Jerônimo de Albuquerque

Administrador da Capitania de Pernambuco

Biografia de Jerônimo de Albuquerque

Jerônimo de Albuquerque (1510-1584) foi administrador da Capitania de Pernambuco. Auxiliou Duarte Coelho na pacificação dos índios, na expulsão dos invasores e no desenvolvimento econômico e social de Pernambuco.

Jerônimo de Albuquerque nasceu em Lisboa, Portugal, no ano de 1510. Filho de Lopo de Albuquerque e Joana de Bulhões. Era irmão de Brites de Albuquerque, mulher de Duarte Coelho. Descendia de D. Afonso Sanches, filho bastardo do rei Dom Diniz.

Chegada ao Brasil

Jerônimo de Albuquerque desembarcou no Brasil no dia 9 de março de 1535, na comitiva de Duarte Coelho, donatário da Capitania de Pernambuco, que na época abrangia os atuais estados de Pernambuco, Alagoas, Sergipe e parte da Bahia.

Apesar de conquistar o respeito dos indígenas, vários choques ocorreram entre colonos e índios. O hábito do canibalismo era frequente e duramente combatido por Jorge de Albuquerque.

jerônimo de albuquerque
Gravura de Teodore de Bry - Universidade de São Paulo

Por ocasião de uma luta com a tribo tabajara, Jerônimo é ferido no olho por uma flechada e mantido prisioneiro. A índia Muirá-Ubi, filha do cacique Arco Verde, cuida de sua saúde e apaixonada, pede autorização ao pai para casar com Jerônimo. Essa aproximação auxiliou o donatário Duarte Coelho no trato com os índios.

Da união com a índia, batizada Maria do Espírito Santo Arcoverde, nasceram oito filhos, entre eles Jerônimo de Albuquerque, que expulsou os franceses do Maranhão, e posteriormente anexou Maranhão ao seu nome, e Catarina de Albuquerque que se casou com o fidalgo italiano Filipe Cavalcanti.

Comando da capitania

Em 1554 Duarte Coelho vai a Lisboa, deixando no comando da capitania sua mulher Dona Brites de Albuquerque Coelho, ajudada por seu cunhado Jerônimo de Albuquerque.

Em novembro, Duarte Coelho morre em Lisboa e D. Brites fica no comando da capitania até a maioridade de seus filhos, Jorge de Albuquerque Coelho e Duarte de Albuquerque Coelho, que nessa época estudavam na Europa.

Em 1560, vem para o Brasil, Duarte de Albuquerque Coelho, que atingindo a maioridade vem assumir o governo da capitania. Junto com a comitiva vem a portuguesa Dona Filipa de Mello, enviada por Dona Catarina, regente da Coroa, para casar com Jerônimo de Albuquerque, uma vez que não lhe agradava a união não sacramentada com várias índias.

Doma Brites e Jerônimo de Albuquerque mais uma vez assumem o governo da capitania. Duarte e Jorge de Albuquerque pouco ajudaram na administração. Em 1565, Jorge retorna a Portugal e Duarte retorna em 1572, onde é morto em 1578, nos campos africanos de Alcácer-Quibir.

Auxiliando Duarte Coelho, quer como substituto do capitão-mor, ou como sucessor do donatário, Jerônimo muito contribuiu para o desenvolvimento da região. Foram 58 anos de dedicação, até sua morte.

Descendência

Jerônimo deixou uma vasta descendência, fruto de seu casamento legítimo com a portuguesa Dona Filipa de Mello, como também de sua anterior união com a índia Maria do Espírito Santo, e do relacionamento com outras índias. Ao todo, teve 22 filhos, o que lhe valeu o cognome de “Adão Pernambucano”.

Jerônimo de Albuquerque faleceu em Olinda, no dia 25 de dezembro de 1584.

Última atualização: 27/04/2020

Dilva Frazão
Possui bacharelado em Biblioteconomia pela UFPE e é professora do ensino fundamental. Desde 2008 trabalha na redação e revisão de conteúdos educativos para a web.
Veja também as biografias de: