Caio Fernando Abreu

Escritor e jornalista brasileiro
Por Dilva Frazão
Biblioteconomista e professora

Biografia de Caio Fernando Abreu

Caio Fernando Abreu (1948-1996) foi um escritor, jornalista e dramaturgo brasileiro, considerado um legítimo representante da geração que marcou a cena cultural do país nos anos 80.

Infância e Juventude

Caio Fernando Loureiro de Abreu nasceu em Santiago do Boqueirão, no interior do Rio Grande do Sul, no dia 12 de setembro de 1948. Com seis anos escreveu seu primeiro texto. Em 1963, junto com a família, mudou-se para Porto Alegre onde cursou o colegial. Em 1966 publicou seu primeiro conto “O Príncipe Sapo”, na revista Cláudia. Nesse mesmo ano iniciou seu primeiro romance “Limite Branco”.

Em 1967, Caio Fernando Abreu ingressou nos cursos de Letras e de Artes Cênicas na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, mas não se formou. Em 1968 mudou-se para São Paulo para ingressar na primeira redação da revista Veja, após ser selecionado em um concurso nacional. Nessa época, era assíduo frequentador dos bares da moda além de ser amigo do cantor Cazuza.

No começo dos anos 70 foi perseguido pela ditadura militar, e passou a levar uma vida errante. Em 1971, foi morar no Rio de Janeiro onde passou a trabalhar como pesquisador e redator das revistas Manchete e Pais e Filhos. Nesse mesmo ano, retornou para Porto Alegre onde foi preso por porte de drogas.

Em 1973, fugindo do regime militar, Caio Fernando Abreu se exilou na Europa, morou em Londres e em Estocolmo, tendo que lavar pratos para se sustentar. Em 1974, voltou para Porto Alegre e recomeçou sua criação literária. Escreveu para o teatro e colaborou com diversos veículos de imprensa.

O Ovo Apunhalado (1975)

Em 1975, Caio Fernando Abreu lançou seu terceiro livro, “O Ovo Apunhalado”, que apresenta 21 contos divididos em três partes: ALFA, BETA e GAMA. A obra reflete os acontecimentos que abalaram a sociedade na década de 70, período marcado pela ditadura militar. A obra sofreu vários cortes da censura, mas mesmo assim foi considerado um dos melhores livros do ano e recebe menção honrosa do Prêmio Nacional de Ficção.

Morangos Mofados (1982)

Em 1982, Caio Fernando Abreu lançou sua obra mais popular que o tornou conhecido: "Morangos Mofados" é um livro de contos que são verdadeiros curtas-metragens sobre a grande metrópole e os zumbis que habitam suas áreas de penumbra.

No melhor livro do autor, ele encontra a medida justa para expressar a tragédia de uma geração entre o sufoco, a solidão isolada ou compartilhada, combatida a golpes de bebida, drogas, sexo hétero e homo, ou fuga suprema pela opção do suicídio. Um dos contos de maior destaque é "Sargento Garcia."

Prêmios

Caio Fernando Abreu recebeu três vezes o Prêmio Jabuti, na Categoria Contos, Crônicas e Novelas com as obras: “O Triângulo das Águas” (1984), “Os Dragões Não Conhecem o Paraíso” (1989) e “As Ovelhas Negras” (1995). Em 1989 recebe o Prêmio Molière, junto com Luiz Artur Nunes, com a peça “A Maldição do Vale Negro” (1988). Em 1990 publicou seu último romance “Onde Andará Dulce Veiga?”, que em 1991 recebeu o Prêmio da APC, de melhor romance do ano. A obra posteriormente foi adaptada para o cinema.

Doença e Morte

Em 1993, Caio Fernando Abreu passou a escrever crônicas semanais para o Estado de São Paulo. Em 1994 descobriu ser portador do vírus da AIDS. Resolve declarar publicamente no jornal O Estado de S. Paulo, uma série de três cartas denominadas “Cartas para Além do Muro”, onde revela sua doença.

Caio Fernando Abreu faleceu em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, no dia 25 de fevereiro de 1996.

Frases de Caio Fernando Abreu

Nada em mim foi covarde, nem mesmo as desistências: desistir, ainda que não pareça, foi meu grande gesto de coragem.

Estou me afastando de tudo que me atrasa, me engana, me segura e me retém. Estou me aproximando de tudo que me faz completo, me faz feliz e que me quer bem.

A vida é feita de escolhas. Quando você dá um passo à frente, inevitavelmente alguma coisa fica para trás.

Mesmo sem compreender, quero continuar aqui onde está constantemente amanhecendo.

Obras de Caio Fernando Abreu

  • Limite Branco (1971)
  • O Ovo Apunhalado (1975)
  • Pedras de Calcutá (1977)
  • Morangos Mofados (1982)
  • Triângulo das Águas (1983)
  • As Frangas (1988)
  • Mel e Girassóis (1988)
  • Os Dragões Não Conhecem o Paraíso (1988)
  • A Maldição do Vale Negro (1988)
  • Onde Andará Dulce Veiga? (1990)
  • Ovelhas Negras (1995)
  • Estranhos Estrangeiros (1996)
Dilva Frazão
É bacharel em Biblioteconomia pela UFPE e professora do ensino fundamental.
Veja também as biografias de:
  • João do Rio (1881-1921) foi um jornalista, escritor e dramaturgo brasileiro,...
  • Eduardo Bueno (1958) é um jornalista, escritor, tradutor e editor brasileiro...
  • Laurentino Gomes (1956) é um escritor e jornalista brasileiro. É o autor do l...
  • Otto Lara Resende (1922-1992) foi um escritor e jornalista brasileiro, foi el...
  • Paulo Francis (1930-1997) é o pseudônimo de Franz Paul Trannin da Matta Heilb...
  • Rodrigo Melo Franco (1898-1969) foi advogado, jornalista e escritor brasileir...
  • Lima Barreto (1881-1922) foi um escritor brasileiro, o romancista da primeira...
  • George Orwell (1903-1950) foi um escritor e jornalista britânico. De estilo...
  • João Pereira Coutinho (1976) é um jornalista, escritor, cientista político e...
  • Ian Fleming (1908-1964) foi escritor e jornalista inglês. Criou o personagem...