Príncipe Philip, Duque de Edimburgo

Duque de Edimburgo
Por Dilva Frazão
Biblioteconomista e professora

Biografia de Príncipe Philip, Duque de Edimburgo

Príncipe Philip, duque de Edimburgo (1921-2021) foi o marido e príncipe consorte da rainha Elizabeth II a monarca mais longeva da história do Reino Unido. Durante 74 anos acompanhou a rainha em compromissos oficiais.

Príncipe Philip nasceu em Corfu, Grécia, no dia 10 de junho de 1921. Seu pai, o príncipe Andrew da Grécia e da Dinamarca, era o filho mais novo do rei George I da Grécia. Sua mãe, a princesa Alice de Bettenberg, era a filha mais velha de Louis Mountbatten, 1º marquês de Milford Haven, e da princesa Vitória de Hesse e do Reno, neta da rainha Vitória.

Descendência e Formação

Philip, príncipe da Grécia e da Dinamarca era primo distante da rainha Elizabeth. Foi batizado na Igreja Ortodoxa Grega e em 1922. Junto com sua família, deixou a Grécia. Estudou na França, Inglaterra, Alemanha e na Gordonstoun School, na Escócia. Em 1939 ingressou no Royal Naval College, Dartmouth, Inglaterra.

EM 1939, após uma visita do rei George VI, junto com Elizabeth a rainha consorte e as filhas Elizabeth e Margareth à Escola Naval, Philip e Elizabeth se viram pela primeira vez e começaram a se corresponder com o consentimento do rei.

Em 1940, o príncipe Philip formou-se na Escola Naval e até o final da II Guerra Mundial, serviu em combates no Mediterrâneo e no Pacífico.

Casamento

Em 1946 o príncipe Philip pediu ao rei George VI a mão de Elizabeth em casamento, porém, a pedido do rei o compromisso oficial só ocorreu após a princesa completar 21 anos. Em 28 de fevereiro de 1947, Philip tornou-se um súdito britânico, renunciando ao seu direito aos tronos da Grécia e da Dinamarca, adotando o sobrenome de sua mãe, Mountbatten.

No dia 10 de julho de 1947 foi anunciado oficialmente o noivado de Elizabeth com o tenente Philip Mountbatten da Marinha Real, ex-príncipe Philip da Grécia e Dinamarca.

Em outubro, o Arcebispo da Cantuária, Geoffrey Fisher recebeu oficialmente o príncipe Philipe na Igreja Anglicana, momento em que George VI conferiu ao noivo os títulos de duque de Edimburgo, conde de Merioneth e barão de Greenwich.

No dia 20 de novembro de 1947, Philip, duque de Edimburgo, casou-se com a princesa Elizabeth na Abadia de Westminster em Londres. A cerimônia foi transmitida pela BBC para vários países do mundo. 

Príncipe Philip

O casal passou a residir na Clarence House em Londres. Philip continuou em serviço na Marinha Real, primeiro no escritório do Almirantado Britânico e depois no quadro de funcionários da Real Escola Naval em Greenwich. Em 16 de junho de 1950 foi promovido a tenente-comandante da fragata Magpie.

Filhos e consorte real

Philip, duque de Edimburgo e a princesa Elizabeth tiveram quatro filhos: o príncipe Charles (Charles Philip Arthur George) nascido em 14 de novembro de 1948, a princesa Anne (Anne Elizabeth Alice Louise) nascida em 15 de agosto de 1950, o duque de York (Andrew Albert Christian Edward, nascido em 19 de fevereiro de 1960 e o conde de Wessex (Edward Anthony Richard Louis, nascido em 10 de março de 1964.

No dia 6 de fevereiro de 1952, com a morte de seu pai o rei George VI, Elizabeth tornou-se a herdeira do trono. Philip e Elizabeth que estavam viajando pelo Quênia retornaram para a Inglaterra. No dia 2 de junho de 1953, Elizabeth foi coroada na Abadia de Westminster e o príncipe Philip passou à condição de consorte real.

Após a coroação, a Família Real formada por Elizabeth, Philip e os filhos Charles a Anne, passou a residir no Palácio de Buckingham no centro de Londres.

A ascensão de Elizabeth ao trono levantou a questão do nome da “casa real britânica” que deveria passar a ser Casa de Mountbatten. Aconselhada pelo primeiro-ministro Winston Churchill a rainha proclamou que a monarquia continuaria a ser conhecida como a “Casa de Windsor”, nome adotado pela primeira vez por seu avô George V.

Como consorte da rainha, Philip a acompanhou em todos os seus deveres oficiais e em cerimônias como a Abertura do Parlamento e visitas a outros países. Participou de uma variedade de trabalhos filantrópicos.

Philip atuou como presidente da World Wildlife Fund  (WWF) de 1981 a 1996. Seu programa de Prêmios Internacionais permitiu que mais de seis milhões de jovens adultos se envolverem em serviços comunitários, desenvolvimento de liderança e atividades esportivas.

O príncipe também foi patrono da The Work Foundation, foi presidente da Federação Equestre Internacional entre 1964 e 1986. Serviu como chanceler das universidades de Cambridge, Edimburgo, Salford e País de Gales.

No dia 29 de julho de 1981, o príncipe Philip assistiu o casamento do seu filho primogênito, o príncipe Charles com Lady Diana Spencer. Quando o casamento estava em crise, o príncipe e a rainha pressionaram pela reconciliação. No dia 9 de dezembro de 1992 o casal formalizou a separação.

Em 1997, Diana morreu em um acidente de carro. Durante o sepultamento de Diana, o príncipe Philip caminhou ao lado dos bisnetos, William e Harry, do seu filho e do irmão de Diana.

Em 2002, durante as celebrações do Jubileu de Ouro de Elizabeth, o príncipe Philip foi homenageado pelo presidente da Câmara dos Comuns seu papel no apoio dado a rainha.

Em 2009, Philip superou a rainha consorte, Carlota de Mecklemburgo, esposa do rei George III, como o consorte de maior reinado da história britânica, sendo também considerado o homem de maior longevidade da família real.

Para marcar o aniversário de 90 anos de Philip, em junho de 2011, a rainha Elizabeth conferiu-lhe o título de Lorde Almirante, chefe titular da Marinha Real. Em entrevista, Philip disse que a partir daquela data reduziria suas atividades e deveres oficiais.

No início de 2015, o primeiro-ministro australiano Tony Abbott fez de Philip um cavaleiro afiliado à Ordem da Austrália por suas décadas de serviço real.

Em maio de 2017, foi anunciado que Philip deixaria de realizar compromissos públicos a partir de agosto. Seu último evento ocorreu em 2 de agosto de 2017.

principe philip
Príncipe Philip, rainha Elizabeth e netos

Saúde

Em dezembro de 2011, o príncipe consorte sentiu fortes dores no peito sendo levado para Papworth Hospital onde passou por uma angioplastia coronária. Em 4 de junho do ano seguinte, durante as celebrações do Jubileu de Diamante da rainha, Philip foi levado para o hospital quando foi diagnosticado com uma infecção na bexiga. Em 2013, ele foi internado para uma cirurgia no abdômen.

Em abril de 2018 o príncipe consorte foi internado no King Edward Hospital para uma cirurgia no quadril. Em fevereiro de 2021 foi novamente internado após se sentir mal. No dia 3 de março passou por uma cirurgia cardíaca.

Morte

O príncipe Philip faleceu no dia 9 de abril de 2021, no castelo de Windsor. Seu funeral foi realizado no sábado 17 na Capela de São Jorge, no Castelo de Windsor, conforme seu pedido feito em vida. Devido ao COVID-19, apenas 30 membros da família real estavam presentes, distanciados um do outro e usando máscaras.

O caixão de Philip foi levado para a igreja na traseira de um Land Rover personalizado a seu pedido. Em cima do caixão estava seu chapéu naval, uma espada que foi presenteada pelo rei George VI, uma bandeira representando sua herança grega e dinamarquesa e flores selecionadas pela rainha.

Os membros da família real incluindo seus filhos e alguns netos, caminharam atrás do carro, em uma procissão que percorreu os 800 metros entre o castelo de Windsor e a Capela de São Jorge em Londres, Inglaterra.

Dilva Frazão
É bacharel em Biblioteconomia pela UFPE e professora do ensino fundamental.
Veja também as biografias de:
  • Príncipe Harry (1984), Duque de Sussex, é o filho mais novo do Príncipe Charl...