Oliver Cromwell

Militar e ditador inglês

Biografia de Oliver Cromwell

Oliver Cromwell (1599-1658) foi um militar, ditador inglês e líder da Revolução Puritana que ocorreu na Inglaterra e substituiu a Monarquia por uma República. Governou como ditador com o título de Lorde Protetor do Estado Unificado (Inglaterra, Escócia e Irlanda).

Oliver Cromwell (1599-1658) nasceu em Huntingdon, Inglaterra, no dia 25 de abril de 1599. Filho de pequeno proprietário rural recebeu formação religiosa puritana (nome dado à religião calvinista na Inglaterra) que lhe marcou a personalidade. Era fervoroso adversário do anglicanismo, do catolicismo e do poder real. Em 1628 foi eleito para a Câmara dos Comuns. Em 1629, diante dos conflitos entre o rei Carlos I e o Parlamento, o rei resolveu dissolvê-lo e iniciar um governo pessoal que os ingleses denominaram de “tirania dos onze anos” (1629-1640).

Em 1637, depois dos conflitos com a Escócia que havia adotado o calvinismo sob a forma presbiteriana, e a tentativa do arcebispo Laud de estender a religião anglicana aos escoceses, o exército escocês ocupou todo o norte da Inglaterra e o rei sem condições de esmagar a revolta, em 1640, convoca o parlamento a fim de solicitar recursos, e Cromwell retorna ao cargo.

Diante da situação crítica, o parlamento passa a fazer exigências e a partir de então, fica declarada uma guerra entre o Parlamento e o rei, ou entre a burguesia e os senhores feudais, ou ainda, entre os puritanos e os anglicanos. Em 1642 eclode a Guerra Civil Inglesa. O líder do Parlamento era Cromwell, que convencido de ser um instrumento de Deus, encarou como essencialmente religioso o conflito.

No ano seguinte Cromwell organizou um regimento de cavaleiros, os “Ironsides”, que se tornou célebre por sua disciplina e seu fanatismo religioso. Cromwell surgiu como grande chefe militar e promovido a General, derrotou as tropas reais na batalha de Marston Moor. Após reformas radicais criou o “New Model Army” (Novo Exército-Modelo) constituído por camponeses, artesões, pequenos e médios nobres e burgueses.

Em 1645, trava-se em Naseby, a batalha decisiva da luta. O rei foge para Escócia, mas dois anos depois, é capturado e levado para a Inglaterra pela quantia de 400 mil libras esterlinas. Os conflitos continuam e o rei mais uma vez foge para a Escócia, onde recebe o apoio dos presbiterianos, que de novo cruzam a fronteira, mas agora a favor do rei. Cromwell vai ao encontro dessas tropas e depois de vencê-las em 1648, prende o rei, trazendo-o para Londres.

Nesse mesmo ano, Cromwell ordena o cerco ao Parlamento e expulsa mais de cem deputados presbiterianos. Inicia-se o julgamento do rei, e Cromwell tudo faz para apressar a condenação de Carlos I. Decapitado o rei, em 30 de janeiro de 1649 Oliver Cromwell torna-se membro do Concelho de Estado, que deveria exercer o poder executivo da nova República.

Nos anos seguintes, Oliver Cromwell derrotou os inimigos na Escócia, na Irlanda e na própria Inglaterra. Após cinco anos de lutas e vitórias, promulgou em 1654 uma lei unificando a Inglaterra, a Escócia e a Irlanda num Estado único – a “Commonwealth”. Ao mesmo tempo, instaurou a ditadura, tomando o título de “Lorde Protetor do Estado Unificado”.

Em 1657, o ditador recusa o título de rei, mas aceita a constituição conhecida como “Humble Petition and Advince” que lhe deu o direito de indicar um sucessor. Após sua morte, seu filho Ricardo assumiu o poder, mas a insatisfação era geral e em 1660, a monarquia é restaurada com Carlos II no poder.

Oliver Cromwell faleceu em Londres, Inglaterra, no dia 3 de setembro de 1658.

Veja também as biografias de:

Última atualização: 23/10/2016

Dilva Frazão
Possui bacharelado em Biblioteconomia pela UFPE e é professora do ensino fundamental. Desde 2008 trabalha na redação e revisão de conteúdos educativos para a web.