Lima Barreto

Escritor e Jornalista

Biografia de Lima Barreto

Lima Barreto (1881-1922) foi um escritor brasileiro, “o romancista da primeira república.” Foi um importante escritor do Pré-Modernismo - período histórico que precedeu a Semana de Arte Moderna.

Infância e Adolescência

Afonso Henriques de Lima Barreto nasceu em Laranjeiras, Rio de Janeiro no dia 13 de maio de 1881. Filho do tipógrafo Joaquim Henriques de Lima Barreto e da professora primária Amália Augusta, ambos mestiços e pobres, sofreu preconceito a vida toda. Com sete anos ficou órfão de mãe. Por ser afilhado do Visconde de Ouro Preto fez o curso secundário no Colégio Pedro II. Ingressou na Escola Politécnica do Rio de Janeiro onde iniciou o curso de Engenharia.

Em 1903, quando cursava o terceiro ano, foi obrigado a abandonar o curso, pois seu pai havia enlouquecido e o sustento dos três irmãos agora era responsabilidade dele. Em 1904, presta concurso para escriturário do Ministério da Guerra, é aprovado e permanece na função até se aposentar. Em 1905, ingressou no jornalismo com uma série de reportagens que escreveu para o Correio da Manhã. Em 1907 fundou a revista “Floreal”, que lança apenas quatro números.

Estreia Literária

Em 1909, Lima Barreto estreou na literatura com a publicação do romance "Recordações do Escrivão Isaías Caminha". O texto acompanha a trajetória de um jovem mulato que vindo do interior sofre sérios preconceitos raciais. A obra, em tom autobiográfico, é um brado de revolta contra o preconceito racial e uma implacável sátira ao jornalismo carioca. A crítica social paira em um plano psicológico: muitas vezes quem fala é o próprio autor e não seu personagem-narrador Isaías Caminha.

Triste Fim de Policarpo Quaresma

Em 1915, depois de ter publicado em folhetos, Lima Barreto publica o livro “Triste Fim de Policarpo Quaresma", sua obra-prima. Nesse romance, o autor descreve a vida política no Brasil após a Proclamação da República. A obra narra os ideais e as frustrações do funcionário público, Policarpo Quaresma, homem metódico e nacionalista fanático. Sonhador e ingênuo, Policarpo dedica a vida a estudar as riquezas do país. Além da descrição política do final do século XIX, a obra traça um rico painel social e humano dos subúrbios cariocas na virada do século.

Estilo Literário e Características da Obra de Lima Barreto

A obra de Lima Barreto, desenvolvida na primeira década do século XX, no período da primeira república, representou a fase de transição da literatura, em que as influências europeias vão se exaurindo e surge uma verdadeira renovação da linguagem e da ideologia. Esse período que não chegou a constituir um movimento literário chamou-se Pré-Modernismo. Entre outros autores do Pré-Modernismo destacam-se Euclides da Cunha e Monteiro Lobato.

Embora os autores do Pré-Modernismo ainda estivessem presos aos modelos do romance realista-naturalista, se observa na obra de Lima Barreto, a busca por uma linguagem mais simples e coloquial. Lima Barreto procurou “escrever brasileiro”, com simplicidade. Para isso, teve de ignorar muitas vezes as normas gramaticais e de estilo, provocando a ira dos meios acadêmicos e conservadores.

Com uma linguagem descuidada, suas obras são impregnadas da justa preocupação com os fatos históricos e com os costumes sociais. Lima Barreto torna-se uma espécie de cronista e um caricaturista se vingando da hostilidade dos escritores e do público burguês. Poucos aceitam aqueles contos e romances que revelavam a vida cotidiana das classes populares, sem qualquer idealização. Ao produzir uma literatura inteiramente desvinculada dos padrões e do gosto vigente, recebe severas críticas dos letrados tradicionais. Explora em suas obras as injustiças sociais e as dificuldades das primeiras décadas da República.

Lima Barreto com seu espírito inquieto e rebelde, com seu inconformismo com a mediocridade reinante e com a doença do pai, se entrega ao álcool. É levado a diversas crises, com verdadeiras manifestações de alienação mental. Foi internado duas vezes com alucinações fantásticas que o perseguem. No momento de lucidez inicia a redação do livro "Cemitério dos Vivos", onde ele dizia: "O abismo abriu-se a meus pés e peço a Deus que jamais ele me trague, nem mesmo o veja diante dos meus olhos como vi por várias vezes. De mim para mim, tenho certeza que não sou louco ..." Lima Barreto viveu apenas 41 anos.

Lima Barreto faleceu no Rio de Janeiro, no dia 01 de novembro de 1922.

Curiosidades

  • No dia 13 de março de 1888, a Princesa Isabel ia assinar em praça pública a Lei Áurea. Entre as pessoas que comemoravam a abolição estava o menino mulato, Lima Barreto, que aniversariava naquele dia. Guiado pela mão do pai, via uma multidão de escravos que aguardavam a liberdade. Muitos anos mais tarde, essas recordações marcaram sua obra.
  • Ao se matricular na Escola Politécnica, Lima Barreto é interpelado por um veterano: “Onde já se viu um mulato com nome de rei de Portugal?”
  • Quando cursava a faculdade, Lima Barreto estudava pouco, preferia ler os filósofos e publicar artigos no jornal da faculdade, assinando com o pseudônimo de “Momento de Inércia”.

Obras de Lima Barreto

  • Recordações do Escrivão Isaías Caminha, romance, 1909
  • Aventuras do Dr. Bogoloff, humor, 1912
  • Triste Fim de Policarpo Quaresma, romance, 1915
  • Numa e Ninfa, romance, 1915
  • Vida e Morte de M. J. Gonzaga e Sá, romance, 1919
  • Os Bruzundangas, sátira política e literária, 1923
  • Clara dos Anjos, romance, 1948
  • Coisas do Reino do Jambon, sátira política e literária, 1956
  • Feiras e Mafuás, crônica, 1956
  • Bagatelas, crônica, 1956
  • Marginália, crônica sobre folclore urbano, 1956
  • Vida Urbana, crônica sobre folclore urbano, 1956
Veja também as biografias de:
  • George Orwell (1903-1950) é o pseudônimo de Eric Arthur Blair, escritor e jor...
  • Caio Fernando Abreu (1948-1996) foi um escritor, jornalista e dramaturgo bras...
  • Leandro Narloch (1978) é um escritor e jornalista brasileiro, autor do livro...
  • Otto Lara Resende (1922-1992) foi um escritor e jornalista brasileiro, foi el...
  • Laurentino Gomes (1956) é um escritor e jornalista brasileiro. É o autor do l...
  • Paulo Francis (1930-1997) é o pseudônimo de Franz Paul Trannin da Matta Heilb...
  • João Pereira Coutinho (1976) é um jornalista, escritor, cientista político e...
  • João do Rio (1881-1921) foi um jornalista, escritor e dramaturgo brasileiro,...
  • Amauri Ribeiro Jr. Amaury Ribeiro Jr. é um jornalista brasileiro polêmico, que atua no jornalism...
  • Ian Fleming (1908-1964) foi escritor e jornalista inglês. Criou o personagem...

Última atualização: 28/09/2018

Possui bacharel em Biblioteconomia pela UFPE e é professora do ensino fundamental. Desde 2008 trabalha na redação e revisão de conteúdos educativos para a web.