Angela Merkel

Chanceler da Alemanha

Biografia de Angela Merkel

Angela Merkel (1954) é uma política alemã, presidente do partido União Democrata-Cristã e Chanceler da República Federal da Alemanha desde 2005. É a primeira personalidade originária da extinta República Democrática Alemã (Alemanha Oriental ou Alemanha Socialista) a assumir a chefia do Governo Federal.

Angela Dorothea Merkel nasceu em Hamburgo, Alemanha Ocidental, no dia 17 de julho de 1954. Filha de um pastor protestante, com poucos meses mudou-se com a família para Templin, uma região no leste do país, na Alemanha Oriental, onde seu pai assumiu uma igreja luterana e onde foi criada. Foi militante da Juventude Livre Alemã, de orientação socialista. Entre 1973 e 1978, estudou Física na Universidade de Leipzig. Trabalhou e estudou no Instituto Central de Físico-Química da Academia de Ciências. Concluiu o doutorado em 1986.

Parlamento e Ministérios

Com a queda do Muro de Berlim em 1989, Angela Merkel tomou parte do movimento pela democratização do país, e iniciou sua carreira política no partido Despertar Democrático. Após a primeira eleição democrática da Alemanha Oriental, tornou-se a porta-voz do governo interino de Lothar de Maizière. Em dezembro de 1990, na primeira eleição pós-reunificação da Alemanha, Merkel foi eleita para o Bundestag (Câmara Baixa do Parlamento Alemão).

Seu partido apoiou a rápida reunificação com a Alemanha Ocidental e formou parte da coalizão Aliança pela Alemanha, junto com o partido da União Democrata Cristã (CDU), liderado pelo chanceler Helmut Kohl. Em 1991, Angela Merkel foi nomeada para o Ministério da Juventude e Família, onde permaneceu até 1994. Era a mais jovem ministra do governo Kohl e a sua protegida. Em seguida, foi nomeada Ministra do Meio Ambiente, de 1994 a 1997.

Em 1998, nas eleições federais para o parlamento, os partidos de centro-direita, União Democrata Cristã (CDU) e a União Social-Cristã (CSU), liderados pelo chanceler Helmut Kohl, sofreram o pior resultado, ficando com 35,17% dos votos de 245 deputados. Com a derrota de Kohl, Angela Merkel foi nomeada secretária geral do CDU, para reerguer o partido. Em 2000, o partido enfrentou sua pior crise, em consequência de um escândalo de financiamento de campanha.

Nas eleições de 2002, a líder da CDU cedeu a candidatura ao cargo de Chanceler Federal a Edmund Stoiber, governador da Baviera e presidente da CSU, mas Stoiber perdeu o pleito por pequena margem de votos para Gerhard Schröder, candidato do Partido Social Democrata (SPD) em coalizão com o Partido Verde. Após a derrota de Stoiber, Merkel tornou-se líder da oposição conservadora na Câmara Baixa do Parlamento Alemão, além de manter seu papel de presidente do CDU.

Chanceler

No dia 30 de maio de 2005, nas eleições nacionais para o cargo de Chanceler, Angela Merkel foi escolhida para a coligação CDU/CSU para concorrer com o então Chanceler Gerhard Schröder que disputava sua permanência no cargo. No dia 22 de novembro, Merkel venceu as eleições com 397 votos dos 611 do parlamento. Tornou-se a primeira mulher na chefia do governo da Alemanha e a primeira personalidade política oriunda da Alemanha do Leste.

Nas eleições de 27 de setembro de 2009, Merkel concorreu com o candidato do SPD, Frank-Walter Steinmeier, vencendo pela segunda vez ao cargo de Chanceler. No dia 17 de dezembro de 2013, a democrata-cristã foi pela terceira vez eleita para o cargo de Chanceler da Alemanha com a maioria absoluta dos votos. Em 2015, Angela Merkel foi escolhida a personagem do ano pela revista norte-americana, Time, devido à sua influência na manutenção da unidade da Europa e sua posição política de acolhimento de refugiados, diante da maior crise migratória já registrada depois da II Guerra. No dia 7 de maio de 2017, o partido conservador da Angela Merkel venceu as eleições regionais no norte da Alemanha, confirmando o seu favoritismo, a cinco meses das eleições legislativas, quando a Chanceler tentará um novo mandato.

Última atualização: 26/06/2017