António de Oliveira Salazar

Político português
Doutora em Estudos da Cultura

Biografia de António de Oliveira Salazar

António de Oliveira Salazar, conhecido apenas pelo último nome, foi o primeiro ministro de Portugal durante 36 anos (1933 até 1968). 

Salazar nasceu no Porto no dia 28 de abril de 1889.

Infância e juventude 

O político era filho de um feitor (António de Oliveira) responsável por uma propriedade no pequeno povoado Vimieiro, situado no concelho de Santa Comba Dão. A mãe do estadista chamava-se Maria do Resgate Salazar. O casal teve três filhos: António e mais duas irmãs. 

Salazar ingressou em outubro de 1900 no seminário de Viseu onde permaneceu por oito anos. Quando saiu do seminário, começou a dar aulas em uma escola de Viseu e atuou também como professor particular.

Se formou em direito em 1914 pela Universidade de Coimbra. É em Coimbra, aliás, que Salazar ingressa na vida política tendo liderado o Centro Acadêmico de Democracia Cristã. 

Tornou-se professor da mesma instituição em 1917 ocupando a disciplina de Ciências Econômicas, após ter se especializado em Economia.

Vida política

Salazar foi um dos responsáveis pela fundação do Partido Centro Católico (1921).

Após a derrubada do governo parlamentar - em maio de 1926 - recebeu um convite para assumiu o posto de ministro das finanças, mas não obteve a autonomia que desejava.

Dois anos mais tarde, António Oscar de Fragoso Carmona, então presidente, deu ainda mais poder à Salazar e lhe ofereceu todo o controle das contas públicas - em 28 de abril de 1928 Salazar assumiu o cargo de Ministro das Finanças.

À frente do ministério, conseguiu inverter o problema do déficit público e transformou-o em superávit. Com o saldo positivo, pode ajudar a desenvolver o país. 

A nomeação para o cargo de primeiro ministro

No dia 5 de julho de 1932, Salazar foi nomeado primeiro ministro por Carmona. O período em que esteve no poder foi marcado pelo conservadorismo, pelo autoritarismo, pelo nacionalismo e pela influência de um pensamento católico.

Foto tirada em 5 de julho de 1932, dia da tomada de posse de Salazar
Foto tirada em 5 de julho de 1932, dia da tomada de posse de Salazar

Seus anos à frente do país ficaram conhecidos como "Estado Novo Português". Foi um período marcado, especialmente, pelo fim das liberdades políticas - Assembleia Nacional da época era composta apenas por aliados do partido de Salazar - e pelo forte investimento na área militar.

Outros cargos políticos

Salazar também atuou como ministro das Finanças (1928-1968), ministro das Colônias (1930), ministro da Guerra (1936-1944), ministro das Relações Exteriores (1936-1947) e ministro da Defesa Nacional (1961-1962).

Saiba mais sobre a vida de António de Oliveira Salazar

O canal português RTP lançou um documentário em 1998 que retrata com detalhes a trajetória pessoal e política do estadista. O resultado encontra-se disponível online:

Fim da vida

Em setembro de 1968, Salazar teve um derrame que o impediu de continuar atuando politicamente. No dia 25 de setembro de 1968, abandonou o cargo de Presidente do Conselho devido à frágil saúde e seguindo orientação do então Presidente da República.

O político veio a ser substituído por Marcello Caetano. 

Salazar faleceu em 27 de julho de 1970. Seus restos mortais foram transportados de Lisboa para Santa Comba Dão, sua terra natal.

Veja também as biografias de:

Última atualização: 21/08/2019

Rebeca Fuks
Doutora em Estudos da Cultura
Formada em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2010), mestre em Literatura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2013) e doutora em Estudos de Cultura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e pela Universidade Católica Portuguesa de Lisboa (2018).