Zumbi

Líder da resistência negra

Biografia e Vida

Zumbi foi o líder da resistência negra contra a escravidão, do Quilombo dos Palmares, localizado ao sul da Capitania de Pernambuco, na parte inferior do rio São Francisco, na Serra da Barriga, região do atual Estado de Alagoas, numa região de palmeiras e mata tropical fechada.

Zumbi nasceu dentro do Quilombo do Palmares. Era neto da princesa negra Aqualtune, e sobrinho de Ganga Zumba e Gana Zona, chefes dos mocambos mais importantes do Quilombo, que era constituído por dezenas de aldeias. Recebeu o nome de Zumbi para sensibilizar o deus da guerra.

Na época do Brasil colônia, desde 1600, alguns escravos fugitivos dos engenhos de açúcar já se refugiavam na serra da Barriga, região do atual Estado de Alagoas. Entre 1602 e 1608, duas entradas sob o comando de Bartolomeu Bezerra, chegaram até a serra, sem conseguir localizar dos fugitivos. Em 1630, o quilombo já estava formado. Pernambuco vivia sob o domínio holandês e a guerra intensificava a fuga dos escravos para o quilombo, já conhecido como Palmares.

Entre 1644 e 1645, expedições holandesas foram organizadas para destruir o quilombo, sem sucesso. Em 1654, os holandeses foram expulsos do Nordeste e a decadência econômica diminuiu a necessidade de mão de obra escrava. Nessa época, Palmares era uma longa faixa situada na parte norte do curso inferior do rio São Francisco, hoje no Estado de Alagoas.

Zumbi crescia livre dentro do quilombo e da escravidão só conhecia as terríveis histórias que lhe contavam. De simples refúgio de escravos fugidos, Palmares transformou-se em um centro de resistência contra todo o sistema escravocrata. Apesar do florescente comércio entre Palmares e os colonos da região, a paz era apenas temporária. Os fazendeiros não podiam permitir que os quilombos estimulassem a fuga dos escravos.

Entre 1671 e 1674 duas expedições são organizadas contra o quilombo, com poucos resultados. Em 1675, durante a invasão das tropas de Manuel Lopes, que revelou uma grande cidade, com mais de 2 mil casas, fortificadas com estacas. Nos combates que se seguem, Zumbi é baleado duas vezes, mas continuou a lutar. Seu nome e sua coragem começavam a virar lenda.

Em 1677, Fernão Carrilho, destacado pelo governador de Pernambuco, Pedro de Almeida, ataca o mocambo de Aqualtune. Ganga Zumba e a maioria de seu povo foge. Depois de sucessivas vitórias, Carrilho instala um arraial em pleno coração dos Palmares. Em 1678, Ganga Zumba manda ao Recife, três filhos e doze negros, acompanhando um emissário do governador, para fazer um acordo de paz. Palmares ganhou condição de vila e Ganga Zumba torna-se mestre-de-campo.

Zumbi não concorda, para ele não se trata só de viver livre, mas libertar os que ainda eram escravos. Recebeu apoio de vários mocambos. Ganga Zumba perde terreno é envenenado e Zumbi é o novo líder guerreiro e enfrenta batalhas sangrentas. Em 1691, o bandeirante Domingos Jorge Velho, com mais de mil homens, invade o mocambo do Macaco, onde Zumbi comandava a resistência. Depois de várias lutas, Zumbi foge para Porto Calvo. Em 1694, novo ataque destrói o quilombo. Comandados por Zumbi e entrincheirados na serra da Barriga, o quilombo resistem até a morte.

Zumbi dos Palmares é capturado no dia 20 de novembro de 1695, depois de ter sido traído por um prisioneiro que trocou sua vida pela do líder, foi decapitado e sua cabeça levada para o Recife, que por ordem do governador é colocada em exposição pública. Em homenagem a Zumbi no dia 20 de novembro é comemorado o Dia da Consciência Negra.

Biografias Relacionadas
« Ziraldo« Zizinho«Zumbi