Leonardo da Vinci

Pintor italiano
Por Dilva Frazão
Biblioteconomista e professora

Biografia de Leonardo da Vinci

Leonardo da Vinci (1452-1519) foi um pintor italiano e um dos maiores gênios de seu tempo. A tela "Mona Lisa", verdadeira obra-prima, o notabilizou como um dos principais pintores da Renascença.

Muitas de suas obras se perderam ou ficaram inacabadas. Conhecem-se apenas 12 telas de Leonardo de autenticidade reconhecida, sendo visível a importância que o artista concedeu aos contrastes entre luz e sombra e principalmente ao movimento.

Foi na pintura que da Vinci mais se destacou, porém foi genial em diversos campos, como engenharia, arquitetura, urbanismo, mecânica, cartografia, balística, hidráulica, anatomia etc.

Leonardo da Vinci nasceu na pequena aldeia de Vinci, perto de Florença, Itália, no dia 15 de abril de 1452. Filho ilegítimo do tabelião florentino Piero e da jovem Catarina, seu pai se recusou a dar ao filho o seu nome, o que veio tornar famosa a aldeia de Vinci.

Leonardo viveu com a mãe até os quatro anos e depois foi morar com o avô paterno. Ainda criança, revelou a vocação para o desenho e a pintura. Com 16 anos foi levado para Florença, para trabalhar com aprendiz no atelier do pintor e escultor florentino Andrea del Verrocchio,

O primeiro trabalho importante de Da Vinci foi uma parte da tela “O Batismo de Cristo”, de Verrocchio, quando pintou os "anjos e a paisagem à esquerda do quadro":

Leonardo da Vinci
O Batismo de Cristo (os anjos)

O aluno Leonardo da Vinci saiu-se tão bem, que aos 25 anos de idade pode juntar-se aos artistas que trabalhavam para Lourenço de Medici, o famoso mecenas que governava Florença.

Em 1478, Leonardo da Vinci recebeu a encomenda para executar um painel do altar para a capela de São Bernardo, no Palácio da Senhoria.

Em 1481 ele foi encarregado de pintar um painel para a igreja dos frades de São Donato, de Scopeto, próxima de Florença, mas a obra Adoração dos Magos ficou inacabada:

Leonardo da Vinci
Adoração dos Magos

Em 1482, com 30 anos, Da Vinci transferiu-se para Milão e ofereceu seus serviços a Ludovico Sforza, o duque de Milão, apresentando-se como engenheiro, arquiteto e pintor.

Em 1483 pintou o quadro A Virgem das Rochas, da qual existem duas versões, uma no Museu do Louvre e a outra, provavelmente posterior, na Galeria Nacional de Londres:

Leonardo da Vinci
A Virgem das Rochas

Em 1485, da Vinci iniciou a obra A Dama com Arminho, o retrato de Cecília Gallerani, a amante de 14 anos do duque de Milão:

Leonardo da Vinci
Dama com Arminho

Em 1495, Leonardo da Vinci deu início aos preparativos para pintar A Última Ceia, um afresco de dimensões consideráveis, 9 metros de largura e 4 metros e 20 cm de altura, numa parede do refeitório do Convento de Santa Maria delle Grazie, em Milão. Foram três anos de trabalho, desenhando e redesenhando as figuras da Ceia:

Leonardo da Vinci
A Última Ceia

Leonardo da Vinci ficou em Milão até 1499 para projetar a catedral da cidade, mas só fez um esboço e acabou projetando a rede de canais e um vasto sistema de irrigação e abastecimento de água. Fez o projeto completo da urbanização da cidade. Nesse mesmo ano, quando os franceses invadiram a cidade, Leonardo retornou para Florença. 

De 1500 a 1501, da Vinci viajou o tempo todo. Entre janeiro e fevereiro, esteve na corte de Mântua, quando recebeu a encomenda do retrato da marquesa Isabel d’Este, obra que não foi terminada.

Em Veneza, Da Vinci estudou o sistema defensivo da cidade ameaçada pelos turcos e projetou gigantescas catapultas.

Em 1502, em Florença, foi nomeado Engenheiro Militar e acompanhou César Bórgia nos seus empreendimentos de guerra.

Em 1503, Leonardo da Vinci iniciou a tela Gioconda, que segundo o pintor e biógrafo Giorgio Vasari (1511-1574), Francesco del Giocondo, um rico florentino, encomendou a Leonardo o retrato de sua mulher.

Em 1507 da Vinci foi nomeado pintor e engenheiro na corte de Luís XII da França. Leva consigo o quadro inacabado da Mona Lisa e nesse mesmo ano, terminou a obra que mais tarde se tornou o quadro mais célebre da pintura ocidental e hoje está no Museu do Louvre, em Paris como a principal atração turística.

Leonardo da Vinci
Mona Lisa

Em 1510 acabou de pintar a tela Santa Ana, a Virgem e o Menino, ainda sem alguns detalhes, obra que havia iniciado em 1503, encomendada para o altar mor da Igreja de Santa Annunziata, em Florença.

Leonardo da Vinci
Santa Ana, a Virgem e o Menino

Em 1513 Leonardo da Vinci seguiu para Roma onde era o protegido do irmão do Papa Leão X e colocou-se a serviço de Juliano de Medici, porém Roma preferiu Rafael e Michelangelo, artistas mais jovens. Nessa época, pintou São João Batista, provavelmente sua última obra:

Leonardo da Vinci
São João Batista

Leonardo da Vinci aprofundou então seus estudos de Matemática e óptica. Dedicou-se aos projetos de Arquitetura, de Engenharia e de Anatomia.

Em seus estudos de anatomia, foi acusado de desrespeito aos mortos, por dissecar cadáveres, prática que constituía crime, além de ser pecado contra a Igreja.

Registrou tudo em inúmeros desenhos e no “Tratado de Anatomia” que escreveu. Sua gravura Homem Vitruviano, que representa as proporções perfeitas do corpo humano, está exposta na Gallerie dell’Accademia em Veneza:

Leonardo da Vinci
Homem Vitruviano

Com a morte de Juliano, da Vinci deixou definitivamente a Itália em 1516, levando seus manuscritos, centenas de desenhos e três quadros feitos sob encomenda e nenhum entregue.

Doente e com problemas de articulação na mão esquerda, foi morar no Castelo de Cloux, em Amboise, na França, uma residência de Francisco I, que o visita constantemente.

O mês de abril de 1519, da Vinci passa na cama, cercado pelos três quadros: A Mona Lisa, Santa Ana - a obra que mais gostava, e São João Batista.

Leonardo da Vinci faleceu no Castelo de Cloux, Amboise, França, no dia 2 de maio de 1519. Foi sepultado no convento da Igreja de Saint Florentin, em Amboise.

Se você quer saber mais sobre o artista, não deixe de ler "Leonardo da Vinci e suas obras: uma viagem pela vida do mestre". 

Telas e desenhos de Leonardo da Vinci

  • O Batismo de Cristo (anjos e paisagens),1475
  • A Anunciação, 1475
  • Ginevra de Benci, 1476
  • Virgem Benois, 1478
  • A Vírgem de Granada, 1480
  • A Virgem do Cravo, 1480
  • São Jerônimo, 1480
  • Dama Com Arminho, 1480
  • Adoração dos Magos, 1481
  • Virgem das Rochas, 1483
  • Madona Litta, 1490
  • Retrato de Um Músico, 1490
  • La Belle Ferronniere, 1495
  • A Última Ceia, 1497
  • Salvator Mundi, 1500
  • Virgem do Fuso, 1501
  • Santa Ana, a Virgem e o Menino, 1503
  • A Batalha de Anghiari, 1505
  • Mona Lisa, 1507
  • Virgem dos Rochedos, 1508
  • São João Batista, 1513

Se é um entusiasta da arte produzida nesse período histórico experimente ler também: Os inesquecíveis artistas do Renascimento

Dilva Frazão
Biblioteconomista e professora
É bacharel em Biblioteconomia pela UFPE e professora do ensino fundamental.
Veja também as biografias de:
  • Rafael Sanzio (1483-1520) foi um pintor italiano, uma das grandes expressões...
  • Sandro Botticelli (1445-1510) foi um pintor italiano, considerado um dos maio...
  • Caravaggio (1571-1610) foi um pintor italiano, o mais revolucionário artista...
  • Ticiano (1489-1576) foi um pintor italiano, considerado um dos principais rep...
  • Amedeo Modigliani (1884-1920) foi um pintor e escultor italiano, conhecido co...
  • Giorgio Vasari (1511-1574) foi um pintor, arquiteto e biógrafo italiano, prod...
  • Giorgio Morandi (1890-1964) foi um dos maiores pintores italianos do século X...
  • Luca Signorelli (1445-1523) foi um pintor italiano. Sua obra-prima são os afr...
  • Michelangelo (1475-1564)foi um pintor, escultor e arquiteto italiano. É consi...
  • Giotto (1266-1337) foi um pintor e arquiteto italiano, autor do desenho do "C...