Eurico Gaspar Dutra

Político e militar brasileiro

Biografia de Eurico Gaspar Dutra

Eurico Gaspar Dutra (1883-1974) foi um político brasileiro e General do Exército. Foi o 14.º presidente do Brasil, governando entre 1946 e 1951.

Eurico Gaspar Dutra nasceu em Cuiabá, Mato Grosso, no dia 18 de maio de 1883. Filho de José Florêncio, comerciante e ex-combatente na Guerra do Paraguai, e de Maria Justina Dutra. Em março de 1902 ingressou na Escola Preparatória e Tática de Rio Pardo, no Rio Grande do Sul. Em 1903 foi para a Escola de Guerra de Porto Alegre e em 1904 ingressou na Escola Militar da Praia Vermelha, no Rio de Janeiro.

No dia 14 de novembro de 1904, participou do levante contra o governo de Rodrigo Alves, tendo como pano de fundo o desemprego, a miséria generalizada e a lei da vacina obrigatória. Dutra e seus colegas foram expulsos da escola e lotados no 24º Batalhão de Infantaria do Rio de Janeiro.. Em 1905, Dutra foi anistiado e retornou ao 24º Batalhão de Infantaria. Neste mesmo ano, voltou para a Escola Militar, agora instalada no Realengo. Seguiu a carreira militar e chegou ao posto de General do Exército, em 1932.

Ainda em 1932, o general Dutra chefiou um destacamento que combateu a Revolução Constitucionalista de São Paulo. Em 1935 comandou a repressão à Intentona Comunista. Foi nomeado Ministro da Guerra. Em 1937 apoiou o presidente Getúlio Vargas que preparava um golpe de Estado e marchava para a ditadura do “Estado Novo”. No dia 29 de outubro de 1945 Getúlio Vargas foi deposto sem luta pelos generais Gois Monteiro e Eurico Gaspar Dutra, era o fim da ditadura.

Presidência da República

No dia 2 de dezembro de 1945, o general Eurico Gaspar Dutra, apoiado pelo PSD e pelo PTB, venceu as eleições para presidente do Brasil, derrotando o brigadeiro Eduardo Gomes, candidato da União Democrática Nacional (UDN) e Yedo Fiúza, candidato pelo Partido Comunista Brasileiro. Juntamente com o general, foram eleitos os novos deputados e senadores que comporiam a nova Assembleia Constituinte.

O primeiro ano do governo de Dutra foi de conciliação. O país saia da sufocante ditadura de Vargas e estava terminada a Segunda Guerra Mundial. No dia 18 de setembro de 1946 foi promulgada a nova Constituição, liberal, que garantiria os direitos civis e eleições livres. Em 1947, o governo Dutra, devido às suas estreitas relações com os Estados Unidos e pressionados por setores sociais, políticos e militares, cortou relações com a União Soviética e pediu extinção do Partido Comunista Brasileiro, que foi pouco a pouco declarado ilegal por decisão judicial. Todos os parlamentares eleitos pelo PCB foram cassados em seus direitos políticos.

A atitude do governo refletia as tensões da política internacional do pós-guerra. Os Estados Unidos lideravam os países do mundo capitalista ocidental e pretendiam deter o crescimento do mundo comunista, liderado pela União Soviética. Nessa época, o Brasil assinou uma série de acordos com os Estados Unidos e passou a defender os mesmos interesses norte-americanos no plano internacional.

O presidente Dutra seguiu uma política tipicamente conservadora. Em sua administração foram realizadas duas importantes obras: a pavimentação da rodovia Rio – São Paulo (Via Presidente Dutra) e a instalação da Companhia Hidroelétrica do São Francisco, permitindo a eletrificação de grande parte do Nordeste do país.

Nas eleições presidenciais de 3 de outubro de 1950, cinco anos depois de ser derrubado do poder, Getúlio Vargas apresenta-se como candidato pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) vencendo facilmente seus concorrentes. O General Dutra deixou a presidência em 1951. Teve então o início do nacionalismo radical de Vargas, apoiado pelo PCB e por setores radicais do PTB. Os boatos sobre um novo golpe de Estado para instalação de uma república sindicalista, igual à de Perón, na Argentina, o “Crime da Rua Toneleros” que resultou na morte do major da Aeronáutica, Rubens Vaz, assustaram alguns setores da sociedade brasileira.

O General Eurico Gaspar Dutra, três anos depois de deixar a presidência, continuava presente na vida política brasileira. Participou da conspiração que resultou no suicídio de Getúlio Vargas. Nesse clima tenso, assumiu a Presidência Café Filho, o vice, que deveria completar o mandato presidencial. Em 1964, Dutra fez um discurso contra o Governo de João Goulart, que teve grande repercussão entre os militares. Logo após o golpe militar que derrubou o presidente João Goulart, Dutra tentou voltar à presidência, sem sucesso.

Eurico Gaspar Dutra faleceu no Rio de Janeiro, no dia 11 de junho de 1974.

Veja também as biografias de:

Última atualização: 14/12/2017