João Fernandes Vieira

Herói da Insurreição Pernambucana

Biografia de João Fernandes Vieira

João Fernandes Vieira (1610-1681) foi um dos heróis da Insurreição Pernambucana. Recebeu os títulos de Capitão-Mor do Pinhal, Comendador da Ordem de Cristo e membro do Conselho de Guerra. Foi nomeado governador do Maranhão e de Angola.

João Fernandes Vieira (1610-1681) nasceu na cidade de Funchal, capital da Ilha da Madeira, Portugal, ponto de passagem dos navegadores europeus que atravessavam o Atlântico. Buscando informações sobre as terras descobertas, embarca para Pernambuco. Chegando na Capitania, realizou diversos serviços de baixa qualificação. Em 1630, com a invasão dos holandeses, participa das lutas em defesa da Capitania, sob o comando de Matias de Albuquerque. Em 1635 é aprisionado, e na prisão aproxima-se de Jacob Stachower, passando a negociar com os holandeses.

A resistência portuguesa havia fugido para a vizinha Alagoas, e em seguida se instalara na Bahia, abandonando praticamente a Capitania de Pernambuco. Em liberdade, João Fernandes Vieira entra para o comércio dos produtos mais rentáveis da região, o pau-brasil, o açúcar e os escravos. A extração do pau-brasil tornou-se fácil, pois os índios abandonaram a costa e se refugiaram no interior da capitania. O comércio do açúcar, era extremamente rentável, pois a produção dos engenhos era comercializada com a Europa. A captura dos escravos fujões e a venda para os senhores de engenho, era também uma excelente fonte de renda.

João Fernandes Vieira mantinha bom relacionamento com a Companhia das Índias Ocidentais e com o próprio Maurício de Nassau. Participou da administração de vários engenhos e adquiriu vários deles, tornando-se grande proprietário de terras. Era grande o número de brasileiros e portugueses que mantinham boas relações com os invasores, havendo até casamentos entre eles.

Em 1640, a restauração da independência portuguesa, causou grande impacto nas relações com os invasores, uma vez que Portugal e Holanda se tornaram aliados na luta contra a Espanha. Em 1642 Fernandes Vieira inicia o contato com os grandes líderes locais, André Vidal de Negreiros, Henrique Dias e Filipe Camarão, que pretendiam expulsar os holandeses.

No dia 24 de dezembro de 1643, João Fernandes Vieira, que já acumulava grande fortuna, casa-se com Maria Cezar de Andrade, filha de Francisco Berenguer de Andrade, rico proprietário de terras, natural da Ilha da Madeira em Portugal.

Fernandes Vieira, junto com o paraibano Vidal de Negreiros, foram elevados a categoria de Mestre de Campo. Junto com os outros líderes, indígenas de Filipe Camarão e negros de Henrique Dias, iniciam as primeiras lutas para expulsar os holandeses. As primeiras vitórias ocorreram nas batalhas do Monte das Tabocas e do engenho de Casa Forte, este era ponto estratégico, por sua localização e pelo fato de ser propriedade de Ana Paes, grande colaboradora de Maurício de Nassau.

As lutas foram realizadas sem ajuda do governo português, que temia perder o apoio da Holanda na Europa. Depois das vitórias, Portugal resolve enviar, no dia 16 de abril de 1648, o General Francisco Barreto de Meneses, para assumir o comando do exército.
Aos poucos foram recuperando o controle dos engenhos e das povoações. O holandeses, com grandes problemas na Europa, não mandavam os reforços necessários e perderam o apoio local, com a partida de Maurício de Nassau.

Os revoltosos fizeram o cerco à cidade do Recife, onde estava concentrada a maior parte dos invasores, que fugiram para os montes Guararapes, onde foram travadas duas batalhas. A primeira no dia 19 de abril de 1648 e a segunda em 1649, onde os holandeses foram derrotados. Enquanto os luso-brasileiros dominando vários porto do litoral, passaram a receber munições e mantimentos, que eram pagas com açúcar, os holandeses estavam cercados, sem mantimentos e sem esperança de ajuda. No interior, os holandeses que haviam se estabelecido como proprietários de terra, resolveram permanecer na região, abandonando suas convicções religiosas.

João Fernandes Vieira, determinou que os devedores da Companhia das Índias Ocidentais, que fizeram grandes empréstimos, fossem perdoados das dívidas, se participassem das lutas em defesa da Capitania. Foram mais de nove anos de combates. Terminada a luta, vitorioso, Fernandes Vieira recebeu o Título de Capitão-Mor do Pinhal, comendador da Ordem de Cristo e membro do Conselho de Guerra. Foi também nomeado governador do Maranhão e de Angola.

João Fernandes Vieira morreu em Olinda, no dia 3 de agosto de 1645.

Veja também as biografias de:

Última atualização: 15/09/2012

Dilva Frazão
Possui bacharelado em Biblioteconomia pela UFPE e é professora do ensino fundamental. Desde 2008 trabalha na redação e revisão de conteúdos educativos para a web.