Man Ray

Fotógrafo e pintor norte-americano

Biografia de Man Ray

Man Ray (1890-1976) foi um fotógrafo, pintor e cineasta norte-americano, um dos mais destacados artistas do Dadaísmo e do Surrealismo, movimentos de vanguarda surgidos na França no século XX.

Man Ray, pseudônimo de Emmanuel Rudnitsky, nasceu na Filadélfia, nos Estados Unidos, no dia 27 de agosto de 1890. Ainda jovem mudou-se para o Brooklyn, em Nova Iorque. Em 1909 iniciou seus estudos na The Social Center Academy of Art. Adota o pseudônimo de Man Ray. Em 1912, iniciou sua carreira artística e logo se tornou amigo dos artistas da vanguarda da pintura e da fotografia em Nova Iorque.

Em 1915, os franceses Marcel Duchamp e Francis Picabia se mudaram para Nova Iorque e viraram o foco do Movimento Dadaísta ao qual Man Ray se uniu. O Movimento deliberadamente provocativo queria chocar as pessoas para que saíssem de seu estado de complacência e criassem uma forma de arte livre dos valores e ideias que a haviam precedido. São desse período, as telas “The Rope Dancer Acompanies Hessel With Her Shadows” (1916) e “Orquestra Sinfônica” (1916).

Mon Ray
Orquestra Sinfônica (1916)

Em 1921, se separa de sua mulher, a poeta belga Adon Lacroix, e muda-se para Paris onde junto com Duchamp se integra ao Movimento Dadaísta francês. Realiza seu primeiro “Ready- made” (termo usado por Duchamp para designar o uso de objetos do cotidiano como obra de arte). Depois de diversos experimentos, fazendo uso de tinta spray na pintura, Man Ray dedica horas pesquisando métodos em busca de aperfeiçoamento da fotografia. Em 1924 com o surgimento do Surrealismo em Paris, Man Ray recebe influências do movimento. Nesse mesmo ano, produz “Le Violon d’Ingres”, uma de suas obras mais famosa.

Man Ray
Le Violon d'Ingres (1924)

Como cineasta, Man Ray produziu filmes surrealistas, como o curta “L’Étoile de Mer” (1928). Durante muitos anos vivendo no bairro de Montparasse, em Paris, Man Ray revolucionou a fotografia, em particular fazendo uma série de nus de Meret Oppenheim, uma artista surrealista que se permitiu ser fotografada por Man Ray. Em 1932, criou a foto “Lágrima” um close de um rosto virado para cima com gotas de vidro para imitar lágrimas.

Man Ray
Lágrimas (1932)

Durante a Segunda Guerra Mundial, Man Ray foi para os Estados Unidos. Nessa época, produziu inúmeras fotografias de moda. Fotografou estrelas de cinema de Hollywood, como Ava Gardner, Marylin Monroe e Catherine Deneuve. Depois de seis anos, retorna para Paris. Seu reconhecimento internacional veio com a Medalha de Ouro da Bienal de Fotografia de Veneza, em 1961. Em 1963 publica a autobiografia “Autorretrato”. Em 1966 realizou sua primeira grande retrospectiva em Los Angeles Country Museun of Art.

Man Ray faleceu em Paris, França, no dia 18 de novembro de 1976.

Veja também as biografias de:

Última atualização: 08/03/2018

Por Dilva Frazão
Possui bacharel em Biblioteconomia pela UFPE e é professora do ensino fundamental. Desde 2008 trabalha na redação e revisão de conteúdos educativos para a web.