António Botto

Poeta português

Biografia de António Botto

António Botto (1897-1959) foi um poeta, contista e dramaturgo português.Fez parte da Segunda Geração Modernista de Portugal.

António Tomás Botto (1897-1959) nasceu em Concavada, no concelho de Abrantes, Portugal, no dia 17 de agosto de 1897. Filho de Francisco Tomás Botto e de Maria Pires Agudo, em 1902 mudou-se com a família para o bairro de Alfama, em Lisboa. A vida simples no bairro de Alfama é muitas vezes tema de suas poesias.

Desde cedo começou a trabalhar como ajudante de uma livraria onde entrou em contato com as obras de importantes personagens literárias. Estreou na literatura com as coletâneas poéticas: “Trovas” (1917), “Cantigas da Saudade” (1918) e “Cantares” (1919). Em 1921 publicou a primeira edição do livro de poesias “Canções”, que se tornou sua obra mais conhecida e polêmica, onde cultiva a beleza física masculina.

A segunda edição do livro "Canções", publicada em 1922, foi apreendida por causar grande agitação nos meios religiosos e conservadores da época. Nesse mesmo ano, Fernando Pessoa, de quem foi amigo, publica na revista Contemporânea o ensaio “António Botto e o Ideal Estético em Portugal”. Nos anos seguintes, Botto publicou: “Motivos de Beleza” (1923) e “Curiosidades Estéticas” (1924).

Ainda em 1924, António Botto partiu para a África como funcionário público e se estabeleceu como escriturário em Angola. Mais tarde foi transferido para Luanda. Em 1925 regressa para Lisboa e nesse mesmo ano publica “Pequenas Esculturas”, em seguida lança “Olimpíadas” (1927) e “Dandismo” (1928). Em 1930, Fernando Pessoa traduz para o inglês a obra polêmica “Canções”.

No domínio poético, António Botto cultiva o lirismo delicado e puro, oscilando sempre entre duas extremidades. Enquanto uns versos exprimem valores eróticos e sensuais, outros deixam transparecer o caráter social e realista da modesta sociedade lisboeta. Nos contos, acrescenta um caráter moralizante. Dedica-se à prosa de ficção, escrevendo narrativas para adultos e crianças.

António Botto colaborou com várias revistas e jornais, como “Athena”, “A Águia”, a “Contemporânea”, a “Presença”, entre outras. Em 1933 escreveu a peça de teatro, em três atos, “Alfama”. Publicou ainda: “Ciúme” (1934), “Sonetos” (1938) e “Ódio e Amor” (1947). Nesse mesmo ano, depois de levar uma vida desregrada e boêmia, frequentando a região das docas marítima, onde buscava a companhia de marinheiros, partiu para o Brasil.

António Botto faleceu no Rio de Janeiro, no dia 16 de março de 1959.

Veja também as biografias de:
  • Luís de Camões (1524-1580) foi poeta português. Autor do poema Os Lusíadas, u...
  • Fernando Pessoa (1888-1935) foi um dos mais importantes poetas da língua port...
  • Bocage (1765-1805) foi poeta português. O mais importante poeta português do...
  • Tomás Antônio Gonzaga (1744-1810) foi um poeta português. Seu livro "Marília...
  • Almeida Garrett (1799-1854) foi um poeta, prosador e dramaturgo português, te...
  • Camilo Pessanha (1867-1926) foi um poeta português, o melhor representante do...
  • António Nobre (1867-1900) foi um poeta português, criou uma arte singular, al...
  • Mário de Sá-Carneiro (1890-1916) foi um poeta português, da primeira Geração...
  • Eugénio de Andrade (1923-2005) foi um dos maiores poetas portugueses contempo...
  • Guerra Junqueiro (1850-1923) foi um poeta, prosador, jornalista e político po...

Última atualização: 18/07/2016

Possui bacharelado em Biblioteconomia pela UFPE e é professora do ensino fundamental. Desde 2008 trabalha na redação e revisão de conteúdos educativos para a web.