David Hume

Filósofo escocês

Biografia de David Hume

David Hume (1711-1776) foi um filósofo, historiador, ensaísta e diplomata escocês. Tornou-se conhecido por seu radical sistema filosófico baseado no empirismo, ceticismo e naturalismo.

Foi considerado um dos mais importantes representantes do empirismo radical e um dos mais destacados filósofos modernos do Iluminismo.

Acusado de herege pela Igreja Católica, suas obras foram relacionadas no “Índice dos Livros Proibidos”.

David Hume nasceu em Edimburgo, Escócia no dia 7 de maio de 1711. Filho, um prestigiado advogado desde jovem demostrou interesse pela filosofia e pelas artes.

Em 1724, com apenas 13, devido a sua precocidade intelectual, foi enviado pela família para cursar Direito na Universidade de Edimburgo. Depois de dois anos, deixou a universidade e se viu obrigado a trabalhar.

Ingressou no mundo do comércio e empregou-se em uma importadora de açúcar em Bristol, na Inglaterra. Nessa época se dedicava à leitura de obras literárias, filosóficas e históricas, além de estudar matemática e ciências naturais.

Em 1734, com o objetivo de se aprofundar nos estudos, David Hume viajou para a França. Entre 1734 e 1737 escreveu grande parte de seu “Tratado”.

Em 1737 retornou à Inglaterra. Nessa época trabalhou como preceptor de um jovem marquês e depois como secretário do general James St. Clair, a quem acompanhou em uma missão diplomática em Viena e Turim.

Teoria de David Hume

Influenciado pelo empirismo de John Loock, Hume radicalizou e criou o “fenomenismo” – teoria filosófica que  contraria as crenças naturais e do sentido comum.

Hume dizia que todo conhecimento só é possível através das percepções da experiência, percepções que podem ser “impressões”, dados diretos dos sentidos ou da consciência interna, ou “ideias”, que resultam da combinação de impressões.

Existem ideias simples e compostas, essas últimas produto da generalização, mas todas podem reduzir-se a uma associação de impressões. Noções como a relação causa-efeito.

Nessa linha de pensamento, Hume questionou a existência da alma. É a generalização de ideias simples que conduz à crença de que existe um “eu” pensante, idêntico a si mesmo.

Segundo Hume, há somente um conjunto de conteúdos de consciência, sem substância que lhe sirva de suporte.

A moralidade e a religião, por conseguinte, são apenas o resultado de costumes e hábitos. Devem basear-se no bem comum, que constitui o princípio fundamental da sociedade.

Entre suas obras filosóficas destacam-se:

  • Tratado sobre a Natureza Humana (1740)
  • Pesquisa sobre o Entendimento Humano (1748)
  • Investigação sobre os Princípios da Moral (1751)

Em 1744 concorreu à cátedra de Filosofia na Universidade de Edimburgo, mas sua fama de ateísta o levou a enfrentar forte oposição e acabou sendo rejeitado.

Sua obra mais emblemática foi “Ensaios Sobres o Entendimento Humano”, onde afirmava que todo conhecimento é derivado da experiência sensível do ser humano. A obra apresentava duas partes:

Impressões – associadas aos sentidos (visão, tato, audição, olfato e paladar)

Ideias – associadas às representações mentais resultantes das impressões.

Em 1751, Hume foi nomeado diretor da biblioteca da Faculdade de Direito de Edimburgo. Dedicou-se a redigir os seis volumes da "História da Inglaterra".

Com a monumental obra, Hume tornou-se importante historiador. Os volumes foram publicados nos anos de: 1754, 1756, 1759 e 1762, e lhe deram grande prestígio.

Últimos anos

Em 1756, Hume foi acusado de heresia e de ateísmo, sendo alvo de um processo mal sucedido de excomunhão.

Considerado um herege, os livros de Hume foram condenados pela Igreja Católica, sendo incluídos no “Índice dos Livros Proibidos”.

Depois de uma estada de três anos em Londres, em 1769 Hume retirou-se definitivamente para Edimburgo. Dedicou-se à revisão de sua obra e redigiu uma autobiografia, publicada após sua morte.

Apesar da rejeição da Igreja e a recusa do mundo acadêmico, sua influência posterior na teoria do conhecimento influenciou filósofos e pensadores como Kant, John Mill, e Augusto Conte.

David Hume faleceu em Edimburgo, na Escócia, no dia 25 de agosto de 1776.

Frases de David Hume

  • A beleza não é uma qualidade inerente às coisas. Ela existe apenas na mente de quem as contempla.
  • A beleza das coisas existe no espírito de quem as contempla.
  • O coração do homem existe para reconciliar as contradições mais notórias.
  • A memória não tanto produz, mas revela a identidade pessoal, ao nos mostrar a relação de causa e efeito existente entre nossas diferentes percepções.
  • De um modo geral, os erros na religião são perigosos; enquanto os da filosofia apenas ridículos.
  • Nenhum homem jamais jogou fora a vida enquanto ela valia a pena ser mantida.
Veja também as biografias de:
  • Adam Smith , (1723-1790) foi um economista e filósofo escocês. Considerado o p...
  • William Wallace (1272-1305) foi um guerreiro escocês. Liderou a resistência à...
  • James Clerk Maxwell (1831-1879) foi um físico e matemático escocês. Estabelec...
  • James Watt (1736-1819) foi um engenheiro mecânico e matemático escocês. Aperf...
  • Alexander Graham Bell (1847-1922) foi um cientista escocês, inventor do telef...
  • David Livingstone (1813-1873) foi um missionário e explorador escocês, que in...
  • Gordon Ramsay (1966) é um chefe de cozinha escocês que faz sucesso na TV com...
  • Jacques Derrida (1930-2004) é considerado um dos maiores nomes da filosofia c...
  • Aristóteles (384-322 a.C) foi um importante filósofo grego. Um dos pensadores...
  • Tales de Mileto (624-558 a.C.) foi um filósofo, matemático e astrônomo grego,...

Última atualização: 29/11/2019

Dilva Frazão
Possui bacharelado em Biblioteconomia pela UFPE e é professora do ensino fundamental. Desde 2008 trabalha na redação e revisão de conteúdos educativos para a web.