Jonathan Swift

Escritor irlandês
Por Dilva Frazão

Biografia de Jonathan Swift

Jonathan Swift (1667-1745) foi um escritor, poeta, crítico literário e prosador satírico irlandês. É o autor de As Viagens de Gulliver – obra prima da literatura do século XVII, que mistura viagem, aventura e ficção científica.

Jonathan Swift nasceu em Dublin, Irlanda, no dia 30 de novembro de 1667. Filho de pais protestantes anglo-irlandeses ficou órfão de pai poucos meses antes de nascer.

Sua mãe foi para a Inglaterra deixando o filho aos cuidados de seu tio Godwin, de cuja incompreensão guardou lembranças amargas. Com seis anos começou seus estudos no Kilkenny Grammar School.

Entre 1682 e 1686 Jonathan foi aluno do Trinity College de Dublin. Onde foi mau aluno, mas conseguiu se formar, “por favor especial”, em 1686.

Em 1688, com a morte de seu tio, transferiu-se para Leicester, passando a morar com sua mãe. Em 1689 tornou-se secretário do escritor e diplomata Sir William Temple, em Moor Park, Surrey.

Em Moor Park conheceu Ester Johnson, uma menina de oito anos a quem ele chamava carinhosamente de “Stella”, uma paixão recolhida, e a quem dedicava belos poemas. Segundo diziam, a jovem era filha de Temple com uma ama da casa.

Foi também nessa época que começou a sofrer da doença de Mémière, um distúrbio no ouvido interno que provoca tonturas e náuseas.

Formação

Em 1692, Jonathan Swift graduou-se na Universidade de Oxford. Em 1693 concluiu o doutorado em Teologia na mesma Universidade. Em 1695 foi ordenado sacerdote na Igreja da Irlanda, o ramo irlandês da Igreja Anglicana.

Nesse mesmo ano, Swift voltou para Moor Park e retomou o cargo de secretário de Sir Temple. Com a morte de Temple em 1699, passou por dificuldades financeiras.

Voltou para a Irlanda e tornou-se capelão e secretário de do Conde de Berkeley. Em 1700 foi nomeado vigário de Laracor.

Em 1701 participou ativamente da vida política da Inglaterra, de início a favor dos whigs (liberais), mas tarde, se desentende com os liberais e alia-se aos tories (conservadores), que defendeu no The Examiner Tory, onde trabalhou como editor.

Em 1713 tornou-se deão da catedral de St. Patrik, em Dublin, “um honroso exílio” dizia ele.

Carreira literária

Em 1696 Jonathan Swift começou a escrever o que seria sua grande obra “O Conto do Tonel”, uma sátira em prosa onde critica os extremos religiosos do catolicismo e do Calvinismo.

Em 1697 escreveu “A Batalha dos Livros”, uma sátira em prosa para defender uma obra de Temple que foi muito criticada. Com a defesa ironiza os conservadores e os liberais.

Em 1701 publicou seu primeiro panfleto político quando tomou partido pelos liberais, e sentiu-se atraído pelo mundo da política.

Admirado e odiado por seus panfletos satíricos, Jonathan Swift consegue apoio de editores e publica “A Batalha dos Livros” e o “Conto de Tonel” em 1704.

Entre 1710 e 1713 escreveu uma série de cartas para Ester, que foram publicadas como “O Diário de Stella”.

As Viagens de Gulliver

Em 1720 Jonathan Swit começou a trabalhar em sua obra-prima “As Viagens de Gulliver”, uma sátira que mistura literatura de viagem, aventuras e ficção científica.

Publicada em 1726 tornou-se um dos clássicos da literatura universal. Da sátira aos Whigs, recriados nos anões de Lilliput, à inventiva mordaz contra a humanidade em geral, Swift recompõe o mundo de acordo com sua crítica e ácida fantasia.

O grotesco é explorado sob todos os ângulos: na pequenez desprezível dos liliputianos, na ampliação escatológica da miséria física dos gigantes de Brobdingnag, nas diatribes ferozes contra os juristas e contra a arte militar e na idiotice dos intelectuais de Laputa.

Uma Modesta Proposta

Em 1729 publica anonimamente “Uma Modesta Proposta para impedir que as crianças pobres se tornem um peso para seus pais e o país”.

Trata-se de uma sátira trágica, de um humor devastador que propunha que as crianças pobres da Irlanda servissem para abastecer como comida o mercado inglês.

Jonathan Swift também se dedicou à poesia, porém pouco chegou à altura da sua qualidade como satírico. Escreveu: “Obras Poéticas de Swift” (1736) e “Versos Sobre a Morte de Doutor Swift, Por Ele Mesmo” (1939).

Morte

Após anos de um progressivo declínio, com um quadro de demência foi considerado mentalmente incapaz. Em 1742 sofre um derrame que o deixou paralítico.

Jonathan Swift faleceu em Dublin, Irlanda, no dia 19 de outubro de 1745. Foi sepultado na Catedral de St. Patrick.

Frase de Jonathan Swift

  • Nada é constante neste mundo senão a inconstância.
  • Quando um verdadeiro gênio se mostra ao mundo, reconhece-se logo da seguinte maneira: todos os idiotas se juntam e conspiram contra ele.
  • A discussão, da forma como habitualmente é gerida, é o pior desporto da conversa, tal como nos livros é geralmente o pior tipo de leitura.
  • O método estoico de enfrentar as necessidades suprimindo os desejos equivale a cortar os pés para não precisar de sapatos.
  • São poucos os que vivem o presente; a maioria aguarda para viver mais tarde.

Última atualização: 15/04/2020

Dilva Frazão
Possui bacharelado em Biblioteconomia pela UFPE e é professora do ensino fundamental. Desde 2008 trabalha na redação e revisão de conteúdos educativos para a web.
Veja também as biografias de:
  • Oscar Wilde (1854-1900) foi um escritor irlandês, autor da obra “O Retrato de...
  • James Joyce (1882-1941) foi um escritor irlandês. Autor de Ulisses, obra que...
  • Bram Stoker (1847-1912) foi um escritor irlandês, autor da obra mais famosa d...
  • Edmund Burke (1729-1797) foi um político e escritor irlandês, um dos mais bri...
  • Samuel Beckett (1906-1989) foi um dramaturgo, romancista e poeta irlandês de...
  • Robert Boyle (1627-1691) foi um físico e químico irlandês, considerado um dos...
  • George Bernard Shaw (1856-1950) foi dramaturgo e romancista irlandês. Pigmale...
  • Monteiro Lobato (1882-1948) foi escritor e editor brasileiro. "O Sítio do Pic...
  • Lima Barreto (1881-1922) foi um escritor brasileiro, o romancista da primeira...
  • Graciliano Ramos (1892-1953) foi um escritor brasileiro. O romance "Vidas Sec...