Afrodite

Deusa da beleza e do amor

Biografia de Afrodite

Afrodite, na mitologia grega, era a deusa da beleza e do amor. A ela os gregos iam pedir a sorte no amor, os segredos do fascínio e a conservação da juventude. Na mitologia romana era chamada de Vênus.

A mitologia dá duas versões sobre o nascimento de Afrodite: segundo Hesíodo, na Teogonia, Cromos, o mais forte dos titãs, filho de Urano, mutilou o pai e atirou ao mar seus órgãos reprodutores, e Afrodite teria brotado das espumas como uma flor. Afrodite teria sido levada sobre as ondas por Zéfiro, um dos quatro ventos, até a ilha de Chipre, onde foi recolhida e cuidada pelas Estações, que a levaram, depois, à assembleia dos deuses. Todos ficaram encantados com sua beleza e desejaram-na para esposa.

Para Homero, Afrodite seria filha de Dione, deusa das Ninfas, e Zeus, senhor dos homens, vigilante da manutenção da ordem do universo e supremo mandatário dos deuses que habitavam o Olimpo, o monte sagrado da Grécia.

Afrodite – A Mais Bela do Olimpo

Conta-se que houve uma época que ninguém queria fazer mais nada no Olimpo. Os deuses já não desciam a Terra para ajudar ou atrapalhar os mortais, já não queriam saborear a deliciosa “ambrosia”, seu famoso manjar. Todos os olhares, todos os suspiros eram para Afrodite, para seus cabelos dourados, sua graça realmente divina, sua beleza fascinante.

O grande assédio a Afrodite irritava as outras deusas. Hera, cujo mau gênio era famoso no Olimpo e na Terra, não estava gostando dos olhares que seu marido Zeus lançava sobre Afrodite. Atena, deusa da sabedoria, não conseguia dominar sua irritação com todo aquele cerco à Afrodite.

Aproveitando a oportunidade para semear a briga, Éris a deusa da discórdia, propôs a Hera e a Atena, juntamente com Afrodite, que fossem à Terra pedir a Páris, filho do rei de Tróia, que elegesse a mais bela das três. Chegando a Páris, Hera prometeu-lhe um vasto império na Ásia. Atena garantiu-lhe a vitória em todas as guerras. Afrodite, que nada tinha, ofereceu-lhe o amor. E ganhou o concurso de "mais bela deusa do Olimpo".

Afrodite, que não desejava a guerra, mas o amor foi também venerada em Roma com o nome de Vênus, quando Roma se tornou a sede do poderoso império no primeiro século antes da era cristã. A assembleia Divina de Roma incorporou diversas divindades gregas, alterou seus nomes e reformulou sua concepção das forças naturais. A Vênus, os romanos iam pedir também a sorte no amor, os segredos do fascínio e a conservação da juventude. Nela se inspiraram escultores, músicos, poetas e pintores. Seu nascimento inspirou o pintor renascentista Botticelli.

botticelli
O Nascimento de Vênus

Casamento e Filhos de Afrodite

Por ordem de Zeus, Afrodite teria sido entregue a Hefesto, deus do fogo, filho de Zeus e Hera em gratidão pelo serviço que ele prestava trabalhando com maestria os metais, e teve a honra de fazer a armadura do herói Aquiles, e de fazer o cetro e a égide de Zeus. Desta forma, a mais bela das deusas tornou-se esposa do mais feio dos imortais.

Afrodite foi muitas vezes infiel e teve outros filhos: com Ares, divindade da guerra, teve, entre outros filhos, Eros, deus do amor, Harmonia, deusa da harmonia e Fobos, deus do medo. Com Hermes teve Hermafrodito, e com Dionísio teve Príapo. Entre seus amantes mortais, destaca-se o pastor troiano Anquises, com quem teve Enéias e também Adônis, célebre por sua beleza.

Poderes de Afrodite

Afrodite possuía um cinturão mágico de grande poder sedutor e o poder de sua paixão era irresistível. As lendas mostram frequentemente a deusa ajudando seus amantes a superar todos os obstáculos. À medida que seu culto se estendia pelas cidades gregas de Esparta, Corinto e Atenas, aumentava também o número seus atributos, quase sempre relacionados com o erotismo e a fertilidade.

Última atualização: 16/11/2018

Possui bacharel em Biblioteconomia pela UFPE e é professora do ensino fundamental. Desde 2008 trabalha na redação e revisão de conteúdos educativos para a web.