Rainha de Sabá

Soberana do reino de Sabá

Biografia de Rainha de Sabá

Rainha de Sabá foi uma soberana do antigo reino de Sabá que, segundo alguns pesquisadores, ficava localizado na região sul da península Arábica (no atual Iêmen), próximo ao mar vermelho, entre os séculos X e XII a. C.

A Rainha de Sabá é mencionada em diversos livros sagrados, como no Torá (livro sagrado dos judeus), no Antigo e no Novo Testamento (livro sagrado dos cristãos), no Alcorão (livro sagrado dos muçulmanos) e no Kebra Nagast (Glória dos Reis) dos etíopes.

Onde ficava Sabá

Sabá era o nome de um reino localizado no sudoeste da Arábia pré-islâmica e cuja civilização se acredita ter existido entre os séculos X e XII a. C. O reino foi fundado pelos sabeus, um povo semita que, procedente do norte, invadiu a região e impôs sua cultura à população arborígine.

Sabá era um reino rico em ouro e pedras preciosas bem como incenso e especiarias. Era importante centro de comércio, pois ficava na rota entre a Índia e o Ocidente. Entrou em declínio com a abertura de novas rotas pelo Império Romano.

Há divergências entre alguns pesquisadores, alguns acreditam que as ruínas arqueológicas do palácio da Rainha de Sabá foram encontradas em Axum (Aksum) uma antiga cidade sagrada da Etiópia, na África, e outros acreditam que estão localizadas em Marib, no atual Iêmen.

A rainha de Sabá e Salomão

Diz a lenda que foi de Sabá que saiu a rainha que esteve em Jerusalém em busca de aconselhamento com Salomão. De acordo com o Antigo Testamento, Deus concedeu a Salomão a sabedoria e inteligência extraordinárias. “A Rainha de Sabá ouviu falar da fama de Salomão e foi submeter o rei à prova por meio de enigmas”.

A rainha de Sabá chegou a Jerusalém com uma imponente comitiva de camelos carregados de perfume, muito ouro e pedras preciosas. Apresentou-se a Salomão que soube responder a todas as suas perguntas.

“A rainha de Sabá ficou admirada com a sabedoria do rei Salomão, com as iguarias de sua mesa, com o palácio que ele havia construído, e com a riqueza de se reino”. (1 Reis 10: 1-13) e (2 Crônicas 9: 1-12).

Além de ser citada no Antigo Testamento, a Rainha de Sabá é mencionada no Novo Testamento como a Rainha do Sul, quando Jesus Cristo diz “No dia do julgamento, a Rainha do Sul se levantará contra essa geração e a condenará. Porque ela veio de uma terra distante para ouvir a sabedoria de Salomão. E aqui está quem é maior do que Salomão”. (Mateus 12: 42).

De acordo com a tradição judaico-cristã, Salomão foi o mais sábio, o mais rico e famoso rei de Israel e que se apaixonou pela Rainha de Sabá e dedicou a ela o “Cântico dos Cânticos”, um belo poema de amor, uma verdadeira ode à beleza e elegância da Rainha.

A história da Rainha de Sabá e do rei Salomão é também contada no Alcorão, livro sagrado do Islamismo, em relatos sobre o antigo reino de Israel. A citação sobre a rainha Balqisou Bilqis é semelhante à da Bíblia e relata a existência de um reino que era governado por uma mulher e que o povo venerava o Sol, em vez de Deus.

Crença Etíope

Segundo uma crença etíope, o nome da Rainha de Sabá era Makeda. Há citações da Rainha Makeda de Sabá na Kebra Negast (Glória dos Reis), uma antiga compilação das lendas etíopes.

As citações etíopes relata a visita da rainha de Sabá ao rei Salomão, em Jerusalém, no antigo reino de Israel, e que este teria seduzido a Rainha de Sabá e dessa relação teria nascido um filho chamado Menelek, que se tornou o primeiro imperador da Etiópia.

Ao longo da História, a Rainha de Sabá foi retratada por pintores, historiadores e cineastas. A Rainha de Sabá foi tema dos filmes “Salomão e a Rainha de Sabá” (1959) e “As Mil e Uma Noites” (1973).

Veja também as biografias de:
  • Fernão Lopes (1380-1460) foi escrivão e cronista-mor do reino de Portugal. Po...

Última atualização: 11/07/2019

Possui bacharelado em Biblioteconomia pela UFPE e é professora do ensino fundamental. Desde 2008 trabalha na redação e revisão de conteúdos educativos para a web.