Pablo Neruda

Poeta chileno.

Biografia de Pablo Neruda

Pablo Neruda (1904-1973) foi um poeta chileno, considerado um dos mais importantes escritores em língua castelhana. Recebeu o Premio Nobel de Literatura em 1971.

Pablo Neruda, pseudônimo de Ricardo Eliécer Neftali Reyes, nasceu na cidade de Parral, no Chile, no dia 12 de julho de 1904. Filho de um ferroviário e de uma professora ficou órfão de mãe logo ao nascer. Passou a infância em Temuco, no sul do país. Com sete anos ingressa no Liceu, e ainda na época escolar publica seus primeiros poemas no periódico A Manhã.

Em 1919, Neruda obteve o 3° lugar nos Jogos Florais de Maule, com o poema “Noturno Ideal”. Ainda na adolescência, adotou o nome de Pablo Neruda, inspirado no escritor tcheco Jan Neruda. Em 1920, começa a escrever para a revista literária “Selva Austral”, já usando o pseudônimo de Pablo Neruda.

Primeiras Publicações

Em 1921, Neruda muda-se para Santiago, onde ingressa no curso de francês no Instituto Pedagógico da Universidade do Chile. Nesse mesmo ano, ganha o prêmio da Festa da Primavera com o poema “A Canção da Festa”. Em 1923, reúne seus poemas em “Crepusculario”. Em 1924 publica “Vinte Poemas de Amor e Uma Canção Desesperada”, a obra, repleta de lirismo, que faz de Neruda um dos mais famosos poetas chilenos.

Carreira Diplomática

Em 1927, Pablo Nerda inicia a carreira diplomática, após ser nomeado cônsul-geral do Chile em Rangum (hoje Yangon), na Birmânia (hoje Myanmar). Durante os cinco anos seguintes representou seu país no Siri Lanka, Java e Singapura.

Em 1933, Pablo Neruda escreve uma de suas principais obras, “Residencia em la Tierra", em que emprega imagens e recursos próprios do surrealismo. O tom do livro é de profundo pessimismo em torno de temas como ruína, desintegração e morte, exprimindo a visão de um mundo caótico.

Depois de breve estada em Buenos Aires, onde conhece o poeta Federico Garcia Lorca, Neruda serviu como cônsul na Espanha, primeiro em Barcelona e depois em Madri. A Guerra Civil Espanhola, lhe inspirou a obra “España em el Corazón” (1937), e determinou uma mudança na atitude do poeta, que aderiu ao marxismo e decidiu consagrar sua vida e obra em defesa dos ideais políticos e sociais inspirados no comunismo.

Exílio

Em 1938, Neruda retorna ao Chile. Depois de breve período como embaixador no México, em 1945, foi eleito senador pelo Partido Comunista. Em 1948, o governo decreta a ilegalidade do partido. Neruda critica o tratamento dado aos trabalhadores das minas, na presidência do Gonzáles Videla, é perseguido e se exila na Europa, inclusive na União Soviética. Nessa época, escreveu outra de suas grandes obras, “Canto General” (1950).

Regresso ao Chile

Em 1952, quando o governo chileno restabeleceu as liberdades políticas, Neruda regressa ao país e fixa residência em Isla Negra, no Pacífico. Nessa época, sua obra adquiriu grande diversidade com a publicação de “Odas Elementales” (1954), onde canta a vida cotidiana, com “Cien Sonetos de Amor” (1959) e “Memorial de Isla Negra” (1964) onde evoca o amor e a nostalgia do passado. Em “A Espada Incendiada” (1970) o autor reafirmava seu compromisso com a ideologia político-social.

Em 1971, Pablo Neruda foi nomeado embaixador do Chile em Paris. Em 1972, já doente, retorna para Santiago. Em 1973, um golpe militar derruba o presidente Salvador Allende e se instala uma ditadura militar no Chile. Passado 12 dias do golpe, Pablo Neruda morre.

Pablo Neruda faleceu em Santiago, Chile no dia 23 de setembro de 1973.

Prêmios e Honrarias Recebidos por Pablo Neruda

  • Prêmio Lenin da Paz (1953)
  • Doutor Honoris Causa da Universidade de Oxford (1965)
  • Prêmio Nobel de Literatura (1971)

Saudade (Poema de Pablo Neruda)

Saudade é solidão acompanhada,
é quando o amor ainda não foi embora,
mas o amado já...
Saudade é amar um passado que ainda não passou,
é recusar um presente que nos machuca,
é não ver o futuro que nos convida...
Saudade é sentir que existe o que não existe mais...
Saudade é o inferno dos que perderam,
é a dor dos que ficaram para trás,
é o gosto de morte na boca dos que continuam...
Só uma pessoa no mundo deseja sentir saudade:
aquela que nunca amou.
E esse é o maior dos sofrimentos:
não ter por quem sentir saudades,
passar pela vida e não viver.
O maior dos sofrimentos é nunca ter sofrido.

Principais Obras de Pablo Neruda

  • Crepusculario (1923)
  • Vinte Poemas de Amor e Uma Canção Desesperada (1924)
  • Tentativa del Hombre Infinito (1925)
  • Residência na Terra (1933)
  • Espanha No Coração (1937)
  • Canto General (1950)
  • Odas Elementales (1954)
  • As Uvas e o Vento (1954)
  • Cem Sonetos de Amor (1959)
  • Poemas (1961)
  • Memorial de la Isla Negra (1964)
  • A Espada Incendiada (1970)
  • O Mar e os Sinos (1973)
  • Confesso Que Vivi (1974)
Veja também as biografias de:
  • Augusto Pinochet (1915-2006) foi um ditador chileno que assumiu a presidência...
  • Salvador Allende (1908-1973) foi um político chileno, o primeiro presidente s...
  • Vinicius de Moraes Vinícius de Moraes (1913-1980) foi um poeta e compositor brasileiro. "Garota...
  • Carlos Drummond de Andrade (1902-1987) foi um poeta brasileiro. "No meio do C...
  • Luís de Camões (1524-1580) foi poeta português. Autor do poema Os Lusíadas, u...
  • Castro Alves (1847-1871) foi um poeta brasileiro. O último grande poeta da Te...
  • Fernando Pessoa (1888-1935) foi um dos mais importantes poetas da língua port...
  • Álvares de Azevedo (1831-1852) foi um poeta, escritor e contista, da Segunda...
  • Olavo Bilac (1865-1918) foi um poeta, contista e jornalista brasileiro. Escre...
  • Manuel Bandeira (1886-1968) foi um poeta brasileiro. "Vou-me Embora pra Pasár...

Última atualização: 06/12/2018

Possui bacharel em Biblioteconomia pela UFPE e é professora do ensino fundamental. Desde 2008 trabalha na redação e revisão de conteúdos educativos para a web.