Carlos Fuentes

Escritor mexicano
Por Dilva Frazão

Biografia de Carlos Fuentes

Carlos Fuentes (1928-2012) foi um escritor mexicano, considerado um dos maiores romancistas em língua espanhola, na América Latina. Nos anos 60, Carlos Fuentes viveu em Paris, Veneza e Londres. Lecionou em Harvard, Cambridge, Princeton e outras universidades de renome internacional.

Carlos Fuentes nasceu na cidade do Panamá, no Panamá, no dia 11 de novembro de 1928, na época em que seu pai servia como diplomata mexicano no país.

Fuentes passou a infância em diversos países, entre eles Argentina, Brasil, Chile, Uruguai e Estados Unidos. Aos 16 anos foi para o México, onde iniciou seu trabalho como jornalista.

Formação

Carlos Fuentes formou-se em Direito pela Universidade Nacional Autônoma do México e em Economia pelo Instituto de Altos Estudos Internacionais de Genebra, na Suíça.

Carreira literária e diplomática

Em 1954, Carlos Fuentes fundou, com o crítico Emmanuel Carballo, a Revista Mexicana de Literatura, que passou a editar ao mesmo tempo em que colaborava com outras publicações.

Em 1954, Fuentes estreou na literatura com o livro de contos, “Los Dias Enmascarados”, que foi bem aceito pela crítica.

A fama do escritor veio com sua estreia como romancista com a publicação de “A Região Mais Transparente”, editado em 1958, obra ambiciosa em que procurou se engajar na corrente do Romance Experimental.

A partir dessa obra, sua produção incorporou influências estranhas à literatura hispânica e recursos literários como o monólogo interior e frequentes referências do passado.

Com a publicação de “Las Buenas Conciencias” (1959), Carlos Fuentes iniciou uma tetralogia que deixou inacabada. A obra narra as esperanças do jovem Jaime Ceballos, de família aristocrática e católica, na Revolução Mexicana, e a desilusão final com o destino do movimento.

Nos anos 60, Carlos Fuentes viveu em Paris, Veneza e Londres. Lecionou em Harvard, Cambridge, Princeton e outras universidades de renome internacional.

Em 1962, Carlos Fuentes lançou uma de suas obras mais conhecidas, “La Muerte de Artêmio Cruz”, que narra a história de um homem que venceu na vida graças a Revolução e depois, rico e poderoso, não hesita em traí-la e morre na miséria.

 Entre os anos de 1975 a 1977, foi embaixador do México na França. Diplomata e atuante intelectual público, ele se orientava por uma concepção de esquerda democrática. Foi por muito tempo um crítico dos desmandos do Partido Revolucionário Institucional do México.

Sua obra ficcional, composta de 22 romances e nove coletâneas de contos, constitui um vasto panorama da história mexicana. Foi, ao lado de Mário Vargas Llosa, Gabriel Garcia Marquez e Octávio Paz, um expoente do boom literário latino-americano da década de 60.

Carlos Fuentes notabilizou-se pelo estilo do realismo fantástico, característica frequente em autores latino-americanos. A obra "Gringo Velho" (1985), que foi adaptada para o cinema.

Carlos Fuentes recebeu o Prêmio Nacional de Literatura, o mais importante do gênero em seu país. Recebeu o Prêmio Miguel de Cervantes, em 1987, o Prêmio Príncipe de Astúrias, na Espanha, a Medalha Picasso, da UNESCO, e o título de Doutor Honoris Causa, pela Universidade das Ilhas Baleares, Espanha, pela qualidade e extensão de sua obra.

Carlos Fuentes Macias faleceu na cidade do México, México, no dia 15 de maio de 2012.

Frases de Carlos Fuentes

"Há coisas que sentimos na pele, outras que vemos com os olhos e outras que apenas pulsam no coração."

"Certamente, existem atos que só acontecem porque os tememos. Se o nosso medo não os convidassem, não viriam."

"O passado está escrito na memória e o futuro está presente no desejo."

"Toda descoberta é um desejo, e todo desejo, uma necessidade. Nós inventamos o que descobrimos; descobrimos o que imaginamos. Nossa recompensa é o encantamento."

Obras de Carlos Fuentes

  • Los Dias Enmascarados (1954)
  • La Región Más Transparente (1957)
  • Las Buenas Consciencias (1959)
  • Aura (1962)
  • La Muerte de Artemio Cruz (1962)
  • Cantar de Ciegos (1964)
  • Zona Sagrada (1967)
  • Cambio de Piel (1967)
  • Cumpleaños (1969)
  • La Nueva Novela Hispano Americana (1968)
  • El Mundo de José Luís Cuevas (1969)
  • Todos los Gatos son Pardos (1970)
  • La Casa com Dos Puertas (1970)
  • Tiempos Nexicano (1971)
  • Terra Nostra (1975)
  • Uma Família Lejana (1980)
  • Gringo Velho (1985)
  • Cristóbal Nonato (1987)
  • La Campaña (1990)
  • El Espejo Enterrado (1992)
  • Diana ou a Caçadora Solitária (1996)
  • Los Años com Laura Diaz (1999)
  • Instinto de Inez (2001)
  • En Esto Creo (2002)
  • La Silla del Águila (2003)
  • Contra BUsh (2004)
  • Todas as Familias Felices (2006)
  • La Voluntad y la Fortuna (2008)
  • Vlad (2010)
  • La Gran Novela Latino Americana (2011). 
Dilva Frazão
Possui bacharelado em Biblioteconomia pela UFPE e é professora do ensino fundamental. Desde 2008 trabalha na redação e revisão de conteúdos educativos para a web.
Veja também as biografias de:
  • Roberto Gómez Bolaños (1929-2014) foi um humorista mexicano, escritor, ator p...
  • Diego Rivera (1886-1957) foi um artista plástico mexicano, um dos mais import...
  • Octávio Paz (1914-1998) foi poeta e pensador mexicano. Ganhou o Prêmio Nobel...
  • Pancho Villa (1878-1923) foi um revolucionário mexicano, um dos mais destacad...
  • Monteiro Lobato (1882-1948) foi escritor e editor brasileiro. "O Sítio do Pic...
  • Lima Barreto (1881-1922) foi um escritor brasileiro, o romancista da primeira...
  • Graciliano Ramos (1892-1953) foi um escritor brasileiro. O romance "Vidas Sec...
  • Ariano Suassuna (1927 - 2014) foi um escritor brasileiro. O Auto da Compadeci...
  • Euclides da Cunha (1866-1909) foi um escritor brasileiro, autor da obra "Os S...
  • Aluísio Azevedo (1875-1913) foi um escritor brasileiro. "O Mulato" foi o roma...