Francisco Franco

Ditador espanhol

Biografia de Francisco Franco

Francisco Franco (1892-1975) foi um general, chefe de estado e ditador espanhol. Instalou uma ditadura fascista na Espanha que ficou conhecida como franquismo e se estendeu por quase quarenta anos, até sua morte em 1975.

Francisco Franco, mais conhecido como generalíssimo Francisco Franco, nasceu na cidade de Ferrol, Espanha, no dia 4 de dezembro de 1892. Descendente de uma tradicional família de marinheiros iniciou sua carreira militar na Academia de Infantaria de Toledo, concluindo seus estudos em 1910. Entre 1912 e 1926 se destacou nas campanhas bélicas no Marrocos Espanhol, com breves interrupções. Em 1923 recebeu a patente de tenente-coronel e assumiu o comando da Legião Espanhola.

A brilhante carreira de Francisco Franco atravessou diversos regimes políticos: Entre 1923 e 1930 o general Primo Rivera instalou uma ditadura fascista (preservando a monarquia), que caiu sob a pressão popular. Em 1926, Francisco Franco chegou a general, o mais jovem de toda a Europa. Em 1928 passou a dirigir a Academia Militar de Saragoça. De 1931 a 1936 foi instalada uma Segunda República. Em 1934 Francisco Franco participou da Revolução de Astúrias. Em 1935 foi o comandante chefe do Exército Espanhol no Marrocos e em 1936 converteu-se a Chefe do Estado Maior.

Ainda em 1936, uma Frente Popular reunindo todos os setores democráticos e de esquerda – socialistas, comunistas, anarquistas, liberais – elegeu Manuel Azaña presidente. Pouco depois das eleições o Exército, sob a liderança do generalíssimo Francisco Franco, se rebelou contra o novo governo. Começava então a Guerra Civil Espanhola, que teve início no Marrocos Espanhol e logo se difundiu por toda a Espanha. De um lado os falangistas (fascista), pretendendo derrubar o governo republicano eleito e restaurar a monarquia, de outro as forças populares e democráticas, lutando pela sustentação das reformas sociais e políticas.

Os falangistas tiveram apoio militar da Itália fascista e principalmente da Alemanha nazista, que usou a Espanha como centro de experimentação de suas novas e potentes armas e pretendia ter na Península Ibérica um aliado, em caso de nova guerra com a França. As forças republicanas, sem grandes condições de resistência, pois tiveram apenas um pequeno apoio da União Soviética e das Brigadas Internacionais, formadas por operários e intelectuais de outros países, foram derrotadas em 1939. Depois de três anos de combate, que causaram 1 milhão de mortes, as forças de Franco ocuparam toda a Espanha. Era o início de um regime totalitário que ficou conhecido como “franquismo”, isto é, a ditadura fascista do generalíssimo Francisco Franco.

O Franquismo na Espanha

Terminada a Guerra Civil, Franco impôs à Espanha um regime inspirado no fascismo de Hitler e Mussolini, que eram seus aliados. Em setembro de 1939, alguns meses depois da vitória franquista, começou a Segunda Guerra Mundial. Finalizada a Guerra com a derrota das forças do Eixo, aliadas a Franco, seu regime sofreu um isolamento diplomático, mas conseguiu se consolidar. A liberdade de pensamento foi pouco a pouco sendo reprimida. O Estado intensificou a perseguição aos opositores. A propaganda oficial tentava mobilizar a opinião pública saudando Franco como um mito, um herói de guerra e o salvador da Espanha. Durante o período de 1936 a 1975 estima-se que mais de 114 mil pessoas foram consideradas “desaparecidas”. Houve denúncias da existência de campos de concentração para os adversários políticos e o medo tomava conta da população.

As bases do regime ditatorial eram definidas pelo autoritarismo, unidade nacional, promoção do catolicismo, nacionalismo castelhano (com a supressão dos direitos de outras culturas, como a dos bascos e catalães), militarismo, corporativismo nos moldes fascistas, anticomunismo e antianarquismo. O franquismo levou a Espanha a atravessar um atraso econômico que só veio mostrar um rápido crescimento na década de 60, com a industrialização, a abertura e a urbanização, o que facilitou a permanência de Franco no poder apesar da forte repressão aos seus opositores.

Em 1969, Francisco Franco designou como seu sucessor o príncipe Juan Carlos I, neto do último rei da Espanha, Afonso XIII. Após a morte do ditador, Juan Carlos assumiu o governo, mas a política de Franco sofreu descontinuidade e o monarca promoveu uma transição pacífica para a democracia.

Francisco Franco faleceu em Madri, Espanha, no dia 20 de novembro de 1975.

Veja também as biografias de:

Última atualização: 08/08/2017