Leonardo Boff

Teólogo e escritor brasileiro
Por Dilva Frazão
Biblioteconomista e professora

Biografia de Leonardo Boff

Leonardo Boff (1938) é um teólogo, escritor e professor brasileiro, um dos maiores representantes da Teologia da Libertação, corrente progressista da Igreja Católica.

Leonardo Boff, pseudônimo de Leonardo Genésio Darci Boff, nasceu em Concórdia, Santa Catarina, no dia 14 de dezembro de 1938. É neto de imigrantes italianos, da região de Vêneto, que vieram para o Brasil no final do século XIX.

Fez seus estudos em sua terra natal, em Rio Negro no Paraná e Agudos em São Paulo. Cursou Filosofia em Curitiba e Teologia em Petrópolis, no Rio de Janeiro. Em 1959 ingressou na ordem dos Frades Menores, sendo ordenado sacerdote em 1964.

Em 1970 doutorou-se em Filosofia e Teologia pela Universidade de Munique na Alemanha. Ao retornar ao Brasil ajudou a consolidar a Teologia Cristã nascida na América Latina após a reunião do Concílio do Vaticano III.

Passou a exercer as atividades de professor de Teologia Sistemática e Ecumênica no Instituto Teológico Franciscano em Petrópolis, Rio de Janeiro, onde permaneceu durante 22 anos.

Foi professor de Teologia e Espiritualidade em diversos centros de estudo. Foi professor-visitante nas universidades de Lisboa em Portugal, Salamanca na Espanha, Harvard nos EUA, Basel na Suíça e Heidelberg na Alemanha.

Teologia da Libertação

Esteve presente nos inícios da reflexão que procura articular o discurso indignado frente à miséria e à marginalização com o discurso promissor da fé cristã gênese da conhecida Teologia da Libertação.

Foi sempre um ardoroso defensor da causa dos Direitos Humanos, tendo ajudado a formular uma nova perspectiva dos Direitos Humanos a partir da América Latina, com "Direitos à Vida e aos meios de mantê-la com dignidade".

De 1970 a 1985, Boff participou do conselho editorial da Editora Vozes. Neste período, fez parte da coordenação da publicação da coleção "Teologia e Libertação" e da edição das obras completas de C. G. Jung.

Foi redator da Revista Eclesiástica Brasileira (1970-1984), da Revista de Cultura Vozes (1984-1992) e da Revista Internacional Concilium (1970-1995).

Igreja: Carisma e Poder

Em 1981, Leonardo Boff publicou o livro “Igreja: Carisma e Poder”, onde explica os princípios da Teologia da Libertação na própria Igreja, procurando mostrar que a libertação não vale só para a sociedade, mas também para a Igreja e suas relações internas.

Que é papel da Igreja pregar a libertação na sociedade e se comprometer com os oprimidos para que eles se organizem e busquem sua libertação. Sustenta a tese de que a Igreja Católica Romana pode e deve mudar.

As declarações renderam a Boff um processo junto à Congregação para a Doutrina da Fé, dirigida na época por Joseph Ratzinger, depois Papa Bento XVI.

Em 1985, Boff foi punido com o “silêncio obsequioso, durante um ano, sendo deposto de todas as suas funções editoriais e de magistério no campo religioso. Com a grande pressão mundial sobre o Vaticano, em 1986 a pena foi suspensa, recuperou algumas funções, mas sempre sob observação de seus superiores.

Renúncia

Em 1992, fez parte da comissão da redação da Carta da Terra, uma declaração dos princípios éticos fundamentais para a construção do século XXI.

Nesse mesmo ano, Boff sofreu nova punição pelas autoridades religiosas e renunciou às atividades de padre e se promoveu ao estado leigo.

Leonardo Boff continuou como teólogo da libertação, escritor, professor e conferencista. Passou a assessorar os movimentos sociais de cunho popular libertador, como o Movimento dos Sem Terra e as Comunidades Eclesiais de Base (CEBS), que se espalharam por vários países.

Leonardo Boff casou-se com a teóloga militante, Maria Monteiro da Silva Miranda, porém não abandonou sua religião.

Em 1993 foi aprovado no concurso para professor de Ética, Filosofia da Religião e Ecologia na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

Prêmios e honrarias

Leonardo Boff foi agraciado com vários prêmios no Brasil e no exterior, por causa de sua luta em favor dos fracos, dos oprimidos e marginalizados e dos Direitos Humanos.

É doutor Honoris Causa em Política pela Universidade de Turim (Itália), em Teologia pela Universidade de Lund (Suécia), entre outras.

Em 1995 recebeu o Prêmio Sérgio Buarque de Holanda como a obra “Ecologia-Grito de Guerra, Grito dos Pobres" (1995) considerado o melhor ensaio social daquele ano.

Em 1997, nos Estados Unidos, a obra foi considerada um dos três livros, publicados naquele ano, que mais favorecia o diálogo entre ciência e religião.

Recebeu o título de Professor Honorário pela Universidade de São Carlos, na Guatemala e pela Universidade de Cuenca, no Equador.

Em 8 de Dezembro de 2001 foi agraciado com o Prêmio Nobel Alternativo, em Estocolmo (Right Livelihood Award).

Outras obras de Leonardo Boff

  • O Evangelho do Cristo Cósmico (1971)
  • Jesus Cristo Libertados (1972)
  • O Destino do Homem e do Mundo (1974)
  • O Caminhar da Igreja Com os Oprimidos (1980)
  • Igreja Carismática e Poder (1981)
  • Como Fazer Teologia da Libertação (1986)
  • Ecologia: Grito da Terra, Grito dos Pobres (1995)
  • A Águia e a Galinha (1997)
  • Virtudes Para Um Outro Mundo Possível (2005)
  • O Cuidado Necessário (2013)
Dilva Frazão
É bacharel em Biblioteconomia pela UFPE e professora do ensino fundamental.
Veja também as biografias de:
  • Rubem Alves (1933-2014) foi um teólogo, educador, psicanalista e escritor bra...
  • Erasmo de Roterdã (1466-1536) foi um teólogo e escritor holandês, o maior vul...
  • Jacques Bossuet (1627 - 1704) foi teólogo francês e um dos maiores teórico do...
  • João Calvino (1509-1564) foi um teólogo, líder religioso e escritor francês...
  • John Wycliffe (1328-1384) foi um teólogo, professor e reformador religioso do...
  • Santo Agostinho (354-430) foi um filósofo, escritor, bispo e teólogo cristão...
  • Giordano Bruno (1548-1600) foi um teólogo, filósofo, escritor e religioso ita...
  • Monteiro Lobato (1882-1948) foi escritor e editor brasileiro. "O Sítio do Pic...
  • Ariano Suassuna (1927 - 2014) foi um escritor brasileiro. O Auto da Compadeci...
  • Graciliano Ramos (1892-1953) foi um escritor brasileiro. O romance "Vidas Sec...