Hans Staden

Aventureiro alemão

Biografia de Hans Staden

Hans Staden (1525-1576) foi um aventureiro e comerciante de armas alemão. Aportou nas costas do recém-descoberto Brasil. Deixou interessantes observações sobre a vida e os costumes dos indígenas brasileiros.

Hans Staden nasceu em Homberg, Alemanha, no ano de 1525. Nessa época, a Coroa portuguesa tentava colonizar o Brasil, visando garantir sua posse e defende-la dos piratas e comerciantes franceses. A capitania de Pernambuco havia sido entregue ao donatário Duarte Coelho, em 1534, que fundou a futura vila de Olinda e mais tarde o primeiro engenho de Pernambuco, Nossa Senhora da Ajuda, mais tarde chamado Forno da Cal.

Viagens ao Brasil

Em 1548, Hans Staden realizou sua primeira viagem ao Brasil, com objetivos comerciais, chegando às costas da capitania de Pernambuco. Apesar da amizade do donatário Duarte Coelho com os chefes indígenas, o perigo de ataques não estava afastado. Nessa época, a próspera localidade de Igaraçu que estava sitiada por indígenas foi salva milagrosamente pela tripulação do navio que trazia Hans Staden, que conseguiu levantar o cerco contra os indígenas.

Na segunda viagem às costas brasileiras, realizada em 1549, Hans Staden veio a bordo de um navio espanhol que pretendia chegar ao Rio da Prata, mas após uma tempestade ancorou na ilha de Santa Catarina. Depois de passar dois anos na ilha, Hans Staden seguiu para a capitania de São Vicente, o primeiro núcleo de colonização, dotado de um engenho para produção de açúcar.

Nesse mesmo ano, chegava ao Brasil o primeiro governador-geral, Tomé de Sousa, que preocupado com a reconstrução e alargamento da fortaleza de Bertioga, na capitania de São Vicente, entrega o comando de Bertioga a Hans Staden, a quem já devia os portugueses, em Pernambuco, o oportuno auxílio por ocasião do ataque indígena a Igaraçu.

Hans Staden como soldado que cuidava do armamento, ficou residindo e comandando o forte. Ao se aventurar no mato, a procura de alimento, foi feito prisioneiro pelos índios tupinambás, inimigo dos tupiniquins e dos portugueses e aliados dos franceses, que por pouco não o executaram e o devoraram. Depois de passar nove meses prisioneiro, Hans Staden foi negociado pelo francês Guilherme de Moner, capitão do navio Catherine de Vatteville e em seguida libertado. Chegou à Europa no dia 20 de fevereiro de 1555, na cidade de Honfleur, na França.

Livro “Duas Viagens ao Brasil”

Em 1557, em Marburgo, na Alemanha, Hans Staden lançou o livro conhecido como “Duas Viagens ao Brasil”, onde relata suas aventuras no Novo Mundo. O livro, ilustrado com xilogravuras anônimas baseadas em suas descrições, foi vendido em toda a Europa, curiosa sobre a nova terra recém-descoberta. Trata-se de uma impressionante descrição sobre as viagens, paisagens, riquezas inexploradas, a vida no cativeiro, costumes dos indígenas e principalmente a prática do ritual de canibalismo, do qual por pouco não foi vítima.

O livro de Hans Staden só foi traduzido para o português em 1925, por “Monteiro Lobato”, com o título “Meu Cativeiro Entre os Selvagens do Brasil”. Em 1927, o escritor lançou uma versão infantil intitulada “As Aventuras de Hans Staden”.

Filme sobre Hans Staden

As aventuras vividas pelo alemão Hans Staden no Brasil foram transformadas em filme no ao de 1999. Em uma produção conjunta de brasileiros e portugueses, o drama biográfico foi dirigido por Luiz Alberto Pereira. Contou no elenco com os atores Carlos Evelyn, Beto Simas, Stenio Garcia, Claudia Lins, entre outros. O filme recebeu vários prêmios e indicações. Uma curiosidade é que a língua tupi é falada em grande parte do filme.

Veja também as biografias de:

Última atualização: 28/02/2018