Anhanguera

Bandeirante paulista

Biografia de Anhanguera

Anhanguera foi um bandeirante paulista, um dos primeiros a explorar o Brasil Central, no século XVII. Aspirando encontrar ouro no sertão goiano, organizou uma bandeira e partiu para lá em 1682. Com grande caravana e acompanhado de seu filho, que tinha apenas 10 anos de idade, partiu para a exploração.

Conta a lenda que Bartolomeu Bueno da Silva, o Anhanguera, procurava as ambicionadas minas de ouro, quando se deparou com índios da tribo Goyazes, que impediram a entrada da bandeira em suas terras. Percebendo que as índias estavam adornadas com ouro, teve certeza que ali era o local da mina. Teve a ideia de encher uma pequena vasilha de aguardente e tocar fogo. Os índios acreditaram que a água estava pegando fogo, e diante da ameaça do bandeirante de queimar os rios, os indígenas renderam-se. Não só permitiram a entrada dos exploradores em seus territórios, como ainda lhes revelaram a localização da mina. Bartolomeu Bueno da Silva recebeu dos índios o apelido de "Anhanguera", que significa "Diabo Velho" ou "Espírito Maligno".

Anhanguera (1672-1740) o filho de Bartolomeu Bueno da Silva, nasceu em Parnaíba, no vale do rio Tietê, São Paulo, herdou do pai o nome e o apelido sendo conhecido como "o segundo Anhanguera". Quando estava com 10 anos acompanhou o pai na expedição de 1682. Em 1701, estava estabelecido em Sabará, Minas Gerais, quando foi nomeado assistente do distrito. À medida que aumentava a exploração de ouro em Sabará e consequentemente a remessa de ouro para a metrópole, crescia também o número de exploradores. Vários conflitos surgiram na região. Em 1720 foi oficializada a independência de Minas Gerais e os paulistas procuraram outras zonas de mineração.

Com o incentivo e permissão do rei de Portugal D. João V, Anhanguera e os sócios, João Leite da Silva Ortiz e Domingos Rodrigues do Prado, assinaram em 14 de fevereiro de 1722, um contrato para procurar as minas nas terras de Goiás, onde seu pai já havia encontrado ouro.

Além do contrato, os bandeirantes receberam um regimento que seria a "lei" nas suas andanças pelo sertão. O regimento era tão amplo que posteriormente serviu de base para a organização da vila de Goiás. No mesmo ano, uma grande expedição partiu de São Paulo rumo ao ouro do oeste. Depois de três anos explorando a região em busca da serra dos Martírios, finalmente encontrou ouro no rio Vermelho.

Ao retornar para São Paulo com a conquista das minas de Goiás, Anhanguera ganhou sesmarias e o direito de cobrar uma taxa sobre a passagem nos rios que conduzissem às minas goianas.  A formação da cidade de Goiás ou Goiás Velho começou depois das descobertas, quando em 1726, Anhanguera foi nomeado capitão-mor, por D. João V e fundou o arraial de Sant' Ana. Em 1739 o arraial recebeu o nome de Vila Boa de Goiás, antiga capital do Estado, (hoje Goiás Velho, ou Goiás).

Acusado de sonegação de impostos, Anhanguera foi perdendo o prestígio e por fim o cargo de capitão-mor. Faleceu pobre em Vila Boa de Goiás, no dia 19 de setembro de 1740.

Veja também as biografias de:
  • Fernão Dias (1608-1681) foi um célebre bandeirante paulista. Ficou conhecido...
  • Borba Gato (1649-1718) foi um dos mais célebres bandeirantes paulistas. Desco...
  • Raposo Tavares (1598-1658) foi um bandeirante paulista, pioneiro da colonizaç...
  • Domingos Jorge Velho (1641-1705) foi bandeirante brasileiro. Chefiou a tropa...

Última atualização: 21/09/2017