Ingrid Betancourt

Ativista política colombiana

Biografia de Ingrid Betancourt

Ingrid Betancourt (1961), ativista política colombiana, foi sequestrada pelas FARC, Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, grupo guerrilheiro terrorista associado ao narcotráfico. Foi senadora na Colômbia, combatia o tráfico de drogas e a corrução. Durante a campanha para presidente, foi sequestrada, permanecendo no cativeiro durante seis anos e meio.

Ingrid Betancourt (1961) nasceu em Bogotá, Colômbia, no dia 25 de dezembro. Filha de Gabriel Betancourt, ex-senador e ex-embaixador colombiano, e Yolanda Pulecio. Passou a maior parte de sua juventude em Paris, onde seu pai era embaixador da Colômbia na UNESCO, (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura). Ingrid tem nacionalidade francesa.

Em 1989, retornou à Colômbia, época em que o candidato a presidência Luis Carlos Galán, em campanha pelo combate às drogas, foi assassinado. Em 1990 assumiu o Ministério das Finanças da Colômbia. Em 1998 se candidata ao Senado, com a campanha voltada contra o tráfico de drogas, a corrução e as causas ambientais, foi a candidata mais votada nas eleições. Durante o mandato foi ameaçada de morte inúmeras vezes.

Em 1998, Ingrid Betancourt lançou sua autobiografia, intitulada "O Coração Enfurecido", publicada inicialmente na França, depois na Colômbia. No dia 2 de fevereiro de 2002 em plena campanha para presidente, Ingrid foi sequestrada pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) grupo guerrilheiro terrorista associado ao narcotráfico.

Na selva colombiana, para onde são levados os reféns, o cativeiro é constantemente transferido de lugar, ficam acorrentados ou vigiados, se alimentam de farinha, feijoca (uma semente típica das terras altas da América Central e do Sul), água e açúcar. Todo guerrilheiro é vigiado por outro guerrilheiro e um desertor se capturado é sumariamente executado. Durante o cativeiro, Ingrid não acompanhou a adolescência dos filhos e perdeu o pai, que faleceu com problemas cardíacos e respiratórios.

No dia 2 de julho de 2008, foi anunciado o seu resgate, pelo então Ministro da Defesa, Juan Manuel Santos, hoje presidente da Colômbia. Numa operação cinematográfica, do Exército Colombiano, depois da infiltração no comando do grupo terrorista. Quinze reféns eram levados de helicóptero, sob o pretexto de passar por uma inspeção humanitária. Durante o voo, o grupo foi informado que estava livre.

Separada do segundo marido, Ingrid vive hoje entre a casa da filha que mora em Nova York e do filho que mora em Paris. Em fevereiro de 2009, começou a escrever sobre o cativeiro na selva colombiana. Depois de um ano, publicou: "Não Há Silêncio Que Não Termine".

Veja também as biografias de:
  • Shakira (1977) é uma cantora colombiana de pop-rock latino que faz muito suce...
  • Margaret Thatcher (1925-2013) foi uma política britânica, a primeira mulher a...
  • Dilma Rousseff (1947) é uma política e economista brasileira. Ex-presidente d...
  • Marina Silva (1958) é ambientalista e política brasileira. Recebeu no Palácio...
  • Marielle Franco (1979-2018) foi uma política e socióloga brasileira. Vereador...
  • Hillary Clinton (1947) é uma política e destacada advogada norte-americana. E...
  • Martin Luther King (1929-1968) foi um ativista norte americano, lutou contra...
  • Rosa Parks (1913-2005) foi uma ativista do movimento dos direitos civis dos n...
  • Malcolm X (1925-1965) foi um ativista norte-americano, um dos mais polêmicos...
  • Helen Keller (1880-1968) foi uma escritora e ativista social norte-americana...

Última atualização: 23/05/2017

Possui bacharelado em Biblioteconomia pela UFPE e é professora do ensino fundamental. Desde 2008 trabalha na redação e revisão de conteúdos educativos para a web.