Bob Wolfenson

Fotógrafo brasileiro

Biografia de Bob Wolfenson

Bob Wolfenson (1954) é um fotógrafo brasileiro, considerado um dos maiores fotógrafos da América Latina.

Bob Wolfenson (1954), pseudônimo de Roberto Wolfenson, nasceu em São Paulo, no ano de 1954. Com 12 anos começou a bater suas primeiras fotos. Com 16 anos ingressou como estagiário-aprendiz no estúdio fotográfico da Editora Abril, onde permaneceu durante quatro anos sob a direção do fotógrafo Francisco Albuquerque. Em 1973 iniciou o curso de Ciências Sociais na USP.

Em 1974, Wolfenson saiu da Editora Abril e começou a trabalhar como free-lancer para algumas revistas técnicas da própria editora. Em 1978 monta se primeiro estúdio. Em 1982 viaja para os Estados Unidos para trabalhar como assistente do fotógrafo Bill King, passando um ano e meio em Nova Iorque. Ao retornar ao Brasil ganhou espaço no mercado da moda com trabalho para as lojas Riachuelo e C & A. Em 1985 começou a fazer editoriais para diversas revistas de moda e ensaios para a revista Playboy.

Em 1989, Bob Wolfenson realizou sua primeira exposição intitulada “Minhas Amigas do Peito”, na galeria Fotóptica. Em 1990, na Galeria Collector’s, lançou o livro e realizou a exposição “Portfolium”. Dessa exposição, duas fotos foram adquiridas pelo MASP para o seu acervo. Em 1991, o fotógrafo foi matéria de 16 páginas da Revista Gráfica.

Em 1995 ganhou o “Prêmio Funarte – Ministério da Cultura de Melhor Fotógrafo do Ano, na Categoria Arte Aplicada”, pela campanha para a grife Viva a Vida realizada em Israel. Nesse mesmo ano, a revista “Vogue” publica uma edição especial com seus trabalhos. Em 1996 a revista francesa “Photo” publica 4 páginas com seus trabalho, em um número especial sobre o Brasil. Nesse mesmo ano, lançou um livro e realizou a exposição “Jardim da Luz” no MASP, São Paulo.

Bob Wolfenson recebeu o “Prêmio Phytoervas Fashion Awards, de 1997, como o Melhor Fotógrafo de Moda do Ano”. Em 1998 recebeu a indicação para o mesmo prêmio. Em 2000 foi indicado ao prêmio de melhor fotógrafo de moda do ano pela ABIT. Nesse mesmo ano, lançou o livro sobre o trabalho da “Marlboro Adventure Team” realizado no México e nos Estados Unidos, junto com o fotógrafo J.R. Duran. Lançou também a revista “55”, de imagem, moda, comportamento e fotografia.

Em 2002, se associou à gráfica Litokromia e aos designers Hélio Rosas e Roberto Cipolla e lançou a revista "S/Nº" que sucedeu a revista 55. Ainda em 2002, realizou a exposição “Moda no Brasil por Brasileiros” no Pavilhão da Bienal do São Paulo Fashion Week. Em 2003 lançou o livro “Moda no Brasil por Brasileiros”.

Em 2004 ganhou o primeiro prêmio da Fundação Conrado Wessel, pela melhor fotografia publicitária do ano de 2003, com a Campanha da Grendene com Gisele Bündchen. Em 2006, fotografa para a décima edição do São Paulo Fashion Week, o Calendário das 25 mais importantes modelos que fizeram parte da história do evento, entre elas, Gisele Bündchen, Isabeli Fontana e Raquel Zimmermann.

Em 2009, Bob Wolfenson lançou o livro “Cartas a um Jovem Fotógrafo”, sobre sua trajetória profissional. Em seus mais de 50 anos de carreira, continua atuando em diferentes frentes como moda, publicidade, retrato e fotografia autoral. Em 2017 realizou na Galeria Millan, em São Paulo a exposição individual “Nósoutros”, com 28 painéis de fotografias tiradas durante 4 anos em 15 cidades ao redor do mundo.

Veja também as biografias de:

Última atualização: 11/04/2017