Zélia Gattai

Escritora brasileira
Por Dilva Frazão

Biografia de Zélia Gattai

Zélia Gattai (1916-2008) foi uma escritora brasileira. Começou a escrever com 63 anos. Estreou na literatura com o livro de memórias "Anarquistas Graças a Deus". Recebeu o Prêmio Paulista de Revelação Literária. Viveu com o escritor Jorge Amado durante 56 anos. Em 2001, foi eleita para a Academia Brasileira de Letras, para a cadeira n.º 23, a mesma que pertenceu a Jorge Amado.

Zélia Gattai nasceu em São Paulo, no dia 2 de julho de 1916. Filha de Ernesto Gattai e Angelina, imigrantes italianos, passou sua infância e adolescência no bairro do Paraíso.

Participava junto com a família do movimento político-operário organizado por imigrantes italianos, espanhóis e portugueses, que reivindicavam melhorias no trabalho.

Zélia Gattai casou-se aos dezenove anos com Aldo Veiga. Em 1942, nasceu seu primeiro filho, Luís Carlos. O casal separou-se de oito anos de casados.

Zélia Gattai e Jorge Amado

Em 1945, Zélia conheceu Jorge Amado quando ambos trabalhavam no movimento pela anistia dos presos políticos.

Com pouco tempo foram morar juntos, ainda não havia divórcio e os dois eram separados. Zélia passou a trabalhar com Jorge, revisando e datilografando os originais de seus livros.

Em 1945, com a eleição de Jorge Amado para a Câmara Federal, o casal mudou-se para o Rio de Janeiro. Em 25 de novembro de 1947, nasceu João Jorge o primeiro filho do casal e o segundo filho de Zélia.

Exílio

Em 1948, o Partido Comunista foi declarado ilegal e os parlamentares eleitos pelo PCB foram cassados.

Jorge Amado perdeu o mandato e teve que se exilar. Foi para Europa e Zélia seguiu depois, com o filho pequeno. Chegou à Itália, no porto de Gênova, onde Jorge a esperava.

Depois de alguns dias, Zélia e Jorge seguem para a Tchecoslováquia, depois vão para a Polônia e por fim chegam a Paris. No final do ano vão para a URSS.

Em 1949, estavam de volta à Paris quando Zélia ingressou na Sorbonne, onde estudou Civilização Francesa, Fonética e Língua Francesa.

Em fins desse mesmo ano, foram obrigados a deixar Paris, pois os comunistas não eram bem vistos pelo governo francês, então voltaram para a Tchecoslováquia.

Em 1951, nasceu sua filha Paloma. Viajaram ainda para a Hungria, Romênia, Bulgária, China e Mongólia.

A volta ao Brasil

De volta ao Brasil, em 1952, passam a morar no Rio de Janeiro, onde permanecem alguns anos.

Decididos a viver numa cidade mais pacata, em 1960, Zélia e Jorge compram uma casa em Salvador, Bahia, no bairro do Rio Vermelho.

Zélia Gattai e Jorge Amado
Zélia e Jorge na casa do Rio Vermelho

No dia 12 de maio de 1976, depois de vários anos de união, eles conseguiram oficializar o casamento.

Anarquistas Graças a Deus

Em 1979, depois de três anos do casamento, Zélia Gattai estreou na literatura com o livro de memórias "Anarquistas Graças a Deus”, onde narra sua infância de filha de imigrantes italianos, anarquistas e católicos.

O livro foi traduzido para diversos países, sendo adaptado para o teatro e para uma minissérie de televisão. Zélia recebeu pelo livro o Prêmio Paulista de Revelação Literária de 1979.

Zélia, que assinou seu livro com o nome de solteira, tomou gosto e três anos depois já lançava o segundo livro e não parou mais. Alguns de seus livros foram traduzidos para vários países.

Zélia Gattai viveu durante 56 anos com o escritor Jorge Amado, que faleceu em 6 de agosto de 2001. Nesse mesmo ano, foi eleita pra a cadeira n.º 23, que pertenceu a Jorge Amado, da Academia Brasileira de Letras. Foi também eleita para a Academia de Letras da Bahia.

Zélia Gattai Amado de Faria faleceu em Salvador, Bahia, no dia 17 de maio de 2008.

Prêmios e homenagens

  • Prêmio Paulista de Revelação Literária (1979)
  • Cidadã de Salvador (1984)
  • Cidadã de Honra da Comuna de Mirabeau, França (1985)
  • Grande Oficial da Ordem do Infante D. Henrique de Portugal (1986)
  • Medalha Castro Alves da Secretaria de Educação do Estado da Bahia (1987)
  • Comendadora da Ordem do Mérito da Bahia (1994)
  • Comendadora da Ordem das Artes e das Letras do Governo Francês (1998)

Obras de Zélia Gattai

  • Anarquistas Graças a Deus, memórias, 1979
  • Um Chapéu para Viagem, memórias, 1982
  • Pássaros Noturnos de Abaeté, 1983
  • Senhora Dona do Baile, memórias, 1984
  • Jardim de Inverno, memórias, 1988
  • Pipistrelo das Mil Cores, literatura infantil, 1989
  • O Segredo da Rua 18, literatura infantil, 1991
  • Chão de Meninos, memórias, 1992
  • Crônica de Uma Namorada, romance, 1995
  • A Casa do Rio Vermelho, memórias, 1999
  • Cittá di Roma, memórias, 2000
  • Joana e a Sereia, literatura infantil, 2000
  • Códigos de Família, memórias, 2001
  • Um Baiano Romântico e Sensual, 2002
  • Memorial do Amor, memórias, 2004
  • Vacina de Sapo e Outras Lembranças, 2006

Última atualização: 19/05/2020

Dilva Frazão
Possui bacharelado em Biblioteconomia pela UFPE e é professora do ensino fundamental. Desde 2008 trabalha na redação e revisão de conteúdos educativos para a web.
Veja também as biografias de:
  • Carolina Maria de Jesus (1914-1977) foi um a escritora brasileira, considerad...
  • Ruth Rocha (1931) é uma importante escritora brasileira de literatura infanto...
  • Rachel de Queiroz (1910-2003) foi uma escritora brasileira. A primeira mulher...
  • Lygia Fagundes Telles (1923) é uma escritora brasileira. Romancista e contist...
  • Ana Maria Machado (1941) é escritora e jornalista brasileira. Autora de livro...
  • Adélia Prado (1935) é uma escritora e poetisa brasileira. Recebeu da Câmara B...
  • Tatiana Belinky (1919-2013) foi uma escritora de literatura infanto-juvenil,...
  • Lygia Bojunga (1932) é uma escritora brasileira de literatura infanto-juvenil...
  • Eva Furnari (1948) é uma escritora de livros infantis e ilustradora brasileir...
  • Martha Medeiros (1961) é uma escritora, jornalista e cronista brasileira. É c...