João Pessoa

Político brasileiro

Biografia de João Pessoa

João Pessoa (1878-1930) foi um político brasileiro. Candidato à vice-presidente na chapa de Getúlio Vargas, foi derrotado pela chapa de Júlio Prestes e Vital Soares. O assassinato de João Pessoa precedeu a Revolução de 30 que levou Getúlio Vargas ao poder.

João Pessoa Cavalcanti de Albuquerque nasceu em Umbuzeiro, na Paraíba, no dia 24 de janeiro de 1878. Filho de Cândido Clementino Cavalcanti de Albuquerque e de Maria de Lucena Pessoa, irmã do ex-presidente do Brasil Epitácio Pessoa.

Formação

João Pessoa estudou no Liceu Paraibano, em João Pessoa, capital do Estado, na época, também chamada Paraíba. Em 1894, entrou para o 27º Batalhão de Infantaria, seguindo depois para o Rio de Janeiro, onde ingressou na Escola Militar da Praia Vermelha. Acusado de revolucionário, foi enviado para a cidade de Belém, no Pará, como soldado raso, e posteriormente desligado do Exército.

Em 1899, João Pessoa ingressou na Faculdade de Direito do Recife, onde se graduou em 1903. Em 1905, casa-se com Maria Luísa de Sousa Leão Gonçalves, filha do promotor e político Sigismundo Antônio Gonçalves.

João Pessoa permaneceu no Recife até 1910, quando exerceu a advocacia, lecionou e foi delegado do ensino. Nomeado como representante da Fazenda no Rio de Janeiro trabalhou no processo de desapropriação de terrenos para o melhoramento do porto.

Em 1913, por influência do tio, Epitácio Pessoa, foi nomeado auditor da Marinha. Em 1920, chegou a ministro civil do Supremo Tribunal Militar.

Carreira Política

No dia 22 de junho de 1928, João Pessoa foi eleito presidente (governador) da Paraíba, pelo Partido Republicano e, empossado três meses depois. No ano seguinte, rompeu com o governo federal ao rejeitar a candidatura de Júlio Prestes para a presidência da república.

Durante dois anos de governo, reduziu a sonegação de impostos, equilibrou a economia do Estado e estimulou a agricultura e a indústria. Realizou várias obras, entre elas, a Av. Epitácio Pessoa e o porto de Cabedelo.

Candidato à Vice-Presidente da República

O paraibano João Pessoa foi indicado para vice-presidente da República na chapa do gaúcho Getúlio Vargas, apoiados pelo mineiro Antônio Carlos Ribeiro de Andrade, uma união política entre a Paraíba, Rio Grande do Sul e Minas Gerais formando um bloco político de oposição denominado, Aliança Liberal.

O presidente Washington Luís (1926-1930) apoiou a candidatura do paulista Júlio Prestes, rompendo com a política do café-com-leite, para sucedê-lo no próximo período presidencial. Em um clima acirrado, Júlio Prestes vence as eleições, com protestos da oposição, que denunciava fraudes.

Assassinato de João Pessoa

As eleições presidenciais ocorreram em março de 1930 e Júlio Prestes deveria tomar posse em novembro, nesse intervalo, durante as disputas políticas na Paraíba, o fazendeiro do município de Princesa, o coronel José Pereira, deu apoio a Júlio Prestes.

João Pessoa, então governador da Paraíba, mandou a polícia invadir o escritório de Dantas, em busca de armas contrabandeadas, e lá encontrou cartas íntimas, trocadas entre Dantas e sua amante. Divulgadas no jornal do governo, “A União”, causou grande escândalo na sociedade.

No dia 26 de julho de 1930, João Pessoa foi assassinado na Confeitaria Glória, na Rua Nova, no centro da cidade do Recife, com cinco tiros disparados por João Dantas. Seu corpo foi transladado para o Rio de Janeiro e, em 1997 foi levado para a Paraíba.

No dia 4 de setembro de 1930, a capital do estado da Paraíba, antes denominada também Paraíba, passou a se chamar João Pessoa, em homenagem ao político.

A morte de João Pessoa serviu de estopim para desencadear a Revolução de 1930. Um golpe militar derrubou o presidente Washington Luís e foi formada uma Junta Pacificadora composta por generais. No dia 3 de novembro de 1930, a Junta Pacificadora entregou a presidência a Getúlio Vargas.

João Pessoa faleceu no Recife, Pernambuco, no dia 26 de julho de 1930.

Veja também as biografias de:
  • Jair Bolsonaro (1955) é capitão da reserva do Exército e presidente eleito do...
  • Deodoro da Fonseca (Marechal) (1827-1892) foi um político e militar brasileir...
  • Rui Barbosa (1849-1923) foi um político, diplomata, advogado e jurista brasil...
  • Tancredo Neves (1910-1985) foi um político brasileiro. Eleito presidente do B...
  • Joaquim Nabuco (1849-1910) foi um político, diplomata, advogado e historiador...
  • Jânio Quadros (1917-1992) foi um político brasileiro. Foi presidente do Brasi...
  • Eduardo Campos (1965-2014) foi um político brasileiro. Governador do Estado d...
  • Aécio Neves (1960) é político e economista brasileiro. Foi deputado federal,...
  • Fernando Collor (1949) é um político brasileiro. Foi o primeiro presidente el...
  • Enéas Carneiro (1938-2007) foi um médico cardiologista, físico, matemático, p...

Última atualização: 03/04/2019

Dilva Frazão
Possui bacharelado em Biblioteconomia pela UFPE e é professora do ensino fundamental. Desde 2008 trabalha na redação e revisão de conteúdos educativos para a web.