Bertolt Brecht

Dramaturgo alemão

Biografia de Bertolt Brecht

Bertolt Brecht (1898-1956) foi um dramaturgo, romancista e poeta alemão, criador do teatro épico anti-aristotélico. Sua obra fugia dos interesses da elite dominante, visava esclarecer as questões sociais da época.

Euger Berthold Friedrich Brecht (1898-1956) nasceu em Augsburg, no estado da Baviera, na Alemanha, no dia 10 de fevereiro de 1898. Começou a escrever ainda jovem, publicou seu primeiro texto em um jornal em 1914.

Interrompeu seus estudos de Medicina, em Munique, para servir como enfermeiro  da guerra em um hospital durante a Primeira Guerra Mundial (1914-1918).

Início de carreira

De volta à Munique iniciou sua carreira teatral e literária. A paixão pelo teatro impulsionou a vida de Brecht. Sua obra teatral atravessou diversas fases que se distribuem segundo os locais de permanência do autor.

Primeiro período

Nesse primeiro período, enquanto se encontrava na Baviera, escreveu peças que focalizavam os conflitos do indivíduo em relação ao meio social, são elas:

  • Tambores da Noite (1922)
  • Baal (1922)
  • Vida de Eduardo II da Inglaterra (1923)
  • Na Selva da Cidade (1924)
  • Em 1923 casou-se com Marianne Zoff, com que teve uma filha

Segundo período

Em 1924, Brecht mudou-se para Berlim, onde se engajou no Deutsches Theater e foi assistente dos diretores Max Reinhardt e Erwin Piscator.

Duas peças se destacaram como transição do expressionismo para o niilismo iconoclasta: 

  • O Homem é um Homem (1927)
  • Opera dos Três Vinténs (1928)

As obras são comédias satíricas, em parte musicadas, nas quais a crítica à sociedade burguesa é mais anárquica do que na fase anterior.

A “Ópera dos Três Vinténs”, que fez grande sucesso, foi criada com a colaboração do músico Kurt Weul.

Em 1929 Bertolt Brecht ingressou no Partido Independente Socialista. Nesse mesmo ano, surge “Ascensão e Queda da Cidade de Mahagonny”, também com música de Weill, que marcou definitivamente sua conversão ao teatro político.

São ainda desse período as peças: as peças: “A Medida” (1930), “Santa Joana dos Matadouros” (1930), “Aquele Que Diz Sim e Aquele Que Diz Não” (1930) e “A Mãe” (1930).

Terceiro período

O terceiro período da obra de Brecht foi marcado por seu exílio diante da perseguição nazista. Brecht exilou-se sucessivamente na Suíça, em Paris, Dinamarca, Finlândia e, por fim nos Estados Unidos, onde permaneceu por seis anos.

As peças mais conhecidas dessa época são: “Terror e Miséria do Terceiro Reich” (1935), “Os Fuzis de Senhora Carrar” (1937), sobre a guerra civil na Espanha e “A Vida de Galileu” (1937).

Ainda desse período é a peça “Mãe Coragem e Seus Filhos” (1941), uma parábola do papel da pequena burguesia no meio de tempestades políticas, considerada por alguns a obra-prima de Brecht.

Em 1947, dois anos após a Segunda Guerra Mundial, retornou para Berlim. Em 1948 publicou o livro “Estudos Sobre Teatro”, onde apresenta a teoria do teatro épico.

Em 1949, com o apoio do governo da Alemanha Oriental, Bertolt Brecht fundou uma companhia de teatro a “Berliner Ensemble”, que montava principalmente as suas peças.

O Poeta

A obra poética de Bertolt Brecht é menos conhecida que a obra teatral, mas não menos importante. Sua poesia está representada no “Livro de Devoção Caseira” (1927), de sua fase iconoclástica, e em “Poesias de Svendborg” (1939).

Brecht escreveu poemas líricos de forte ironia e sutileza emocional em que ele mesmo, o indivíduo Bertolt Brecht, ocupa o lugar principal. O mais famoso poema de Brecht é o autobiográfico “Do Pobre B.B”.

Bertolt Brecht faleceu em Berlim, Alemanha, de ataque cardíaco, no dia 15 de agosto de 1956.

Frases de Bertolt Brecht

  • Aquele que não conhece a verdade é simplesmente um ignorante, mas aquele que a conhece e diz que é mentira, este é um criminoso.
  • Perante um obstáculo, a linha mais curta entre dois pontos pode ser a curva.
  • Inteligência não é não cometer erros, mas saber resolvê-los rapidamente.
  • Que continuemos a nos omitir da política é tudo o que os malfeitores da vida pública mais querem.
  • Em vez de serem apenas bons, esforcem-se para criar um estado de coisas que torne possível a bondade; em vez de serem apenas livres, esforcem-se para criar um estado de coisas que liberte a todos!

Última atualização: 15/05/2020

Dilva Frazão
Possui bacharelado em Biblioteconomia pela UFPE e é professora do ensino fundamental. Desde 2008 trabalha na redação e revisão de conteúdos educativos para a web.
Veja também as biografias de:
  • Martins Pena (1815-1848) foi um dramaturgo brasileiro, o introdutor da comédi...
  • Molière (1622-1673) foi um dramaturgo francês. Um dos maiores destaques do te...
  • Henrik Ibsen (1828-1906) foi dramaturgo norueguês. Um dos criadores do teatro...
  • Samuel Beckett (1906-1989) foi um dramaturgo, romancista e poeta irlandês de...
  • William Shakespeare (1564-1616) foi um dramaturgo e poeta inglês. Representan...
  • Gil Vicente (1465-1536) foi um dramaturgo e poeta português, o representante...
  • Miguel de Cervantes (1547-1616) foi um escritor, dramaturgo e poeta espanhol,...
  • Alexandre Dumas , (1802-1870) foi um romancista e dramaturgo francês, autor do...
  • Dias Gomes (1922-1999) foi um dramaturgo e novelista brasileiro, é o autor da...
  • Arthur Miller (1915-2005) foi um dramaturgo norte-americano. Autor de Morte d...