Augusto Pinochet

Ex-presidente chileno

Biografia de Augusto Pinochet

Augusto Pinochet (1915-2006) foi um ditador chileno que assumiu a presidência do Chile após liderar um golpe militar que derrubou o presidente eleito Salvador Allende. Pinochet governou o país entre 1973 e 1990.

Augusto José Ramón Pinochet Ugarte nasceu em Valparaíso, no Chile, no dia 25 de novembro de 1915. Com 18 anos ingressou na Academia Militar, onde se graduou em 1936 com a patente de Tenente de Infantaria. Em 1956 tomou parte da delegação militar chilena nos Estados Unidos. Em 1966 alcançou a patente de coronel e logo depois foi nomeado comandante da IV Divisão das Forças Armadas. Em 1969 chegou a patente de General e assumiu a chefia do Estado Maior do Exército.

No dia 4 de setembro de 1970, a vitória do presidente Salvador Allende, pela Unidade Popular, criada com a participação de socialistas, comunistas, radicais, e com o apoio do partido social democrata e do partido comunista, despertou a atenção dos setores mais conservadores do exército e da sociedade chilena. Em 1973, diante de uma campanha de desestabilização das instituições estatais, o legalista general Carlos Prats se negou a participar de um golpe, sendo obrigado por seus companheiros a renunciar a seus cargos de Ministro de Defesa e Comandante das Forças Armadas, sendo substituído pelo General Augusto Pinochet que, com o apoio dos Estados Unidos derrubou o presidente Salvador Allende, com um golpe militar, no dia 11 de setembro de 1973. Foram três horas de bombardeio no Palácio de La Moneda, com o uso de aviões da Força Aérea. Allende, que se encontrava no interior do prédio, não se rendeu e acabou morto dentro do palácio presidencial.

Ditadura militar

Após o golpe, uma junta militar passou a governar o país. No dia 17 de junho de 1974 Augusto Pinochet assumiu o cargo de Chefe Supremo da Nação. Em 1981 se autoproclamou Presidente da República do Chile. Deu continuidade a uma dura repressão com o objetivo de eliminar a oposição política e concentrar em sua pessoa quase a totalidade dos poderes de Estado. Os serviços de inteligência, a DINA e o Centro Nacional de Informação (CNI), criados em 1977, tiveram importante papel na repressão e no regime autoritário que se instalou.

Durante a ditadura, os integrantes da antiga colisão Unidade Popular foram perseguidos, presos, torturados e muitos deles assassinados. A perseguição aos opositores transpôs as fronteiras nacionais, como os atentados ao general Prats, em 1974, em Buenos Aires, e ao diplomata Orlando Letelier, em 1976, em Washinghton. Segundo as estatísticas, mais de 3 mil pessoas foram assassinadas durante a repressão. Em 1977, seu governo foi condenado pela comissão dos Direitos Humanos das Nações Unidas.

Em 1980 foi aprovada uma nova constituição de caráter autoritário que garantiu sua permanência no governo até 1989. Depois de eliminar toda a oposição política e sindical, foi instituída uma nova política econômica baseada nos princípios neoliberais e monetarista. Seu severo plano de ajustes realizou um drástico corte dos salários e iniciou a privatização das empresas públicas decadentes. Depois de uma enorme recessão, o governo de Augusto Pinochet começou a dar rendimentos e iniciou uma grande expansão.

Derrota nas urnas

Em 1988, Pinochet convocou um referendo, já previsto na Constituição, que determinava seu direito de concorrer a um novo mandato, o que provocou uma onda de protestos populares. O resultado das urnas não lhe foi favorável, e com o triunfo da oposição política, coligada à Concentração Democrática (CD) se iniciou um processo de transição para a democracia. Em 1989 foram realizadas eleições quando saiu vencedor o democrata-cristão Patrício Aylwin. No entanto, Augusto Pinochet continuou na chefia das Forças Armadas até março de 1998. Em seguida, entrou no Congresso como senador vitalício, cargo criado por ele mesmo.

Ainda em 1998, com problemas de saúde, Pinochet vai para a Inglaterra para realizar uma cirurgia na coluna. No dia 16 de outubro, enquanto se recuperava em uma clínica em Londres, foi preso pela Scotland Yard acusado no processo de um juiz espanhol por crimes de genocídio e terrorismo contra cidadãos espanhóis. No dia 11 de dezembro de 1998, Pinochet foi julgado pela primeira vez diante de um tribunal londrino, quando alegou que as acusações eram mentirosas. Debilitado, e sem condições de enfrentar novo julgamento, recuperou sua imunidade, embora vigiado.  No dia 3 de março de 2000 estava de volta ao Chile quando se viu envolvido em mais de 300 ações criminais, dentro e fora do país.

Augusto Pinochet faleceu no Hospital Militar de Santiago, no Chile, no dia 10 de dezembro de 2006.

Veja também as biografias de:

Última atualização: 02/08/2017