assim, deu origem a uma grande linhagem de nobres, que estão espalhados por família reais em diversos países da Europa. Por isso, a rainha ficou conhecida também como a avó da Europa.

Conheça mais sobre o assunto em Biografia de Rainha Vitória.

11. Rei George VI (1895-1952)

George VI, segundo filho de George V, não foi preparado para herdar o trono. Era esperado que seu irmão mais velho, Eduardo, assumisse o posto. 

Rei George VI

De fato, Eduardo chegou a ser coroado rei, e governou menos de um ano, abdicando do trono para se casar com uma socialite norte-americana.

Assim, George VI, que havia seguido carreira militar, inicia seu reinado, governando de 1936 até sua morte, em 1952.

George casou-se com Lady Elizabeth em 1923 e tiveram duas filhas, Elizabeth e Margareth.

O seu reinado foi marcado pela Segunda Guerra Mundial, período em que o rei se manteve no país e visitou frentes de batalha, ficando conhecido por sua coragem.

Foi durante seu governo que a Índia e Paquistão se tornaram independes da Inglaterra e que o país inicia seu declínio.

George VI faleceu em 1952 devido a problemas de saúde, cedendo a coroa à sua filha mais velha Elizabeth II.

Leia também: Biografia de George VI.

12. Rainha Elizabeth II (1926-)

Atualmente quem ocupa o trono inglês é a Rainha Elizabeth II, filha de George VI.

Foi coroada rainha aos 25 anos, em 1952, sendo a monarca há mais tempo a ocupar o cargo. Em 2017 comemorou 65 anos de reinado com o Jubileu de Safira.

Rainha Elizabeth II

Elizabeth se casou com um primo distante, Philip Mountbatten, e com ele teve quatro filhos.

Em seu reinado, a rainha, também chamada de Lilibeth, testemunhou as intensas transformações ocorridas a partir da segunda metade do século XX, como a revolução sexual, as conquistas feministas, mudanças na cultura e na sociedade.

Apesar de ser rainha, Elizabeth não tem poder executivo no país, pois essa função é exercida pelo primeiro-ministro, o chefe de Governo.

Sua figura é bastante simbólica na Inglaterra e a maioria dos ingleses a considera e admira.

Em 9 de abril de 2021 morre seu marido Philip, duque de Edimburgo.

Saiba mais sobre a rainha lendo: Biografia de Elizabeth II.

Laura Aidar
Laura Aidar
Formada em Comunicação
Formada em Comunicação pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) e em Fotografia pela Escola Panamericana de Arte e Design.