Gonçalves de Magalhães

Escritor brasileiro

Biografia de Gonçalves de Magalhães

Gonçalves de Magalhães (1811-1887) foi um escritor, professor e político brasileiro. Destaca-se como um dos principais poetas da Primeira Geração Romântica. É considerado o introdutor do Romantismo no Brasil.

Domingos José Gonçalves de Magalhães (1811-1887) nasceu em Niterói, no Rio de Janeiro, no dia 13 de agosto de 1811. Formou-se em Medicina, em 1832. Nesse mesmo ano, estreia na literatura com um volume de versos, intitulado “Poesias”, onde revela traços neoclássicos, aliados a manifestações religiosas e patrióticas.

Em 1933 viaja para Europa, com intenção de aperfeiçoar-se na carreira. Nesse período, em contato com o romantismo francês, passa a trabalhar pela reformulação literária do Brasil. Funda a revista “Niterói”, junto com Sales Torres Homem e Porto Alegre. Em 1836, na revista, critica a literatura de seu país, e tenta libertá-la das influências estrangeiras. Nesse mesmo ano publica “Suspiros Poéticos e Saudades”, obra inaugural do Romantismo no Brasil, onde o autor introduz a liberdade formal na criação poética.

Gonçalves de Magalhães volta ao Brasil em 1837 e passa a exercer a função de professor de Filosofia no Colégio Pedro II. Na política, assumiu diversos cargos, como secretário do Duque de Caxias, no Maranhão, e governador e deputado do Rio Grande do Sul. Como diplomata, trabalhou em diversos países, entre eles, a Itália, Áustria, Estados Unidos e Paraguai.

Em 1856, publica “Confederação dos Tamoios”, poema épico, escrito nos moldes neoclássicos. Trata-se da passagem da nossa história em que os tamoios, instigados pelos franceses, tentam destruir a povoação de São Vicente, ocupada pelos portugueses. Dedica os versos desse poema ao imperador Dom Pedro II, que lhe concede o título de Barão e Visconde de Araguaia.

Gonçalves de Magalhães dedicou-se ao teatro e escreve “Antônio José” ou “O Poeta e a Inquisição”, e também a novela “Amância”. Em 1865 escreveu uma série de ensaios em “Opúsculos Históricos e Literários”. Publicou três textos filosóficos intitulados “Fatos do Espírito Humano” (1858), “A Alma e o Cérebro” (1876) e “Comentários e Pensamentos” (1880).

Apesar de Gonçalves de Magalhães ser cronologicamente o primeiro poeta romântico do Brasil, sua obra é considerada de pouco valor literário, exceto a de caráter doutrinário. Foi nomeado para patrono da cadeira nº 9 da Academia Brasileira de Letras.

Gonçalves de Magalhães faleceu em Roma, Itália, no dia 10 de julho de 1882.

Veja também as biografias de:

Última atualização: 29/07/2015