Bartolomeu de Gusmão

Sacerdote brasileiro

Biografia de Bartolomeu de Gusmão

Bartolomeu Lourenço de Gusmão (1685-1724) foi um sacerdote e inventor brasileiro. Entre suas experiências estava o primeiro balão construído no mundo. Na sala dos diplomatas, no Palácio Real, sua invenção foi apresentada ao Rei de Portugal, D. João V, a fidalgos e funcionários da corte, dizendo ser capaz de guiá-lo e transportar pessoas, munições e víveres. Ficou conhecido como "O padre voador"

Bartolomeu de Gusmão (1685-1724) nasceu em Santos, São Paulo, no dia 18 de dezembro de 1685. Era filho do cirurgião-mor Francisco Lourenço Rodrigues e Maria Álvares. O casal teve doze filhos e oito entraram para vida religiosa. Era irmão do famoso estadista e diplomata Alexandre de Gusmão. Estudou no Seminário Jesuíta de Belém da Cachoeira, na Bahia, cujo diretor era o protetor de Bartolomeu e de Alexandre e de quem adotaram o sobrenome Gusmão.

Ordenou-se padre e em 1701 foi para Lisboa onde estudou Direito Canônico na Universidade de Coimbra e ordena-se Sacerdote. Nessa época, inicia a construção de seu balão. Em abril de 1709 pede licença a D. João V, para fazer experiências com o balão, no Palácio Real. Na sala dos diplomatas, D. João V, fidalgos e funcionários aguardam a apresentação da experiência antes anunciada, "Um instrumento para andar no ar". De um canto da sala, um pequeno balão de papel, em forma de pirâmide e com armação de arame, tendo fogo no seu interior, sobe quatro metros. Era o primeiro aeróstato construído no mundo. Ficou conhecido como o "Padre Voador".

Bartolomeu de Gusmão foi perseguido pela Inquisição por ser amigo de judeus. Fugiu para a Holanda, onde fez experiências com lentes. Seguiu para a França onde vendia nas ruas, remédios fabricados por ele. Com espírito inquieto, estava sempre inventando alguma coisa. Formado em Direito, teve atuação nos tribunais, foi membro da Academia Real de História, cumpriu missões diplomáticas com o apoio do rei D. João V. Em 1711, Bartolomeu de Gusmão viajou para Roma, numa visita diplomática e no seu retorno foi nomeado Secretário dos Estrangeiros.

Bartolomeu de Gusmão sofreu zombaria dos fidalgos e inquisidores, que viam em suas invenções obra de feitiçaria. Fugiu novamente, seguindo para a Espanha. No caminho de Toledo foi acometido por uma febre e não resistiu.

Bartolomeu de Gusmão faleceu em Toledo, Espanha, no dia 18 de novembro de 1724.

Veja também as biografias de:

Última atualização: 17/10/2017