Juca Chaves

Compositor brasileiro

Biografia de Juca Chaves

Juca Chaves (1938) é um compositor, músico e humorista brasileiro, tornou-se famoso por suas modinhas que satirizam as mazelas da sociedade em geral.

Juca Chaves, nome artístico de Jurandyr Chaves, nasceu no Rio de Janeiro, no dia 22 de outubro de 1938. Filho de Clarita e de um austríaco, naturalizado brasileiro, que montou a primeira fábrica de plásticos no Brasil.

Infância e juventude

Juca Chaves cresceu ouvindo música erudita em sua casa. Ainda criança, mudou-se com a família para o Jardim Europa em São Paulo. Interessado por música e poesia, com seis anos compôs “Hino aos Cachorros”.

Com sete anos começou a estudar violão. Com 12 anos compôs “Semente Bonitinha”, sua primeira modinha de amor, dedicada a Neusa, que tinha apenas 10 anos.

Juca foi matriculado no curso de piano, mas depois de cinco aulas abandonou o curso, porque “a professora batia em minha mão e eu batia na mão dela”, dizia ele.

Com 13 anos, Juca reuniu uma coletânea de onze poesias, “Meus Primeiros Versos” que falavam do amor por musas diversas. Com 16 anos, frequentava o Clube Pinheiros e foi ali que conheceu Ana Maria, sua mais famosa musa e para quem fez várias canções.

Junto com Lemos Brito e Ricardo Amaral, fundou a revista “Rua Augusta Chic”, onde escrevia crônicas e versos. Ingressou no Centro de Oratória Rui Barbosa, recebendo o diploma de História e Composição da Música Brasileira, em 1955.

Nessa época, começou a se revoltar com a sociedade dai nasceu o espírito satírico que o acompanhou em todas as suas modinhas.

Com 19 anos foi reprovado no curso científico. Seu pai colocou-o num banco para trabalhar, obrigando o poeta a cortar o cabelo, o que o revoltou.

As brigas com o pai culminaram com a saída da casa, indo morar com sua avó. Para se sustentar passou a dar aulas de violão, “mas só para meninas”, dizia ele.

Com mais tempo livre, realizou seu primeiro recital no Teatro Leopoldo Fróes, patrocinado por jovens da alta sociedade.

Carreira musical

Em 1960, Juca lançou, pela RGE, com arranjo de Simonetti, o LP intitulado “As Duas Faces de Juca Chaves”, onde gravou “Por Quem Sonha Ana Maria?”, feita para sua musa;

Por Quem Sonha Ana Maria?

Na alameda da poesia
chora rimas o luar
Madrugada e Ana Maria
sonha sonhos cor do mar.
Por quem sonha Ana Maria
nessa noite de luar?...  

Foi nessa época que Juca compôs a modinha “Presidente Bossa Nova”, uma sátira inspirada no presidente Juscelino Kubitschek, que foi gravada em 1961:

Presidente Bossa Nova

Bossa nova mesmo é ser presidente
desta terra descoberta por Cabral
Para tanto basta ser, tão simplesmente,
simpático, risonho, original,
depois desfrutar da maravilha
de ser presidente do Brasil...

A música ficou mais famosa depois que foi proibida pela censura. Com um mandado de segurança, ele ganhou, pela primeira vez no Brasil, uma questão judicial com a censura.

Alguns dias depois, Juca conseguiu uma entrevista com o presidente e compareceu descalço ao encontro.

Dai para frente, diversas sátiras foram feitas com políticos, homens da sociedade, problemas urbanos etc., que continuavam incomodando muita gente.

Em 1962, Juca lançou a sátira “Caixinha Obrigado”, onde insistia em falar nas mazelas político-administrativas da época. A música causou polêmica e o autor  teve que retirar da letra o nome de uma deputada.

Caixinha, Obrigado

A mediocridade é um fato consumado
na sociedade
onde o ar é depravado.
Marido rico, burguesão despreocupado
que foi casado
com mulher burra, mas bela
o filho dela é político ou tarado.
Caixinha... obrigado!...

Exílio na Europa

Em 1963, Juca partiu para a Europa. Esteve em Portugal onde se consagrou como ídolo dos jovens.

Na Itália, começou tocando órgão numa igreja. Pouco depois estava tocando em cabarés e apresentou-se na televisão, gravou oito compactos e um LP.

A música “Pequena Marcha Para um Grande Amor” foi um sucesso de vendas. Em 1969, retornou ao Brasil e começa a fazer shows pelo país.

Pequena Marcha Para Um Grande Amor

A lua vai dormir encabulada
na passarela da madrugada.
Meus olhos vão sonhar sob a janela
dos olhos dela, dos olhos dela.
meu amor de amor se esconde
se esconde aonde
o teu não vê
não vê porque
Meu amor não é segredo
morre de medo
do segredo
que é você.

Juca criou o “Circus Sdruws” (S de snob, D de divino, R de ralé, U de wonderful, W de Water-closed e S de souvenir), que instalou no Rio de Janeiro, nas proximidades da Lagoa Rodrigo de Freitas, onde apresentava o show “Menestrel Maldito”.

Depois dessa fase, Juca Chaves voltou a fazer shows por todo o país e a se apresentar em programas de televisão, sempre com sua irreverência.

O bordão mais famoso do “menestrel”, como gosta de ser chamado, é: “Vá ao meu show e ajude o Juquinha a comprar o seu caviar”.  

Vida Familiar

Juca Chaves reside na Bahia, está casado com Yara Chaves desde 1975 e tem duas filhas adotivas, Maria Morena e Maria Clara.

Veja também as biografias de:
  • Heitor Villa-Lobos (1887-1959) foi um maestro e compositor brasileiro, consid...
  • Antônio Carlos Jobim (1927-1994), conhecido como Tom Jobim, foi um compositor...
  • Carlos Gomes (1836-1896) foi um compositor brasileiro, autor da ópera O Guara...
  • Noel Rosa (1910-1937) foi um compositor, cantor e violonista brasileiro. Um d...
  • Ary Barroso (1903-1964) foi um compositor brasileiro, autor de "Aquarela do B...
  • João de Barro (1907-2006) foi compositor brasileiro. Também conhecido por Bra...
  • Lamartine Babo (1904-1963) foi um compositor brasileiro. Compôs canções de vá...
  • Ronaldo Bôscoli (1928-1994) foi um compositor, produtor musical e jornalista...
  • Padre Maurício (1767-1830) foi compositor brasileiro de música sacra...
  • Paulo César Pinheiro (1949) é um compositor, letrista, poeta e escritor brasi...

Última atualização: 12/09/2019

Dilva Frazão
Possui bacharelado em Biblioteconomia pela UFPE e é professora do ensino fundamental. Desde 2008 trabalha na redação e revisão de conteúdos educativos para a web.