Otto Lara Resende

Escritor e jornalista brasileiro

Biografia de Otto Lara Resende

Otto Lara Resende (1922-1992) foi um escritor e jornalista brasileiro, foi eleito membro da Academia Brasileira de Letras, para a cadeira nº. 39.

Otto Lara Resende nasceu em São João Del-Rei, Minas Gerais, no dia 1 de maio de 1922. Filho de Antônio de Lara Resende, professor de português e fundador do jornal local, e de Maria Julieta de Oliveira Resende. Fez seus estudos primário e secundário em sua cidade natal, no Colégio Padre Machado, dirigido por seu pai.

Desde criança mostrou interesse pela literatura. Aos onze anos iniciou um diário que representava importante depoimento psicológico de um adolescente. Fez suas anotações até os dezoitos anos, e conservo-o até os vinte anos, quando inexplicavelmente desapareceu. Otto escreveu também poesias, sobretudo sonetos. Quando terminou o ensino secundário, tinha pronto um volume de contos, mas não publicou.

Em 1938, transferiu-se para Belo Horizonte. Em 1940 começou a publicar artigos de crítica no periódico O Diário, ao mesmo tempo, que divulgava em suplementos locais e cariocas, poemas em prosa, sob o título de "Poemas Necessários". Em 1941 ingressou na Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais. Nessa época dava aulas de Português, Francês e História em um colégio de Belo Horizonte.

Carreira de Jornalista

Em 1945, Otto Lara Resende mudou-se para o Rio de Janeiro, onde começou a trabalhar na imprensa, como cronista político da Constituinte de 1946. Entre os anos de 1946 a 1954 manteve intensa atividade jornalística. Trabalhou nos jornais: Última Hora, O Globo, Jornal do Brasil e na Revista Manchete, chegando a diretor da mesma. Em 1949 foi nomeado para secretário na Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro. Anos depois foi nomeado Procurador do Estado da Guanabara.

Otto Lara Resende e Nelson Rodrigues

A amizade de Otto Lara Resende com Nelson Rodrigues levou Nelson, em meados dos anos 50, transformar Otto em personagem de suas crônicas e em título de uma de suas peças – “Bonitinha, mas Ordinária, ou Otto Lara Resende”, e incluído no texto a sua frase “Mineiro só é solidário no câncer”, que Otto refutava a autoria que lhe é atribuída..

Primeiro Livro

Até então dedicado à crítica, Lara Resende estreou na ficção, em 1952 com "O Lado Humano", seu primeiro livro de contos, sobre temas do cotidiano. Em 1957 publica "Boca do Inferno", também contos, onde aborda o universo infantil, em sete histórias nas quais é mostrada a complexidade psicológica da criança.

Adido Cultural e Escritor

Em 1957, Otto Lara Resende parte para Bruxelas, como Adido na Embaixada do Brasil. De volta ao Rio de Janeiro, em 1960, passa a escrever com regularidade na imprensa, desta vez, crônicas de sentido literário. Em 1962, publicou “O Retrato na Gaveta”, contos e novelas. Em 1963 publica o "Braço Direito", seu único romance, que recebeu o Prêmio Lima Barreto, instituído pelo livreiro Carlos Ribeiro, no Rio de Janeiro.

Em 1964, Otto publica a novela “A Cilada”, incluída no volume “Os Sete Pecados Mortais”, de vários autores. Entre os anos de 1966 a 1970 ocupou o cargo de Adido Cultural da Embaixada do Brasil em Lisboa. De volta ao Brasil, trabalhou no cargo de diretor do Jornal do Brasil. Em 1974 ingressou nas Organizações Globo, onde permanece durante dez anos.

Últimos Anos

Em 1979 é eleito membro da Academia Brasileira de Letras, ocupando a cadeira nº. 39. Em 1980, a Som Livre lançou o disco “Os Quatro Mineiros” com a gravação de leitura de poemas e textos em prosa de Otto, Fernando Sabino, Hélio Pellegrino e Paulo Mendes Campos. Em 1991, com 69 anos, Otto foi contratado como colunista do jornal A Folha de São Paulo. A coluna estreou com o título “Bom Dia Para Nascer”. Os ensaios publicados na imprensa lhe renderam o volume póstumo: “O Príncipe e o Sabiá”.

Otto Lara Resende faleceu no Rio de Janeiro, no dia 28 de dezembro de 1992.

Frases de Otto Lara Resende

  • Para mim, é absolutamente fundamental que o espetáculo não termine aqui embaixo, na Terra.
  • O homem é um animal gratuito.
  • O Mineiro só é solidário no câncer.
  • Depois dos 50, a vida precisa de um anestésico.
  • A morte é de tudo na vida, a única coisa absolutamente insubornável.

Obras de Otto Lara Resende

O Lado Humano, contos, 1952
A Boca do Inferno, contos, 1957
O Retrato na Gaveta, contos, 1962
O Braço Direito, romance, 1963
A Cilada, conto, (Os Sete Pecados Mortais), 1964
As Pompas do Mundo, contos, 1975
O Elo Partido e Outras Histórias, contos, 1991
Bom Dia Para Nascer, crônicas, 1993
O Príncipe e o Sabiá, ensaios 1994
A Testemunha Silenciosa, novelas, 1995

Veja também as biografias de:
  • Caio Fernando Abreu (1948-1996) foi um escritor, jornalista e dramaturgo bras...
  • Leandro Narloch (1978) é um escritor e jornalista brasileiro, autor do livro...
  • Laurentino Gomes (1956) é um escritor e jornalista brasileiro. É o autor do l...
  • João do Rio (1881-1921) foi um jornalista, escritor e dramaturgo brasileiro,...
  • Paulo Francis (1930-1997) é o pseudônimo de Franz Paul Trannin da Matta Heilb...
  • Amauri Ribeiro Jr. Amaury Ribeiro Jr. é um jornalista brasileiro polêmico, que atua no jornalism...
  • Eduardo Bueno (1958) é um jornalista, escritor, tradutor e editor brasileiro...
  • Rodrigo Melo Franco (1898-1969) foi advogado, jornalista e escritor brasileir...
  • Lima Barreto (1881-1922) foi um escritor brasileiro, o romancista da primeira...
  • George Orwell (1903-1950) é o pseudônimo de Eric Arthur Blair, escritor e jor...

Última atualização: 18/12/2018

Possui bacharelado em Biblioteconomia pela UFPE e é professora do ensino fundamental. Desde 2008 trabalha na redação e revisão de conteúdos educativos para a web.