Esses artistas revolucionaram o universo das artes plásticas e tornaram-se referências do Renascimento, um período histórico conhecido por uma ebulição em termos econômicos e culturais. 

O Renascimento surgiu na Itália durante o século XIV e se estendeu até o século XVII, se espalhando por toda a Europa.

Pintores, escultures ou retratistas, esses gênios fizeram história na cultura ocidental e é impossível pelo menos não ter ouvido falar no nome deles. Descubra com a gente um pouquinho da biografia dos maiores criadores desse período histórico tão interessante!

1. Leonardo da Vinci (1452-1519)

Leonardo da Vinci e Mona Lisa
Leonardo da Vinci e Mona Lisa

Quem é que não tem gravado na memória os contornos da Mona Lisa? Leonardo da Vinci foi o autor dessa obra-prima (e de tantas outras!) que marcou o mundo ocidental. 

Filho de um tabelião, quando ainda era pequeno já demonstrava interesse por pintar e desenhar. A família, oriunda de uma pequena aldeia chamada Vinci, mudou para Florença e foi lá que, aos 16 anos, Leonardo virou aprendiz de um importante artista da época.

Aos 30 anos da Vinci resolveu se mudar para Milão, onde continuou atuando como pintor. Alguns anos mais tarde, realizou trabalhos em Veneza e, em 1507, imigrou para a França, onde atuou como pintor e engenheiro da corte de Luís XII.

Ah! Sabia que além de pintor, Leonardo também era engenheiro e arquiteto? Pois é, um homem versátil.

Descubra essa e outras curiosidades da biografia de Leonardo da Vinci.  

2. Michelangelo (1475-1564)

Michelangelo e Pieta
Michelangelo e Pietà

Esse senhor acima é considerado um dos grandes representantes do Renascimento italiano. Michelangelo, que nasceu em Caprese (província de Arezzo), sempre quis fazer arte e já aos 13 anos deu início à carreira estudando pintura em Florença.

A sua primeira escultura (a famosa Madona da Escada) foi concluída quando o artista tinha apenas 17 anos. Depois de espalhar sua arte por Florença, Michelangelo migrou para Bolonha e Roma, onde seguiu esculpindo.

Sua obra mais reconhecida, a Pietà, foi feita em um único bloco de mármore carrara sob encomenda de um cardeal francês e, atualmente, encontra-se na Basílica de São Pedro (no Vaticano). O orgulho pelo trabalho foi tanto que o escultor assinou seu próprio nome na peça (mais especificamente na faixa que corre pelo busto de Maria).

Outras das suas obras famosas são: O juízo final, Davi e a abóbada da Capela Sistina (onde atuou como pintor e não como escultor).

Conheça a vida e a obra de Michelangelo.

3. Donatello (1386-1466)

Donatello e David
Donatello e David

Se você gosta de admirar estátuas nuas, então é a esse homem que deve agradecer. O italiano que espalhou sua arte por Roma, Nápoles, Siena e Pádua era filho de um tecelão e começou a carreira na sua cidade natal (Florença). 

Donatello trabalhou muito com arte sacra e fez uma série de representações de santos. Uma das suas inovações foi imprimir nas peças mobilidade, algo que já não se via desde os trabalhos da Antiguidade Clássica (dê um Google na escultura São Jorge e o Dragão para perceber melhor o que queremos dizer).

O artista italiano foi tão celebrado em vida que chegou a ser convidado para fazer o monumento fúnebre do Papa João XXI (se está curioso para saber, sim, ele aceitou o convite!).

Descubra a biografia completa de Donatello.

4. Sandro Botticelli (1445-1510)

Botticelli e O nascimento de Vênus
Botticelli e O nascimento de Vênus

Sandro Botticelli foi dos maiores nomes do Renascimento. Lembra da famosa imagem da Vênus de pé em cima de uma concha? Então, é da autoria dele, assim como A tentação de Cristo e A adoração dos magos

Nascido em Florença, filho de um curtidor de peles, Botticelli sempre gostou de pintura e aos 17 anos conheceu o já famoso artista Filippino Lippi, seu primeiro mestre. Apadrinhado pela família Médici, mecenas da região, Sandro continuou a criar.

Entre as encomendas que recebia estavam peças religiosas e trabalhos para a corte dos Médici. Uma curiosidade: em algumas telas Botticelli aproveitou para retratar a si próprio (como no caso de Adoração dos Magos, pesquise e repare na imagem do senhor de manto bege na parte direita da tela).

Desvende maiores detalhes da biografia de Sandro Botticelli.  

5. Rafael (1483-1520)

Rafael e O Casamento da Virgem
Rafael e O Casamento da Virgem

Rafael Sanzio de tão importante que era ficou conhecido apenas pelo seu primeiro nome. Um dos grandes mestres da pintura e da arquitetura renascentista, Rafael era filho de um importante pintor (conhece aquele dito: "quando a criatura supera o criador"? Parece que foi esse o caso...).

Foi com o pai que Rafael começou a aprender pintura, e logo deu início a arte dos afrescos. Pintando constantemente, Rafael queria conhecer os melhores e foi para Florença descobrir os trabalhos de da Vinci e Michelangelo. Gostou tanto do que viu que as suas obras receberam influência de da Vinci e tornaram-se mais sofisticadas.

Rafael esteve a frente de uma série de afrescos pintados na Itália (como o presente na Biblioteca Piccolomini da Catedral de Siena). Viveu durante 12 anos em Roma onde recebeu encomendas dos papas Júlio II e Leão X para realizar pinturas, composição de retratos, decorações internas de igrejas e criação de projetos arquitetônicos.

Rafael teve a felicidade de receber reconhecimento em vida, um privilégio para poucos artistas do Renascimento.

Conheça tudo sobre a biografia de Rafael.

6. Ticiano (1488-1576)

Ticiano e Baco e Ariadne
Ticiano e Baco e Ariadne

Já aos 9 anos, o pequeno Ticiano foi mandado para Veneza para estudar pintura na casa de um tio que era especialista em mosaicos. Três anos mais tarde, o menino prodígio começou a trabalhar com um dos primeiros mestres da escola veneziana (Giovanni Bellini).

Aos 25 anos inaugura seu próprio ateliê e causa um verdadeiro rebuliço na sociedade por pintar cenas bíblicas com corpus nus e tendo Veneza como pano de fundo.

Revolucionário, o pintor inventou uma nova maneira de usar a tinta a óleo e revolucionou o uso das cores tendo, em vida, alcançado enorme fama. O artista era bastante procurado para atuar como retratista (aliás, a imagem acima é um autorretrato).

Entre as suas pinturas mais famosas estão O bacanal (1520-1523) e Baco e Ariadne (1522-1523).

Explore a fundo a biografia de Ticiano.

7. Caravaggio (1571-1610)

Caravaggio e Baco
Caravaggio e Baco

Michelangelo Merisi entrou para a história como Caravaggio, nome da vila italiana onde nasceu. Filho de um mestre de obras, o artista ficou órfão de pais aos 11 anos e aos 13 mudou para Milão com o intuito de trabalhar como aprendiz do pintor Simone Peterzano.

Quando tinha 21 anos Caravaggio foi para Roma trabalhar no ateliê de Giuseppe Cesari. Reza a lenda que o pintor tinha uma personalidade terrível e vivia se envolvendo em conflitos. 

Sua maior obra-prima é a pintura a óleo Medusa. Há quem diga que o rosto da tela é o do próprio Caravaggio que serviu de modelo. Não há registros de que isso seja bem verdade, de toda forma fica a boa história.

A arte de Caravaggio era marcada pelo jogo de luz, pelo contraste e pelas sombras.

Saiba mais sobre os seus trabalhos, desvende a biografia de Caravaggio.

8. Jan van Eyck (1390-1441)

Jan van Eyck e O casal Arnolfini
Jan van Eyck e O casal Arnolfini

O pintor Jan van Eyck era tão importante que foi considerado por muitos como o fundador da escola realista flamenga. Nascido nos Países Baixos, o artista aprendeu a pintar em casa, com um irmão vinte anos mais velho.

Seu protetor, o Duque Filipe, o incentivou a seguir pintando mesmo depois do artista ter se casado com Margarida (que era vinte anos mais nova) e ter tido seu primeiro filho.

Entre os trabalhos mais famosos do pintor estão: O casal Arnolfini (1934) e Margarida van Wyck (1439).

Gostou de conhecer um pouquinho da história do pintor flamengo? Então conheça tudo sobre a biografia de Jan van Eyck.

9. Hieronymus Bosch (1450-1516) 

Hieronymus Bosch e O jardim das delícias terrenas
Hieronymus Bosch e O jardim das delícias terrenas

O pintor holandês ficou conhecido por retratar universos bizarros. Com pinturas ricas em detalhes, o criador dava vida à criaturas fantásticas, homens em posições esquisitas e animais híbridos, tudo isso envolto numa atmosfera religiosa (sim, acredite, retratar esse caos em uma única tela é possível e Bosch o fez com maestria!).

Neto, filho e irmão de pintores, o artista viveu durante um período histórico precioso: tratava-se do final da Idade Média e princípio do Renascimento.

Sua vida pessoal foi marcada pelo casamento com Aleid van de Meervenne, uma jovem rica e religiosa que permitiu que o marido se dedicasse exclusivamente à pintura.

Entre as suas telas mais famosas estão A extração da pedra da loucura, As tentações de Santo Antão e O jardim das delícias terrenas

Saiba mais sobre a biografia do interessantíssimo Hieronymus Bosch.

Se você gostou de ler esse artigo, provavelmente também irá apreciar a leitura de: