Ferreira de Castro

Escritor português
Por Dilva Frazão
Biblioteconomista e professora

Biografia de Ferreira de Castro

Ferreira de Castro (1898-1974) foi um escritor português. Toda sua obra constitui um importante documento social, que os aproxima dos neorrealistas.

Ferreira de Castro (José Maria Ferreira de Castro) nasceu em Ossela, no concelho de Oliveira dos Azeméis, distrito de Aveiro, Portugal, no dia 24 de maio de 1898.

Filho dos camponeses José Eustáquio Ferreira de Castro e de Maria Rosa Soares de Castro, com oito anos ficou órfão de pai. Com 12 anos resolveu emigrar para o Brasil com o desejo de melhorar de vida.

No dia 7 de janeiro de 1911 embarcou no vapor Jerôme com destino a Belém do Pará. Viveu algum tempo na cidade de Belém e em seguida mudou-se para o interior, onde entrou em contato com a selva amazônica.

Trabalhou como seringueiro, durante quase quatro anos, no seringal Paraíso, em plena Floresta Amazônica e dessa experiência extrairá a temática de “A Selva”.

Nessa época, começou a escrever contos e crônicas, que enviava para diversos jornais.

Carreira literária

Com 14 anos, escreveu seu primeiro romance “Criminoso por Ambição”, só publicado em fascículos, em 1916, quando retornou para Belém do Pará. Continuou colaborando para jornais e revistas.

Em 1919, Ferreira de Castro regressou para Portugal, passou dificuldades e demorou algum tempo para seu trabalho ser reconhecido. Em 1922 publicou “Carne Faminta” e em 1923 lançou “O Êxito Fácil”, obras que o notabilizaram.

Entre 1925 e 1927 foi redator do jornal O Século e A Batalha, dirigiu o jornal O Diabo e colaborou com as revistas O Domingo Ilustrado, Renovação e Ilustração.

Em 1927 casou-se com a escritora Diana de Liz, defensora da emancipação feminina.

Em 1928 publicou “Emigrantes”, que elevou ainda mais seu prestígio como escritor, uma vez que o romance foi reconhecido em diversos países.

Em 1930 Diana morre precocemente. Nesse mesmo ano, publicou “A Selva”, uma de suas obras-primas, inspirado em sua permanência na Floresta Amazônica, e dedica o livro a sua esposa.

Em 1931 publica “Eternidade”, cujo tema é a obsessão pela morte.

Em 1934, Ferreira de Castro decidiu abandonar o jornalismo, em razão da censura prévia do período de ditadura que se instalou em Portugal.

Em 1938 casou-se com a pintora espanhola Eleana Muriel e com ele teve uma filha.

Características

O aspecto fundamental da ficção de Ferreira de Castro é o realismo social, que o aproxima dos neorrealistas. Nascidas de sua vasta experiência nas matas da selva amazônica, as temáticas de seus romances enfocam a dramaticidade dos personagens carentes de valores humanos.

Toda obra de Ferreira de Castro constitui um importante documento social, um verdadeiro espelho da realidade da vida contemporânea dos humildes.

A narrativa é apresentada através de uma linguagem direta, revestida de argumentos reais, que reproduzem com intensa dramaticidade o cotidiano das vidas injustiçadas.

Outras obras

  • Terra Fria (1934)
  • Pequenos Mundos, Velhas Civilizações (1937)
  • A Tempestade (1940)
  • A Volta ao Mundo (1944)
  • A Lã e a Neve (1947)
  • A Curva da Estrada (1950)
  • A Missão (1954)
  • Instinto Supremo (1968)

Ferreira de Castro faleceu na cidade do Porto, Portugal, no dia 29 de junho de 1974. Atendendo a seu pedido, foi enterrado em Sintra.

Dilva Frazão
Biblioteconomista e professora
É bacharel em Biblioteconomia pela UFPE e professora do ensino fundamental.
Veja também as biografias de: