Padre Quevedo

Padre jesuíta e parapsicólogo

Biografia de Padre Quevedo

Padre Quevedo (1930-2018) foi um padre jesuíta, parapsicólogo e professor. De origem espanhola e nacionalizado brasileiro, foi o criador do famoso bordão “Isso non ecziste”.

Infância e Formação

Oscar Gonzáles-Quevedo Bruzón, conhecido como Padre Quevedo, nasceu em Madri, Espanha, no dia 15 de dezembro de 1930. Filho do deputado Manuel Gonzáles-Quevedo Monfort e da inglesa Angeles Bruzón. Durante a Guerra Civil Espanhola, após a prisão e fuzilamento de seu pai, fugiu com a família para Gibraltar.

Padre Quevedo formou-se em Humanidades Clássicas na Universidade Pontíficia de Comillas, na Espanha. Nessa mesma época, descobriu sua vocação religiosa. Estudou Filosofia e Psicologia na Universidade de Santander. Curioso sobre o ocultismo aprofundou seus estudos sobre o além, sobre magia e ilusionismo.

Mudança Para o Brasil

Aconselhado pelo reitor e padre Vicente González, Quevedo viajou para o Brasil onde encontrou um campo fértil para estudar o sobrenatural, em vista da forte superstição da cultura popular. Durante três anos, estudou no Seminário São Leopoldo, no Rio Grande do Sul, e em 1961 foi ordenado padre. Além de espanhol e português, Padre Quevedo lia e falava o latim, o hebraico, grego, inglês, francês e italiano.

Parapsicologia

Ainda nos anos 60, Padre Quevedo naturalizou-se brasileiro e passou a lecionar parapsicologia no Centro Universitário Salesiano de São Paulo. Em 1970, Padre Quevedo fundou o Centro Latino-Americano de Parapsicologia (CLAP), onde também lecionou e dirigiu até sua aposentadoria.

Padre Quevedo tornou-se conhecido por rechaçar aquelas pessoas que se declaravam paranormais e que podiam realizar milagres através de intervenções do além. Ele se dedicou a ações que tinham por objetivo desmascarar falsos curandeiros e médiuns, além de explicar os fenômenos que eram considerados sobrenaturais. Criou o famoso bordão: “Isso non ecziste”.

A fama de Padre Quevedo veio ainda na década de 70, quando se apresentou em um programa de televisão e desmascarou o ilusionista Uri Geller, que afirmava entortar colheres com supostos poderes paranormais. Após essa participação, realizou diversas apresentações na televisão para desvendar fenômenos da natureza e revelar a verdade por trás dos truques de charlatões. Desmascarou também o médio Thomas Green Morton.

Em 2012, Padre Quevedo se aposentou e sua equipe fundou o Instituto Padre Quevedo de Parapsicologia. O Instituto possui uma ampla biblioteca especializada, um Memorial e o Museu de Parapsicologia que coleciona objetos usados em rituais de ocultismo, esoterismo e cultos afro-brasileiros. Nesse mesmo ano, Padre Quevedo foi para a casa de repouso dos jesuítas, em Belo Horizonte.

Padre Quevedo faleceu em Belo Horizonte, Minas Gerais, no dia 9 de janeiro de 2019, de complicações cardíacas.

Livros

  • Padre Quevedo escreveu dezessete livros sobre parapsicologia, entre eles:
  • A Força Física da Mente (1968)
  • O Que é Parapsicologia (1971)
  • Face Oculta da Mente (1972)
  • Os Curandeiros (1977)
  • Antes Que os Demônios Voltem (1989)
  • Os Mortos Interferem no Mundo (1993)
  • Os Espíritos e os Fenômenos Para-físicos (1993)
  • Milagres (1996).
Veja também as biografias de:

Última atualização: 05/02/2019

Dilva Frazão
Possui bacharelado em Biblioteconomia pela UFPE e é professora do ensino fundamental. Desde 2008 trabalha na redação e revisão de conteúdos educativos para a web.