Demócrito de Souza Filho

Herói estudantil brasileiro

Biografia de Demócrito de Souza Filho

Demócrito de Souza Filho (1921-1945) foi o grande herói do movimento estudantil que lutou contra o Estado Novo e consequentemente contra a ditadura de Getúlio Vargas.

Demócrito de Souza Filho (1921-1945) nasceu no Recife, Pernambuco, no dia 27 de outubro de 1921. Filho do advogado criminalista Demócrito de Souza e de Maria Cristina Tasso de Souza descendentes de ilustres famílias pernambucanas. Estudou no Educandário Oswaldo Cruz onde fez o curso pré-jurídico. Em 1941 ingressou na Faculdade de Direito do Recife, onde desejava seguir a mesma carreira do pai.

Nessa época, o mundo estava vivendo a Segunda Guerra Mundial e o Brasil foi, pouco a pouco, sendo absorvido pela Guerra e o povo passou a sentir os problemas causados pelos torpedeamentos de navios nacionais nas costas brasileiras. No Brasil imperava o Estado Novo, regime implantado pelo Presidente Getúlio Vargas, depois do golpe de 1937. Os fatos vieram animar grupos políticos contrários ao Estado Novo a se organizar e promover manifestações e passeatas que eram toleradas e estimuladas por alguns líderes militares, como o major Juraci Magalhães.

Os estudantes de Direito e Engenharia do Recife passaram a organizar manifestações na rua e na própria Praça Adolfo Cisne, a eles se incorporando estudantes de outras escolas e colégios. Com o fechamento do Congresso Nacional, as liberdades individuais suspensas e os Estados submetidos a interventores nomeados pelo presidente. A campanha crescia, recebendo apoio de lideranças econômicas e políticas. O governo passava a se preparar para reagir e parte do proletariado, ligado à figura de Getúlio Vargas, passou a enfrentar as manifestações.

No dia 7 de setembro de 1944, as autoridades mandaram prender intelectuais, professores e estudantes, entre ele Demócrito, que vinha sendo perseguido por um agente da policia apelidado de Alemão. Depois de quatro dias presos, o grupo foi libertado.

Demócrito de Souza Filho cursava o último ano da faculdade de Direito, era um líder estudantil de destaque que participava das manifestações contra o Estado Novo, em busca da redemocratização do país. No dia 3 de março de 1945 foi marcada uma manifestação que começaria dentro da Faculdade de Direito do Recife e continuaria com uma passeata até a Praça da Independência, terminando com um comício em frente ao Diário de Pernambuco, aliado na luta pela redemocratização.

As versões sobre a reação do governo eram contraditórias, ora se dizia que ele mandaria dispersar a multidão pela força, ora que toleraria a manifestação. O interventor nomeado por Getúlio era Etelvino Lins, que afirmou para o diretor da Faculdade, o professor Andrade Bezerra, que a polícia garantiria a manifestação. Iniciada em frente da faculdade com uma série de discursos, seguiu pela rua do Hospício, rua da Imperatriz e rua Nova, quando foram informados que a praça da Independência estava repleta de policiais armados esperando os estudantes.

A multidão entrou na Praça e seguiu para a porta principal do Diário onde seriam feitos mais discursos em favor da candidatura do Brigadeiro Eduardo Gomes para a Presidência do País. Neste momento abriu-se a porta do Bar Lero-Lero, que funcionava no térreo do prédio do jornal e de lá saíram soldados a paisana atirando na multidão. Um dos disparos atingiu a testa de Demócrito que veio a falecer no pronto-socorro da cidade.

Sua morte causou grande impacto sobre o governo, que passou a ser responsabilizado pela sociedade, inclusive pela Congregação da Faculdade de Direito. No seu enterro, compareceram os professores vestidos com suas becas e uma multidão seguiu a pé até o cemitério de Santo Amaro.

Demócrito de Souza Filho faleceu no Recife, Pernambuco, no dia 3 de março de 1945.

Veja também as biografias de:

Última atualização: 08/06/2016

Possui bacharelado em Biblioteconomia pela UFPE e é professora do ensino fundamental. Desde 2008 trabalha na redação e revisão de conteúdos educativos para a web.