Anísio Teixeira

Educador brasileiro

Biografia de Anísio Teixeira

Anísio Teixeira (1900-1971) foi um importante teórico da educação no Brasil. Foi o principal idealizador das grandes mudanças que ocorreram na educação brasileira no século XX. Fez parte do movimento de renovação do ensino chamado de Escola Nova.

Anísio Spínola Teixeira (1900-1971) nasceu em Caetité, no sertão baiano, no dia 12 de julho de 1900. Filho de fazendeiros estudou no colégio jesuíta São Luís Gonzaga em sua cidade natal. Em 1914 ingressou no colégio Antônio Vieira, em Salvador.

Formação e carreira pública

Anísio Teixeira cursou Direito na Universidade do Rio de Janeiro formando-se em 1922. De volta à Bahia, em 1924 foi nomeado Inspetor Geral de Ensino. No ano seguinte viajou pela Europa observando os sistemas de ensino. Esteve na Espanha, Bélgica, França e Itália. Regressou à Bahia e passou a desenvolver uma série de mudanças na educação do Estado.

Em 1927, Anísio Teixeira foi aos Estados Unidos buscar conhecimentos sobre as ideias do filósofo e pedagogo John Dewey. No ano seguinte demitiu-se do cargo por não ter o apoio do novo governador.

Em 1928 voltou aos Estados Unidos e no ano seguinte graduou-se pelo Teacher’s College, da Universidade de Colúmbia, em Nova York, onde foi discípulo de John Dewey. Nesse mesmo ano regressou ao Brasil e assumiu a cadeira de filosofia e história da educação na Escola Normal de Salvador.

Em 1931 mudou-se para o Rio de Janeiro onde trabalhou como funcionário do Ministério da Educação e Saúde Pública e logo depois como diretor-geral do Departamento de Educação do Distrito Federal.

Realizações

Anísio Teixeira passou a desempenhar um papel preponderante na orientação da educação e do ensino no Brasil. Nessa época criou uma rede municipal de ensino que integrava da escola primária até a universidade.

Anísio Teixeira fez parte de um grupo de educadores interessados em remodelar o ensino no país, oferecendo um ensino livre e aberto. Esse movimento foi chamado de Escola Nova, que ganhou maiores proporções com a divulgação do “Manifesto da Escola Nova”, em 1932.

Em 1935 criou a Universidade do Distrito Federal, no Rio de Janeiro. Em 1936, perseguido pela ditadura Vargas, demitiu-se do cargo de diretor e regressou a Bahia.

Em 1946, Anísio Teixeira foi nomeado Conselheiro de ensino superior da UNESCO. Em 1947 assumiu novamente a pasta da Educação do Estado da Bahia. Nesse período criou a Escola Parque, em Salvador, que se tornou um novo modelo de educação integral.

De 1952 a 1964, Anísio Teixeira foi diretor do Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos (INEP), realizando trabalhos para a valorização da pesquisa educacional no país.

Em 1955 criou o Centro Brasileiro de Pesquisas Educacionais e os Centros Regionais de São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Bahia e Pernambuco.

No fim dos anos 50, Anísio Teixeira participou de debates para a implantação da Lei de Diretrizes e Bases. Junto com Darcy Ribeiro fundou a Universidade de Brasília, tornando-se reitor entre 1963 e 1964.

No ano seguinte, com a instalação do governo militar, deixou o Instituto (que hoje leva seu nome) e foi para os Estados Unidos, onde passou a lecionar na Universidade de Colúmbia e na Universidade da Califórnia.

Em 1966, Anísio Teixeira voltou ao Brasil e tornou-se Consultor da Fundação Getúlio Vargas, e recebeu o título de professor emérito da Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1970.

Anísio Teixeira faleceu no Rio de Janeiro, em circunstâncias misteriosas, no dia 11 de março de 1971.

Frases de Anísio Teixeira

  • Como a medicina, a educação é uma arte. E arte é algo de muito mais complexo e de muito mais completo que uma ciência.
  • Educar é crescer. E crescer é viver. Educação é, assim, vida no sentido mais autêntico da palavra.
  • A sabedoria é a subordinação do saber ao interesse humano e não ao próprio interesse do saber pelo saber e muito menos a interesses parciais ou de certos grupos humanos.

Obras de Anísio Teixeira

  • Aspectos Americanos de Educação (1928)
  • Educação Progressiva (1932)
  • Em Marcha para a Democracia: à Margem dos EUA (1934)
  • A Universidade e a Liberdade Humana (1954)
  • A Educação e a Crise Brasileira (1956)
  • Educação no Mundo Moderno (1969)
  • Pequena Introdução à Filosofia da Educação (1971)
Veja também as biografias de:

Última atualização: 15/05/2019

Dilva Frazão
Possui bacharelado em Biblioteconomia pela UFPE e é professora do ensino fundamental. Desde 2008 trabalha na redação e revisão de conteúdos educativos para a web.