Lamartine Babo

Compositor brasileiro

Biografia de Lamartine Babo

Lamartine Babo (1904-1963) foi um compositor brasileiro. Compôs canções de vários gêneros, mas foi com as marchinhas carnavalescas que seu nome tornou-se conhecido.

Em suas músicas predominava o humor refinado e a irreverência. É sua a letra da valsa "Eu Sonhei Que Tu estavas Tão Linda" e da marchinha "Teu Cabelo Não Nega" uma adaptação da letra dos irmãos Valença.

Lamartine Babo nasceu no Rio de Janeiro, no dia 10 de janeiro de 1904. Filho de Leopoldo de Azeredo Babo e Bernarda Gonçalves Babo, era o décimo segundo filho do casal.

Infância e juventude

Lamartine Babo Iniciou seus estudos em uma escola pública perto de sua casa, na Tijuca. Em 1915, com 11 anos, ingressou no Colégio São Bento, para cursar o ginásio.

Foi criado em ambiente musical, sua mãe e suas irmãs tocavam piano, sua casa era frequentada por vários músicos. Seu talento não tardou a se manifestar.

Com 13 anos de idade, Lamartine compôs sua primeira valsa "Torturas do Amor". Nessa época fica órfão de pai. Concluído o curso no São Bento, ingressou no Colégio Pedro II, conquistando o diploma do colegial em Letras.

Começou a trabalhar na Light e economizava para ir ao Teatro Municipal onde assistia as apresentações de operetas vianenses. Com 16 anos, mesmo sem estudar música, compôs sua primeira opereta "Cibele".

Com 20 anos, começou a frequentar as noites da boemia carioca. Chamava atenção pelo bom humor e facilidade para fazer piadas e trocadilhos.

Década de 20

Em 1923 tornou-se colaborador da revista Dom Quixote, especializada em humorismo, sátiras e críticas aos costumes da época.

Em 1924 foi demitido da Light depois de discutir com o chefe. Logo estava trabalhando na Companhia Internacional de Seguros, mas foi despedido quando o patrão o viu batucando na mesa.

No mesmo ano, saiu pela primeira vez no bloco de carnaval cantando as marchinhas. Entusiasmado começou a fazer suas próprias músicas carnavalescas.

A partir de 1925 tornou-se colaborador do teatro de revista e começou a compor para vários blocos. Foi também professor de dança nos clubes Tuna Comercial e Ginástico Português.

No final de 1929, Lamartine estreou no microfone da Rádio Educadora com sua voz de falsete, acompanhado por Ary Barroso no piano. Em breve conquistou seu próprio programa.

Década de 30

Em 1930, Lamartine ganhou o concurso da revista O Cruzeiro, com a marchinha “Bota o Feijão no Fogo” No carnaval de 1931 ganhou o concurso da casa Edisom com “Bonde Errado”.

Em 1931, em parceria com Ary Barroso, lançou o samba-canção “No Rancho Fundo”, no mesmo ano, gravado por Elisa Coelho e por Sílvio Caldas, em 1939, que se tornou um grande sucesso:

No Rancho Fundo

No rancho fundo
Bem pra lá do fim do mundo
Onde a dor e a saudade
Contam coisas da cidade.
No Rancho fundo
De olhar triste e profundo
Um moreno canta as “mágua”
Tenho os olhos rasos d’água...

Em 1932, em pleno sábado de carnaval, é lançado o verdadeiro hino do carnaval carioca: “O Teu Cabelo Não Nega”, gravada em dezembro de 1931:

O Teu Cabelo Não Nega

O Teu Cabelo Não Nega
Mulata
Porque es mulata na cor
Mas como a cor não pega
Mulata,
Mulata quero o teu amor...

A marchinha, de autoria dos pernambucanos irmãos Valença, com o nome de Mulata, foi adaptada por Lamartine, que aproveitou o estribilho, alterou o ritmo, mudou o resto da letra e aproveitou a melodia.

Década de 40

No início de 1942, Francisco Alves levou para o disco a valsa feita em parceria de Lamartine e Francisco Matoso “Eu Sonhei Que Tu Estavas Tão Linda”, que foi regravada por vários cantores:

Eu Sonhei Que Tu Estavas Tão Linda

Eu Sonhei que tu estavas tão linda
Numa festa de raro esplendor.
Teu vestido de baile lembro ainda
Era branco, todo branco, meu amor.
A orquestra tocou uma valsa dolente,
tomei-te aos braços,
Fomos dançando...

A partir de 1947, deixando de fumar e ficando os últimos dentes, Lamartine começou a engordar, perdendo a característica que servia para muitas piadas.

Últimos anos

Em 1951, com 47 anos, Lamartine casou-se com Maria José Barroso, indo morar na bela casa que comprara na Tijuca.

Criador de tantos clássicos e marchinhas de sucesso, em 1959, lançou a marcha-rancho “Os Rouxinóis”, feita especialmente para o rancho Rouxinóis, da ilha de Paquetá.

Em 13 de junho de 1963, ainda mal recuperado de um enfarte que sofrera em fevereiro, Lamartine foi para o Golden Roon do Copacabana Palace para assistir os primeiros ensaios de um show inspirado em suas músicas e montado por Carlos Machado.

A emoção do ensaio não fez bem ao compositor ao reviver a glória dos carnavais passados. Na madrugada do dia 16 o coração de Lamartine parou.

Lamartine Babo faleceu no Rio de Janeiro, no dia 16 de Junho de 1963.

Veja também as biografias de:
  • Heitor Villa-Lobos (1887-1959) foi um maestro e compositor brasileiro, consid...
  • Antônio Carlos Jobim (1927-1994), conhecido como Tom Jobim, foi um compositor...
  • Carlos Gomes (1836-1896) foi um compositor brasileiro, autor da ópera O Guara...
  • Noel Rosa (1910-1937) foi um compositor, cantor e violonista brasileiro. Um d...
  • Ary Barroso (1903-1964) foi um compositor brasileiro, autor de "Aquarela do B...
  • João de Barro (1907-2006) foi compositor brasileiro. Também conhecido por Bra...
  • Ronaldo Bôscoli (1928-1994) foi um compositor, produtor musical e jornalista...
  • Juca Chaves (1938) é um compositor, músico e humorista brasileiro, famoso por...
  • Padre Maurício (1767-1830) foi compositor brasileiro de música sacra...
  • Paulo César Pinheiro (1949) é um compositor, letrista, poeta e escritor brasi...

Última atualização: 09/09/2019

Dilva Frazão
Possui bacharelado em Biblioteconomia pela UFPE e é professora do ensino fundamental. Desde 2008 trabalha na redação e revisão de conteúdos educativos para a web.