Barão do Amazonas

Herói da Guerra do Paraguai

Biografia de Barão do Amazonas

Barão do Amazonas(1804-1882) foi herói da Guerra do Paraguai. Venceu a Batalha Naval do Riachuelo. É autor da frase "O Brasil espera que cada um cumpra o seu dever".

Barão do Amazonas (1804-1882) nasceu em Lisboa, no dia 23 de setembro de 1804. Veio para o Brasil com 5 anos de idade. Formou-se pela Academia da Marinha do Rio de Janeiro no ano de 1821.

Participou das campanhas navais do rio da Prata de 1826 a 1828 e do Pará em 1836. Chefiou a campanha de nossa esquadra na Guerra do Paraguai. Em toda campanha o que mais se ressaltou foi a célebre Batalha do Riachuelo, que decidiria o rumo dessa guerra. Todo o seu gênio estrategista foi revelado nessa ocasião.

Utilizando navios a vapor como se fossem aríetes, derrotou fragorosamente os paraguaios, levando-os a desistirem da pretendida invasão de Entre Rios. A sua ação prosseguiu ainda em Passos da Pátria, Mercedes, Cuevas, Curuzu e Curupaití.

Herói da Guerra do Paraguai, foi o vencedor da Batalha Naval do Riachuelo, quando, investindo com a proa de sua Capitania, a fragata "Amazonas", contra os navios inimigos que lhe estavam mais próximos, e pondo-os a pique.

Barão do Amazonas é o autor de duas frases que deixaram claro sua fibra e patriotismo, entrando para a nossa História "Atacar e destruir o inimigo o mais perto que puder" e "0 Brasil espera que cada um cumpra o seu dever".

A importância de sua atuação na Batalha Naval do Riachuelo foi reconhecida pelo governo imperial, que lhe concedeu a Ordem Imperial do Cruzeiro e o título honorífico de Barão do Amazonas.

O feito de Barroso foi celebrado pelos poetas e representado em tela. Coube a Vitor Meireles, o consagrado pintor, imortalizar o acontecimento em sua famosa tela. Em 1866 foi homenageado com o título de Barão do Amazonas (era o nome do navio que comandava). Em 1868 foi nomeado Comandante Chefe da esquadra e neste mesmo ano promovido a Vice-Almirante e finalmente reformado em 1873.

Francisco Manuel Barroso da Silva faleceu em Montevidéu, Uruguai, no dia 8 de agosto de 1882. Seus restos mortais foram transladados para o Rio de Janeiro, a bordo do cruzador "Barroso".

Veja também as biografias de:

Última atualização: 18/10/2012

Possui bacharelado em Biblioteconomia pela UFPE e é professora do ensino fundamental. Desde 2008 trabalha na redação e revisão de conteúdos educativos para a web.